Já postei uma nota comentando sobre meu primeiro disco, agora vamos cutucar de novo o passado. Vamos relembrar algumas lojas de disco, a maior parte já fechadas, outras ainda em funcionamento. Porque lembrar de lojas de disco ? É que para a minha geração a loja de disco funcionava mais ou menos como um templo, e o vendedor de sua preferência como um sumo sacerdote.

A primeira e mais importante, em BH , era a Pop Rock. Era lá que íamos esperar ansiosamente a chegada dos “petardos” lançados pela Cultura AM. Quem lembra do endereço? Rua Tupis 437 – Centro

Era ali, quase esquina com a Rua São Paulo, descendo em direção a Avenida Amazonas, onde hoje está localizada uma Igreja Pentescotal. Era uma loja pequena, com um grande acervo, que mantinha colada na sua parede uma outra raridade na época, a parada de Hot 100 da Billboard, com os discos que já haviam chegado à loja marcados com caneta marca texto amarela , para facilitar o pedido. O sumo sacerdote, também dono da loja –  se não me engano, Nelson Canaan atendia pessoalmente e  dava preciosas dicas. Era lá, antes de existir internet, com poucas revistas especializadas, que os fanáticos se reuniam para comprar e trocar preciosas informações.


Mate a saudade do selinho da Pop-Rock, presente em uma boa parte da minha coleção de compactos e LP’s

Compacto simples com o selo da Pop Rock