Memórias: Rádio Cultura AM 830 – Belo Horizonte

Outro dia, aqui no Vitrola falamos da Rádio Mundial e do Big Boy. Contamos como era difícil sintonizar a Mundial depois da meia-noite, cheia de chiados, só para escutar os últimos lançamentos nacionais e internacionais. Mas nós, aqui em BH, tínhamos uma alternativa – a Rádio Cultura, sintonizada em claríssima ondas médias (AM) 830 Khz. Era nela que ouvíamos outra vez, e conferíamos  os lançamentos que tinhamos mal escutado na Mundial.

A Cultura era uma mania de todos jovens, aqui em BH

Um dos programas mais esperados era o “CASH BOX” , de 14 às 17hs de segunda às sextas e que aos domingos, que tocava todo o Top 100 da parada de singles da Billboard. O locutor era  o Jorge Márcio e seu bordão : ” Seu rádio tá pegando fogo bicho?”   A música  tema do programa se chama Heya e quem canta é J. J. Light, um índio navajo que era baixista no Sir Douglas Quintet e gravou a música em 1969, com a participação de Jim Gordon, Early Palmer, Joe Osbourne e Larry Knechtel, além do guitarista Ron Morgan e Gary Rowles.

Relembre:

O outro locutor famoso na rádio era o Oliveira Rangel que falava: -Cuuullturaaa… enquanto tocava a música. Inesquecível! O programa mais conhecido do Oliveira Rangel era programa  que ia ao ar nos sábados e chamava-se :”CULTURA, BACK GROUND”

Outro grande sucesso da Cultura era o programa que começava diaramente às 22:00 e terminava às 00:oo  – chamava-se “Cultura Ritmos da noite”, era apresentado pelo Jorge Márcio,só tocava Rock e a vinheta de abertura era a seguinte música:

MÁRCIO SEIXAS

A terceira voz famosa da Rádio Cultura era a de Márcio Seixas, muito conhecida no Brasil, por que durante muito tempo foi o anunciante dos episódios das séries dubladas na Herbert Richers. Márcio ministra cursos de locução e leitura livre no Rio de Janeiro com turmas especiais para interessados vindos de outros estados do Brasil. É conhecido por dublar Raúl Juliá e Morgan Freeman na maioria de seus filmes. A última notícia que tive de Jorge Márcio foi triste, e falava de sua morte, em consequência de um tiro recebido. Do Oliveira Rangel não tenho notícias.

A Rádio Cultura lançou discos de vinil com músicas de sua programação, mas não tenho informações sobre suas faixas

Infelizmente, a Rádio foi comprada em 2004, pela Igreja Católica e hoje transmite apenas programas religiosos. É os bons tempos se foram.

Quer escutar rock no rádio hoje ? Desista ! Mesmo nos EUA várias rádios especializadas no velho e bom rock’n roll fecharam nos últimos anos…Voltaremos ao assunto em breve.

303 comentários em “Memórias: Rádio Cultura AM 830 – Belo Horizonte

Adicione o seu

  1. Olá Mauro Kleber,

    Havia um programa na rádio cultura que começava às 18:00 hora e terminava às 19:00. O tema de abertura era a música blue wind do jeff beck e o tema de encerramento era a música ommadawn do Mike Oldfield, posteriormente substituida pela música light up do styx. O nome do programa era Top Hits.

    Curtir

    1. É mesmo, dá muita saudade daquele tempo, em que tinhamos tempo para ouvir rádio e havia rádios tão marcantes como a saudosa Cultura-BH. Estou preparando para os próximos dias um post sobre as lojas de disco que também povoavam nossos desejos. Tá difícil colher informações sobre os donos, as localizações, fotos antigas. Se vc tiver alguma coisa mande pra gente. Forte abraço !

      Curtir

      1. Vocês esqueceram de um programa da radio cultura.
        Era tre ligada 8:30. Era aos sababos de manha. de 8:30 as 10:00 da manha Tocavam 3 musicas , e voce ligava para a radio
        votando na melhor. A que maior ponto obitia, rolava novamente.

        Curtir

    2. Hoje em dia eu ouço um programa numa emissora comunitária daqui de Venda Nova, que é nos moldes desse programas da rádio cultura am 830. Chama-se Reciclágem Musical. O apresentador se chama Petronio Guedes e ele tem a manha mesmo. Sabe tudo de musica. Rock in roll genuíno, mpb e muito mais. Ouçam a Liderança

      Curtir

      1. Conforme eu disse antes, o programa é sensacional. Tenho certeza de que não tem outro igual no rádio mineiro. O apresentação tem uma voz inconfundivel e nos passa a certeza do seu conhecimento musical apurado. 97,7 todos os sabados a partir das 13:00hs. Ouçam e depois digam se eu tenho ou não razão.

        Curtir

    3. Existia na mesma um programa chamado Back Ground cuja a música de abertura era um solo de guitarra e vocais, alguém sabe qual a musica e o conjunto

      Curtir

      1. Não é Ten years after, tenho toda coleção de vinil e de todos os CDs, do Ten years After e do Alvin Lee na carreira solo…além deles, Status Quo , Thin Lizzy, Slade, Uriah Heep, Fandango, Zztop, Wishbonne ash, Manfred Man entre outros

        Curtir

      2. não é Ten Years After, tenho o vinil e o CD ”Space in time ” e a música I’d love no change the world não é a do abertura…

        Curtir

      1. Curti muito a CUUULTUUURA quando era adolescente/jovem. Fiquei muito feliz por ela ter sido comprada pela Rede Catolica.
        Pois ao contrario foi quando a grandiosa RADIO TERRA foi comprada por pentecostais evangelicos.

        Curtir

      1. Prezado Tom, como todo estudante pobre daquela época, tinha de maximizar o uso das pilhas (diziam que se colocasse na geladeira aumentava a vida útil) e para dar um up-grade no som, colocava uma lata de óleo de cozinha na frente da saida de som do rádio (o meu tb era um Sharp) e isto, “amplificava” e turbinava a potencia das musicas da Cultura. Gostaria de saber se voces se lembram do nome do programa que passava aos sábados 18 as 20 hs. um flash back muito bom. No domingo a tarde também tinha uma sessão rock muito boa.Obrigado.

        Curtir

      2. Oi Fábio,
        o programa era o “Background” – vinheta maravilhosa, com a música do Ten Years After, I’d Love to Change the World. Inesquecível. Em geral o Jorge Márcio apresentava.

        Curtir

      3. Sumiu Tom , uma vez fomos a armário Palowa numa reclamação minha e o dono da mesma queimou a boca com café quente quando nos viu, lembra ? ” por fora bela viola e por dentro pão bolorento ” ….kkkkkkkkk

        Curtir

      1. Eu estudava em BH nessa época( 77/80) , no CMBH, local desta filmagem.Ouvia a Cultura direto , através dela que comecei gostar de rock , principalmente os progressivos . Quando tocava ” Fanfarre for te common man” com ELP , arrebentava.
        Voltei muito no tempo agora. Parabéns Mauro.

        Curtir

      2. Prezado Geraldo Silva,

        Com certeza, a música Amazing Grace encerrava a programação da rádio Cultura no final da década de 70. Porém, não descarto a possibilidade de ter ocorrido uma alteração da música ao longo do tempo.

        Este fato ocorreu com o programa Top Hits, apresentado pelo Oliveira Rangel. O programa iniciava pontualmente às 18:00 com a música Blue Wind do Jeff Beck e por muito tempo foi encerrado pela música Ommadawn do Mike Oldfield, posteriormente substituída pela música Light up do grupo Styx.

        Era muito legal, colocavam a música Ommadawn na parte que antecedia a entrada dos pan pipes e deixavam tocar até a entrada da hora do Brasil.

        Curtir

      3. Me lembro da Geraes, tinha uns 20 anos quando pintou aquela fm, só com música boa, sem comerciais. Pra quem passou a infância e boa parte da adolescência tendo a cultura como companheira, é bom saber que mais pessoas viveram as mesmas emoções!

        Curtir

  2. Boa tarde galera que gostava da Cultura Am 830, por acaso algum de vcs participaram das gincanas promovidas pela Radio Cultura aqui em BH ? Se participaram, de qual equipe eram, e alguem lembra do nome da musica que anunciava as tarefas da gincana ?….Abraços e muito Rock in Roll a todos….

    Curtir

    1. oi amigo a musica naõ me lembro o nome,só sei que o shaolim pegou um compacto desta musica e colocou, quando geraldaõ falou:TEMOS de locolar um bg para a gincana ele shaolim disse: quetal esta? colou.

      Curtir

    1. Legal Paulo,

      Conte mais sobre estes dois programas – eu não me lembro. Eram em que horário ? Como fucionavam? Você tem Fotos? Tem toda uma turma aqui louca para “matar a saudade” daqueles tempos.

      Um Abraço,

      Mauro

      Curtir

      1. Na época do Telefone Colorido a Rádio Cultura já não era a mesma. E,Justiça seja feita, do jeito que foi colocado deu a entender que a Igreja Católica foi a culpada pelo fim dos bons tempos da Cultura, mas não. Quando ela foi comprada a Cultura já tinha mudado.

        Curtir

    2. Eu me lembro sim do Adelício Matina que tinha vindo da rádio Atalaia. O telefone colorido também foi apresentado pelo Ronaldo Carvalho. O Adelício no toca tudo primeira parte, e a tarde o cultura é só sucessos e o toca tudo segunda parte com o Ricardo Nascimento. Tivemos também o Locutor Apolo Ferreira…

      Curtir

    1. Você tem inteira razão, o Geraldão era o programador da Cultura e um dos responsáveis, se não o principalresposável pelo som da Cultura.Achei na Internet uma tese que resgata a importância do Geraldão – veja aqui na Vitrolola, em breve, um abraço.

      Curtir

  3. TENHO HOJE 55 ANOS, MUDEI DE BH AOS 17 ANOS PRA SAMPA VIVI A CULTURA NOS ANOS 70. CONHECI A RADIO, CONHECI GERALDAO ANTIGO LOCUTOR, ESTUDEI NO NOSSA SRA DA CONCEICAO NA ALEM PARAIBA. TENHO SAUDADES DESTE TEMPO, POREM AQUI EM SAMPA SE VCs CONSEGUIREM CONECTAREM ATE VIA INTERNET RECOMENDO A KISS FM, 102,1.
    E A SEGUNDA RADIO CULTURA DA MINHA VIDA. ESPERO TER VALIDO A DICA.
    ABRACOS

    Curtir

  4. Tenho 54 anos. Acompanho rádio desde os 15! A Cultura realmente era uma rádio que trouxe as novidades do mundo musical principalmente da “Motown Music” dos Estados Unidos. O Programa “Ritmos da Noite” na realidade focava exclusivamente estas canções da Motown dos anos 70! Era apresentado todas as noites me parece a partir das 22:00hs até as 23:00hs. pelo Geraldão(Geraldo Ferreira). O “Back Ground” ia ao ar sempre aos Sábados a partir das 20hs com o melhor do “flashback”. O Geraldão foi realmente um ícone na cultura local em Belo Horizonte. Os locutores, inclusive Jorge Márcio, que depois atuou na antiga Rádio Cidade, que era localizada onde é hoje, o Mirante no Alto das Mangabeiras em BH, perto do Palácio do Governo de Minas, hoje o prédio está totalmente desativado, ou seja não existe mais. Sua última atuação foi na Rádio Alvorada FM(94,9MHz) de BH onde depois do assalto que infelizmente o prejudicou na carreira. Na minha opinião o melhor locutor de rádio de todos os tempos aqui em BH. Com relação a sua morte, não tenho noticias mas vou fazer um contato telefônico com o Adilson, programador da Alvorada FM e tomar conhecimento. Faz um certo tempo, a Alvorada ainda utilizava a voz de Jorge Márcio em algumas chamadas da rádio. E de repente parou de apresentá-las substituindo por novas chamadas do Márcio Seixas(Herbert Richers).Espero ter colaborado com o blog! Grato..

    Curtir

    1. Obrigado pelos comentários. Estou vbiajando, de férias e retorno na semana que vem com mais novidades. Todas as\contribuições são bem vindas. Vamos tentar reconstruir/recontar um pouco da história de BH – anos 70-80. Quanto a material do João Boamorte só tenho em mp3 alguma coisa. Um abraço,

      Curtir

    2. Oi pessoal, sou a Fernanda, uma das filhas do Jorge Márcio, estou muito feliz e lisonjeada com os comentários sobre meu velho, e ele ainda está vivo, apesar do infeliz acontecimento passado. Meu pai sumiu porque não foi possível continuar a carreira após o acontecido devido as sequelas deixadas. Ele sempre lembra com imenso amor e carinho daquela época, ele tentou reunir áudio gravados na época, sem sucesso, o maior desejo dele é poder ouvir uma programação daquela época. Muito obrigada a todos! Meu pai está a disposição para falar sobre aquela época.

      Curtir

    3. Oi Elder, sou a Fernanda uma das filhas do Locutor Jorge Márcio, realmente depois do infeliz acontecimento meu Pai ficou impossibilitado de continuar atuando nas rádios, devido a sequelas, mas Graças à Deus ele continua vivo. Caso tenha interesse em saber mais informações meu e-mail é fernanda.damasceno@gmail.com, posso agendar uma entrevista com o próprio Jorge Márcio. Att.

      Curtir

  5. Oi gente, tudo numa boa, meu nome é Marcos e gostaria de saber se tem alguem que tem o disco Radio Cultura ou sabe mim informar onde posso compra esta raridade, pois gostaria tem aguelas musicas voces lembra: Radio sucesso, pam pam bem o resto voces ja sabem.
    Se tem alguem que tem este Disco ou ja passou ele pra um CD que tal a gente entrar em contato.
    O meu email esta em baixo, é ver se tem alguem que ainda lenbra dos bons momento das nossa vida hem?

    Curtir

    1. oi marcos depois de ler voce aqui no blog resolvi colocar o disco no you tube eu tenho um lp da cultura com musicas e varias vinhetas ok moro em sete lagoas escutava a cultura todos os dias principalmente “telefone colorido” tinha uma vinheta do numero do telefone da radio que nunca esqueci assim “442 3445” lembro

      Curtir

      1. Ô Gilson,
        Vê se posta logo este LP. Estamos todos ansiosos. Se você quiser me envie o arquivo que eu disponibilizo aqui para todo mundo. Um abraço.
        Mauro

        Curtir

  6. Ola marcos, o disco em si, não possuo, mais ai vai algumas musicas que tem nele : 1 Manfred Mann – Drowning on dry land
    2 Rainbow – Stargazer
    3 Climax Blues Band – Making Love
    4 country joe mcdonald – coyote
    5 Moody Blues – Driftwood
    6 Rush – Anthem
    7 REO Speedwagon – Roll With The Changes
    8 Meat Loaf-Bat Out Of Hell
    9 Jefferson Starship – Love too good
    10 Triumvirat – I believe
    11 Eddy Money – Two Tickets To Paradise
    12 Kansas – Point of know return
    13 Journey – Anytime
    14 Van Halen – Jamie’s Crying
    15 Neil Young – Hey, Hey, my, my
    16 Lake – On The Run
    17 Genesis – The carpet crawl
    18 Chuck mangione – feels so good
    19 J B Pickers – Freedom of expression
    20 Joe Walsh – Life’s Been Good

    existe um outro com musicas do LED, IRON, BLACK, PINK FLOYD, JEFF BECK…ai é so vc dar mais uma pesquisadinha…espero ter ajudado.
    PS: Vc consegue baixar estas musicas na internet…

    Curtir

      1. Ok….então vc tem pelo menos a capa ou sabe como era a capa do disco?….vou pesquisar pra vc se vc tiver…Abraços!

        Curtir

  7. Tomei a liberdade de postar aqui,, pois muita coisa anda me incomodando no atual cenario das emissoras de radio am/fm aqui em BH. Infelizmente so nos resta a memoria para trazermos de volta lembranças de tempos que não voltarão. Quanto a isso, gostaria muito de saber, se alguem possui em arquivo mp3, de alguma vinheta da saudosa cultura am, e tambem da saudosa FM Itatiaia. Gostaria tambem de saber como era o nome do programa de flashbacks da cultura am entre 1985 e 1989. (Se não me falha a memoria – ”BONS TEMPOS”) obrigado pela oportunidade, em breve gostaria de postar algo mais. abraços!!!!!

    Curtir

  8. Prezado Daniel.
    Aqui neste link você tem a resposta do nome do programa que se chamava “CASH BOX” do Jorge Márcio e o Oliveira Rangel.
    Esta é a parte que copiei do blog:
    ´Pérolas da Rádio Cultura
    Alguém ai se lembra da Rádio Cultura?
    Na década de 70 só rolava Rock& roll,as duas horas da tarde começava o programa CASH BOX ,o tema de abertura era a música Heya,não dá pra esquecer.O programa era feito por Jorge Márcio e Oliveira Rangel,esta dupla sim ,sabia tudo de rock & roll.
    As 22:00 horas rolava o Rítimos da Noite,também só com som de qualidade,e o tema de abertura era do Creedence com a música I Heard It Through the Grapevine.
    As músicas Heya com J.JLight.
    Blue Wind com Jeff Beck.
    I Heard It Through the Grapevine com Creedence
    Se voce quizer mais alguma informação sobre esta época de ouro do rádio mineiro,visite este link
    http://fuxucamarimbondo.blogspot.com/2008/02/heya.html
    Espero ter colaborado….Elder / Belo Horizonte

    Curtir

  9. Prezado Mauro Kleber.

    Tomei a liberdade de postar o nome de mais algumas músicas.
    Espero que o pessoal aproveite.

    21 Supertramp – Try Again TR
    22 Yes – Turn of the century RT
    23 Jeff Beck – Blue wind Tema de abertura do top hits
    24 The Who – Who Are You
    25 poco – crazy love
    26 Peter Gabriel – Games without frontiers RT
    27 David Gilmour – Cry from the street RT
    28 Eagles – those shoes RT
    29 The birds – Turn, turn, turn
    30 Cheap Trick – Surrender RT
    31 Alan Parsons Project – The eagle will rise again No início da musica o Jorge Mácio falava pausadamente e ao compasso da música: “Alan – Parsons – Project”
    32 Passport – Ataraxia TR
    33 Gerry Rafferty – Baker street RT
    34 Mike Oldfield – Ommadawn Tema que, por um período, encerrava o programa top hits
    35 Sweet – Love Is Like Oxygen
    36 Jane – Comin’ again RT
    37 Bob Seger – Still the same RT
    38 Uriah Heep – Fallen angel RT
    39 Nazareth – Hair of Dog RT
    40 Giorgio Moroder – From here to eternity TR
    41 Commodores – Flying High RT – Nesta música, o Jorge Márcio, dizia o nome dos bairros de BH, como se estivesse em “voando alto” sobre a cidade.
    42 JJ Light – heya hey Tema de abertura do Rock top. Ou seria top rock ?
    43 Premiata Forneria Marconi – Celebration RT
    44 Styx – Queen of spades RT
    45 Creedence Clearwater Revival – Heard It Through the Grapevine Tema do programa rítimos da noite
    46 Jean Michel Jarre – Oxygene 4 TP
    47 Exile – Kiss You All Over tradução da Cultura: ” Vou te beijar Todinha”.
    48 Eric Clapton – Promisses
    49 Gordon Lightfoot The Circle Is Small TP
    50 Klaatu – The Loneliest Of Creatures TP
    51 Amazing grace Tema de encerramento das transmissões

    Curtir

    1. Jota ,
      Não só aprovo, como vou aproveitar a sugestão e “produzir” um CD com a seleção feita por você. Depois eu posto o link para quem quiser baixar,

      um abraço
      Mauro

      Curtir

      1. Mauro,

        Antes que alguém reclame, gostaria de esclarecer que não inclui as músicas do Led Zeppelin, Pink Floyd, Deep Purple e muitos outros “monstros sagrados do rock”. Sobraram muitas músicas e também não repeti o Artista/grupo, ou seja, podemos multiplicar por 10 (no mínimo) o número de músicas que faziam parte da programação.

        Obrigado.

        Curtir

  10. Jota, Espero que produza este CD o mais rapido possível, pois será um sonho poder recordar todas aquelas musicas que nos embalavam no seculo passado….por favor faça o mais rapido possivel e nos avise…OBRIGADO !

    Curtir

  11. Mto bom…mais esou aguardando o apanhado musical que vc disse para poder colocar em meu pen drive…quero fazer download rapidinho daquelas musicais memoraveis…aguardo ! Abraços…

    Curtir

  12. Há tempos procurava notícias de Jorge Márcio, cujo apelido era “GIBÃO”. Eu o acompanhava na extinta Rádio Cidade -FM, 90,7. Que saudade… Também curtia muito a Beth Maia na mesma emissora. Fiquei muito triste com a notícia da morte do Gibão. Sei onde reisde um primo dele e vou tentar localizá-lo, para confirmar a notícia. Emissora muito legal nesta época era a Musirama, de Sete Lagoas.Um grande abraço a todos!

    Curtir

    1. Washington, Morei em BH e mudei para Sete Lagoas em 1995; mas quando morava em BH já escutava a Musirama FM 92,1; Ela está no ar firme e forte, conheço o dono dela, o Sr. Geraldo Padrão, e a rádio continua muito eclética até hoje. Um abraço, e até mais!!!

      Curtir

    2. jorge esta vivo,os melhores locutores passaram na cultura.luziario,tarcisio lopes,josé algusto,claré,marcio seixas,mori,,jorge gomes,paulo leite,,jorge cure,amir francisco, oliveira rangel,jorge macio,zezaõ, zé carlos,milton teodoro,antonio roberto,barbosa neto.wellinton decastro.afoncinho,geraldaõ e outros.

      Curtir

      1. Afonsinho da Cultura é o mesmo Afonsinho músico que foi do Hanói Hanói e hoje está em carreira solo? Há muito tenho essa curiosidade.

        Curtir

  13. Olá pessoal !

    Tô meio sem sono, fui buscar minha filha no show do Roger Hodgson, então resolvi escrever sobre a rádio Cultura.
    Não sei se vocês lembram, mas a Cultura também tocava música nacional e, se não me falha a memória, estas 5 aqui faziam parte da programação:

    A cor do som – Abri a porta

    Fagner – Revelação (esta eu me lembro muito bem, pois o Oliveira Rangel fazia questão de dizer em alto e bom som “Raimundo Fagner”)

    14 Bis – Bola de Meia, Bola de Gude

    Zé ramalho – avohai

    Pepeu Gomes – Planeta Vênus (nesta eu estou com um pouco de dúvida, pois não me lembro o ano que a cultura parou de transmitir aquela programação)

    Até a próxima.

    Curtir

    1. sim, tocava muita musica nacional mesmo, Gilberto Gil, Milton Nascimento, Clube da esquina, quem não se lembra da musica…”eu sou nuvem passageira, que com o vento se vai…” bons tempos mesmo!

      Curtir

      1. Pois é Nilton, o tempo passa e de vez em quando a gente lembra de alguma música daquela época. Depois que eu enviei a mensagem, ainda lembrei de mais algumas: Tavito – Rua Ramalhete, Marku Ribas – Mente e coração, Lô Borges – Clube da esquina 2, Fátima Guedes – Cheiro de Mato. Também não podemos esquecer da música Nuvem passageira, do Hermes Aquino, que você citou.
        Precisamos combinar uma forma para te enviar o CD com as músicas.

        Curtir

  14. Ah, meu Deus!!!! Túnel do tempo, é a melhor expressão que tenho para definir este meu momento!!! De 1980 a 1983 estudei da 5ª a 8ª série à noite numa escola estadual no bairro Floramar onde morava, e todo santo dia da saída da aula até em casa eu ia com um radinho Phillips só AM (de duas pilhas pequenas) escutando na Cultura o programa Ritmos da Noite. Era Sagrado. Viajava. O programa era de segunda à sexta Lendo a Vitrola do Souza e os posts, milhões de boas recordações daqueles bons (ótimos) tempos vieram à tona. Foi uma grata surpresa encontrar estes sites aqui, com estes comentários.
    Depois vim também a trabalhar em rádio, na Del Rey FM (hoje 98) foi minha primeira experiência em 1988; eu fazia o programa Front Line, sextas e sábados das 22:00 às 00:00 hrs: O mesmo horário que antes na cultura eu ouvia o Ritmos da Noite!!! Coincidência ou não, só observei isso recentemente. Trabalhei também na 107.5 FM (chamava 107) até pouco antes dela ser vendida para os evangélicos; Um crime: Eles fizeram um culto e colocaram fogo nos discos todos da rádio. Destruiram tudo, Não deixaram ninguém pegar. Tinha raridade até dizer chega, pois o dono da rádio, que se eu não me engano tinha a haver com o dono do Promove, senão o próprio, ia sempre na Europa e voltava com muitos discos toda vez.
    Vamos lembrar também do Big Shaw, que fazia “O Rock que a Terra não esqueceu” na Terra FM 99.9; o estúdio ficava do lado do estúdio da Del Rey FM na Rua Doutor Camilo 187 Serra. Nos domingos a partir das 16:00 hrs ele tocava muitas músicas que foram do repertório da Cultura AM de épocas antes. O programa dele também era muito bom. Alguém tem notícias do Big Shaw? Nunca mais tive nenhum contato desde aquela época.
    Saudosismo!!! Se eu for escrever tudo daqueles maravilhosos tempos, acho que ocuparei mais bytes do que a internet inteira suporta.
    Um abraço a todos os locutores da época, e se alguém tiver notícias da Claudia Maia, do Silvio locutor da Del Rey, do DJ Alberto, DJ Pinguim, e muitos outros mais, informem.
    Ah, e com relação a Musirama FM: No início dos anos 80, a Musirama FM tinha um programa hiper bom que tinha uma audiência recorde inclusive em BH que era o Mister T (pronuncia-se Mister Ti) ele é americano, e na época morava no Brasil; ele falava com um sotaque muito carregado ( Hellow, meus amígos da musirrrrama…rsrsrs) e ele recebia de amigos discos direto dos Estados Unidos com as novidades na época; ele guardava os discos na casa dele e ia para a rádio com o repertório “debaixo do braço”, os discos que ele tinha eram de um valor inestimável na época. Ele voltou para os Estados Unidos não me lembro o ano (acredito que entre 1987a 1992); E agora ele voltou a morar em Sete Lagoas: Voltou ano passado (2011) e está morando no centro. Mas está aposentado e não quer mais fazer rádio, apesar de ter recebido alguns convites.

    Pessoal, é isto aí, um abraço a todos. Obrigado.

    Curtir

    1. Que excelente release que vc passou para nós, aficcionados da CULTURA, meu caro Ernesto, alias tenho um amigo xará seu que tb, curtiu mto a Cultura, resido no Bairro Santa Tereza e participei das gincanas da CULTURA nos idos dos anos 70/80, bota saudasismo nisto cara….Abraços!

      Curtir

    2. Depois que a rádio Cultura mudou radicalmente a programação, eu fiquei meio perdido e comecei a procurar uma nova rádio com aquele mesmo estilo. A primeira opção foi a Musirama, mas a recepção era muito precária e difícil, porém, numa destas tentativas eu me lembro muito bem de ter ouvido a música Mihalis do David Gilmour (vale a pena conferir).

      Quanto a rádio Terra FM, eu escreverei numa próxima oportunidade sobre as sátiras que eram muito engraçadas e as músicas que ficaram gravadas na minha memória.

      Curtir

      1. Músicas que tocavam na terra FM:

        Helix – Make Me Do Anything You Want

        Honeymoon Suite – Words In The Wind

        OMD – So in love

        Peter Gabriel – In Your Eyes

        Prefab Sprout – Bonny

        Rush – Middletown Dreams

        Curtir

    3. oi amigo que bom ter lido tudo que li,olha o bg shaw trabalhou comigo na radio cultura e em 2005 voltamos a nos encontra na radio inconfidencia,depois vim para a radio america e ele naõ sei,mais esta bem,ele é iramaõ do locutor lobaõ.um abraço do almir de araujo.filho do velho rai.

      Curtir

      1. Almir,

        Você tem contato com o Lobão? Levanta o paradeiro do Big Shaw. Eu o conheci na Terra FM quando ele herdou o programa do Adriano Falabella, o “Get Crazy”. Perdi o contato com ele acho que em 93. Tenho saudades daquele cara.

        E o Zé Augusto? Ele era diretor da empresa que englobava tanto a Terra quanto a Dei Rei (98) FM, não é isso? Alguém tem notícia dele?

        Abs,
        Salatiel Ribeiro

        Curtir

    4. Legal descobrir alguém que, assim como eu, já ouviu a Musirama nos anos 80, mais especificamente o Programa do Mister T. Pensava que era só eu em BH que ouvia. Você esqueceu de um detalhe: o Mister T depois foi para Rádio Terra. Não me lembro do nome do programa. Quanto ao Ritmos da Noite, da Cultura, a Rádio Favela tem (ou tinha) um programa especializado no funk verdadeiro sábado à noite que me faz lembrar o Ritmos da Noite. Mas eu não gosto muito de ouvir, pois nesse programa assim como os outros eles enchem as músicas de vinhetas. Não sou contra vinhetas, mas acho que eles exageram.

      Curtir

      1. Geraldo, Bom dia; Se não me engano, o Mister T (o nome dele é Thompson, por isso o “T”) na época quando saiu da Musirama ele voltou para os Estados Unidos, não teve programa na rádio Terra não; Vou perguntar para ele; ele mora aqui perto de casa; Mas o legal é que não sei se você está sabendo, mas ele está de volta: Ele voltou a morar em Sete Lagoas no começo do ano passado, e falou que não queria mais mexer com nada, nem com aulas de inglês (ele é o melhor professor que existe) nem com rádio; mas o “assédio” foi tanto que ele não resistiu e em fevereiro deste ano ele voltou com o programa “Mister T. nos balanços da noite” na Musirama 92,1, sextas, sábados e domingos das 22:00 às 00:00 hrs, às vezes passando um pouco deste horário; o programa dele está ótimo, mas às vezes ele está falando demais assuntos que não tem nada a haver; inclusive assim que eu encontrá-lo comentarei com ele a esse respeito. Hoje que é domingo você já pode escutar, eu não estou perdendo nem um dia, é sagrado. Se você mora em BH atualmente está melhor para sintonizar a Musirama pois o transmissor está mais potente; tem também a internet, mas na internet a rádio está com um “eco” que faz com que a “recepção” fique de bem baixa qualidade, o melhor mesmo é o rádio; Um abraço, e depois conversamos mais.

        Curtir

  15. Nossa, vc já produziu o CD ? Cara é só marcar algum lugar pra gente se encontrar, inclusive podemos ate combinar do pessoal que posta aqui se reunir em algum buteco de BH pra podermos relembrar daqueles aureos tempos….marca ai o mais rapido possivel e vamos combinar com o restante do pessoal….Abraços!

    Curtir

      1. Aproveitando, se alguém daqui tiver algum contato com aqueles “caras” da Cultura, poderíamos combinar de chamá-los tbm….Opção do encontro: Algum buteco de Santa Tereza/BH.

        Curtir

      2. ola que alegria ler tudo que li sou ALMIR DE ARAUJO o filho do velho apelido que jorge marcio me deu.eu fui oprador destas feras de 80 a 98 a radio era no doncabral hoje estou a radoi america de 12 as 18 hs um abraço.

        Curtir

      3. estou muito feliz de ler tudo que li aqui,vivi a epoca mais linda do radio,eu Almir de araujo fui operador da Radio cultura nos anos 78 a 93 trabalhei com jorge marcio Oliveira rangel.Amir francisco mori mitle. geraldaõ .zezaõ. zé carlos. milton teodoro,paulo leite,operadores joaõ de castro (chaolim)FRANC que esta fora do brasil.encontro sempre com o Geraldaõ ele fala pra mim que fez um radio que ele naõ ouviu,fico relembrando com ele aquele tempo que só nos vivemos um abraço do amigo Almir filho do velho de Araujo.

        Curtir

  16. “O outro locutor famoso na rádio era o Oliveira Rangel que falava: -Cuuullturaaa…” – você está cometendo um equivoco o locutor de todas as vinhetas e aberturas da Rádio Cultura era o Daniel Barros e eu atesto pois gravei algumas com ele e ele está aqui do meu lado. E tinha também, im memorian, o Jorge Preto ( que não é o Jorge Márcio aquele do São Benedito – ele quando ia gravar pedia para baixar o São Benedito) que trabalhou na mesma época. Mas sem dúvida a Rádio Cultura era muito melhor que muitas ou todas as FMs atuais. Meu nome é Divino sou proprietário do Estúdios Replay e trabalho com áudio desde 1977.
    Contato: replaydc@terra.com.br

    Curtir

  17. adorei a lembrança de ¨SEU RÁDIO TÁ PEGANDO FOGO BICHO?¨ e com 14 anos a minha cabeça realmente pegava fogo junto com a rádio. EU ERA FELIZ E NÃO SABIA.

    Curtir

    1. Pois é Aníbal. Éramos todos felizes, só não imaginávamos que aquilo tudo acabaria.
      Eu e o Nilton estamos querendo marcar um “encontrão” para recordar aqueles tempos e todos estão convidados.

      Curtir

      1. Quem quizer participar do ENCONTRÃO DA CULTURA AM , poderá deixar o nome aqui e EU e o JOTA, iremos combinar um lugar pra gente se encontrar…..Favor deixar o Bairro onde residem para gente escolher um lugar mais proximo possível da maioria….

        Curtir

    1. Almir, vc deve se lembrar concerteza das gincanas e as noites mal dormidas por causa delas, e entre uma musica e outra o zezão, ou geraldão entravam com vinhetas inesqueciveis…vê se adere ai ao nosso encontro, que eu e o jota estamos tentando realizar, pois vc é icone vivo daquela epoca de ouro da cultura….vlw!

      Curtir

      1. NILTON estou muito feliz,eu me lembro de tudo. as 17:30 o oliveira rangel mandava eu tocar a musica para as meninas da savassi. eu colocava o bob marley.o oliveira me chamava de Almir filho do velho,pois meu pai trabalhava na itatiaia,muito obrigado pelo icone,olha o jorge esta bem,geraldaõ,o shaolim,o paulinho nasarito,zezaõ ,amir est na inconfidencia,eu gostaria de encontrar com os ouvintes dos boms tempos.olha a gincana foi tao bacana que naquela epoca namorei uma gata e estou casado com ela ate hoje um abraço do amigo Almir de araujo.

        Curtir

      2. Meu Deus….como é bom receber este tipo de notícia caro Almir, primeiro PARABÉNS pelo casamento, pois naquela epoca as “meninas” eram todas pra casar mesmo…hehehehe, em segundo, lembro sim, das musicas enviadas pras meninas da Savassi, nós que participavamos da Gincana naquela epoca, frequentavamos outras equipes, e esta que vc citou tinha como base o SAVASSINUCA, nunca me esqueço disto…..EPOCA DE OURO ! Vê se adere à ideia de fazermos um encontro com o pessoal aqui do Blog…Abraços sinceros !
        PS: Tbm conheço um casal que se conheceu nas Gincanas da Radio Cultura e hoje são um casal bem realizado na vida juntos sendo inclusive proprietários de uma maravilhosa Pizzaria no Bairro Pompeia em BH/MG !

        Curtir

      3. Mauro, me desculpe. Sua presença no “encontrão” é fundamental. O que eu queria mesmo era “provocar” os outros Colegas do blog.

        Curtir

  18. que bacana!! eu era fã desta rádio e não perdia um programa do “rock sessão das duas” Adoro o tema de abertura, Heya, que só fui ouvir em rádio novamente em um programa na semana passada na radio CDL fm.

    Curtir

    1. Olá Fernando,

      as músicas do triumvirat que tocavam na cultura e ficaram gravadas na minha memória foram:

      I believe

      Panic on 5th Avenue

      Journey Of A Fallen Angel

      The Rich Man And The Carpenter

      The deadly dream of freedom

      For You

      Curtir

      1. Jota bom dia cara ! Pra ser sincero, so depois de ouvir Triumvirat, Alan Parsons Project, Renaiscense, Pink Floyd e outras bandas progressivas na Cultura foi que eu comecei a comprar LP’s destas bandas na loja DISCOTECA, lembra dela ? ….
        Não se esqueça do encontro, vamos fazer ou não ? Abraços……SEU PC TA PEGANDO FOGO, BICHO ?…..

        Curtir

      2. Tô lembrando das músicas como se fosse hoje!! durante a programação sempre entrava também uma vinheta assim: Culturaaa toca toca…dai começava a música. A fase do telefone colorido já foi quando a rádio mudou drasticamente a programação, abandonando o rock. Cheguei a ganhar alguns compactos em promoções da rádio mas,na época eu buscava lá na rua itatiaia no bonfim. A loja discoteca, eu lembro dela ali na rua rio de janeiro, junto à galeria praça sete e também na rua goitacases perto da C&A. Depois várias filiais se espalharam pela cidade. Na savassi, tinha a inesquecível Bob Tostes discos e fitas e, depois, já no Shopping center de Belo Horizonte, como se chamava o atual BH Shopping, tinha uma lojona da Hi-Fi.

        Curtir

      3. Fernando Ribeiro,

        Quanta saudade da Belo Horizonte antiga !!

        Da Pop Rock ali na rua Tupis, caixa de música, Hot Som na galeria do Ouvidor, Prodel, cogumelo e também da câmbio negro na galeria da praça sete.

        Curtir

      4. Esta ai eu ate lembro a traduçao. Panico na quinta avenida. Era demais esta epoca. Volta cultura voce esta fazendo falta. Tinha uma musica que era mais ou menos traduzida assim. ( So que dizia volta bicho paraece que e a musica charlie eu acho que o titulo era este.

        Curtir

      1. Kraftwerk do autobahn (som do cometa – Kometenmelodie 2), Radio-Activity, The Man Machine (The Robots – tocou muito na cultura), Computer World.

        Curtir

  19. Isto mesmo, era o ponto de encontro da moçada que curtia um bom e velho Rock in Roll, tbm ganhei alguns compactos da Cultura, mais o que valia a pena mesmo, era dormir ouvindo o RITMOS DA NOITE…putz como era bom nossa epoca !

    Curtir

  20. Claro Jota, todos os sons alternativos e progressivos na epoca, so tocavam aqui na Cultura AM, por isto esta paixão pela emissora…não esqueçamos do SUPERTRAMP, e ate do JAMES TAYLOR, por que não….as primeiras musicas dele ouvi na cultura e ainda po cima fui assistir HAIR no cine Pathe na savassi, por causa das musicas….Aquarius…kkkkkkkkk

    Curtir

  21. Caraaaamba!!
    Emocionei quando por acaso encontrei esse blog!
    Vivi uma das melhores fases de minha vida, curtindo a Rádio Cultura AM.
    Estou com 59 anos e essa Rádio e seus locutores… Geraldão e Cia estão cravados na minha memória!
    Parabéns!

    Curtir

      1. Mauro, antes de mais nada…PARABÉNS por vc ter feito ou descoberto, sei lá, esta maravilha de LP, já fiz o download e ouço no meu carro direto, segundo tenho que lhe agradecer tbm por não deixar a memória de nossa querida RADIO CULTURA desaparecer…faça o nº 2 rapido cara..hehehe…Abraços !

        Curtir

  22. Prezados,
    que alegria ver todos esses depoimentos em torno da Rádio Cultura. Também estava na BH dos anos 70 e 80 curtindo Jorge Márcio, Geraldão, Ritmos da Noite…
    Fiz em 2007 uma entrevista com Geraldo Ferreira, o Geraldão, publicada em “Rádio em Revista”, número 4, do Departamento de Comunicação Social da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (Fafich) da UFMG. Coloco a cópia do texto abaixo. Também tenho o disco de 1980, o “Rádio Sucesso”. Antes a emissora tinha lançado o “Cultura Programa 1” e o “Cultura Programa 2”. Fiz uma entrevista com Jorge Márcio em 1985 que infelizmente perdi. E recentemente fiz contato com fabuloso Oliveira Rangel.
    Abraços,

    >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

    https://docs.google.com/open?id=0B5pl_g9drL4wRjNNcUFqaGRJclE

    Curtir

    1. Ô Elton,

      Se você não tiver o LP de 1980, “O Rádio Sucesso” em mp3, mande para nós a lista de músicas que eu tento produzir um CD similar para nós. Se possível mande também um scan das capas. O mesmo para os outros dois, o Cultura Programa 1 e Cultura Programa 2. É bom ter você neste grupo de saudosos da Cultura. Não consegui abrir o link, por favor confira se está correto. Um abraço, Mauro Kleber

      Curtir

      1. Oi Mauro,
        o link tá correto. Estou fora do país mas assim que puder mando a capa e a lista das músicas.
        Abraço,
        Elton

        Curtir

      2. O disco é aquele que tem uma imagem de um cachorro na capa, é apresentado com algumas vinhetas da rádio com destaque para e as músicas Geno, com o Dexy’s Midnight Runners, More Love, com Kim Carnes.

        Curtir

    2. Oi Elton Antunes,

      Sou a Fernanda filha do Jorge Márcio, se quiser outra entrevista com o Jorge Márcio, estarei a disposição para agendar nova entrevista (fernanda.damasceno@gmail.com) .

      Você tem mais algum material da época? Ficaria muito feliz em obter.

      Curtir

  23. Povo da saudosa Radio Cultura, fuçando a internet, encontrei isto aqui, vejam se interessa :

    Oldies: Big Boy: A Mundial é show musical

    Faixas/Tracks

    1. Charlie – Whisky David

    2. I’m so Happy – Trio Galletta

    3. My Pledge of Love – Joe Jeffrey Group

    4. Girl I’ve got news for you – Mardi Gras

    5. Venus – Schocking Blue

    6. Baby Come Back – The Equals

    7. Hanky Panky – Tommy James and the Shondels

    8. Nobody But Me – Human Beinz

    9. That’s What I Want – The Square Set

    10. Woman – Barrabas

    11. Vietnam – Jimmy Cliff

    12. In the Summertime – Mungo Jerry

    13. Heya – J.J. Light

    14. I Heard it through the Grapevine – Creedence

    15. I put a spell on you – Manfred Mann

    16. San Francisco Nights – Eric Burdon and the Animals

    17. Spill the Wine – War

    18. Mamma told me not to come – Three Dog Night

    19. Crimson and Clover – Tommy James and the Shondels

    20. The Weight – Band

    21. I’d Love to Change the World – Ten Years After

    22. Long Cool Woman (In a Black Dress) – The Hollies

    São faixas do LP do BIG BOY entitulado : OLDIES, que podem ser baixadas no blog : Raras Músicas
    Just think about music

    espero ter contribuido um pouco para que nós saudosistas da antiga Radio Cultura AM 830 BH/MG possamos matar um pouco da saudade. Abraços.

    Curtir

      1. Mauro, putz cara, vc tem um blog melhor que o outro…Parabéns, então, quando vai sair do forno o disco nº 2 ….estamos esperando….Abraços!

        Curtir

    1. Estou lembrando de umas bandas aqui, que poucas pessoas conhecem nas a cultura me proporcionou muitas alegrias ouvindo esta bandas principalmente no programa que ela tinha as 14.00 horas, bandas como A banda holandeza Golden Eearing, as bandas Amon dull. Focus. Nektar. Guru Guru. Ufo enfim bandas que hoje radios ditas grandes jamais tocariam.

      Curtir

  24. Moçada, fiquei passado aqui, com tanta gente falando e lembrando da Radio Cultura, na minha opinião até hoje a melhor rádio que o Brasil já teve. Sou de BH e, como vários relataram aqui, escutava a Cultura toda noite, com um radinho de pilha debaixo do travesseiro – um radinho que ganhei de natal do meu pai em 1973, com nome gravado e tudo o mais… Então, estudei no CMBH e tinha um povão que adorava a Cultura, a gente se encontrava para ficar horas escutando os LP’s e compactos que a gente escutava primeiro na rádio; passávamos finais de semana fazendo isso, cada final de semana na casa de um. Em 1979 fui para Ouro Preto estudar e, aí, a vida já mudou e do fim do curso prá frente só morei longe de BH, mas nunca esquecendo a terra boa e rádio idem. Tipo em 1978 ganhamos um som que tinha rádio FM e aí escutávamos também a Rádio D’el Rei. Obrigado a todos por esta viagem sentimental, achava que ninguém mais falasse destas coisas boas. vou copiar os links e as listas de músicas, baixar tudo o que puder. Esta rádio, de fato, forjou o bom gosto musical de uma pá de gente. Abraços!

    Curtir

    1. Werley, bom dia cara ! Será que não ficou alguma coisa ai na rádio, da antiga Radio Cultura dos idos dos anos 70 e 80 ?…Dá uma vasculhada ai, quem sabe não sobrou alguma gravação daqueles tempos e vc consegue passar pro MauroKleber aqui no Blog para ela divulgar pra nós amantes da saudosa Radio Cultura….Obrigado e Abraços!

      Curtir

  25. Pô, vocês mataram o Gibão!!! O Jorje Márcio está vivinho da silva, mora no Santa Inês, mas hoje atende pela alcunha de Prachedes. É, felizmente, meu sogro! Pai da Ana Paula Damasceno (minha esposa) e de mais uma porrada de filhos criados. Vive muito bem com seu ipod no ouvido.
    Será um grande prazer repassar para ele tudo que li aqui, e espero continuar lendo, sobre este ícone da rádio mineira.
    “Seu rádio continua pegando fogo?”

    Saudações,
    kiko Torres

    P.S.: O Jorje Márcio ficaria muito agradecido a vocês se, daqui para frente, vocês o tratassem como Prachedes (nome que ele adotou enfaticamente… coisas de pop star, sei lá.)

    Curtir

    1. Kiko,

      Bom saber que o Jorge Márcio (Prachedes) está vivo e na ativa. “A Turma da Cultura” vai ficar feliz em saber. Quem sabe você não pede a ele para mandar para nós algumas fotos,contar alguns casos, alguma gravação daqueles bons tempos ? Seria um grande prazer para muito de nós, por que infelizmente o nosso rádio atual não continua pegando fogo…

      Um forte abraço e obrigado pela contribuição

      Mauro Kleber

      Curtir

    2. Noticia melhor não poderia esta lendo pois sou fan do trabalho do Jorge Prachedes Márcio o the best dos locutores que ouvi.

      Tem como me enviar algum contato do Gibão / Prachedes?

      Desde ja agradeço.,
      Att.,
      Eduardo

      Curtir

  26. Então mande um abração pra “PRACHEDES” e vê com ele se ele topa participar de um encontro que o Mauro, Eu e mais alguns aqui estamos querendo realizar, em data e local indefinido ! Abraços a vc e ao Prachedes !

    Curtir

    1. òla estou aqui denovo,o rock com o meu amigo gibaõ era de 14:00 as 16:00 hs depois o rangel as 18:00hs vinha com o top hitis o ritimos da noite éra com o geraldaõ, de 22:00as00:00,depois éra cultuta de noite,até 01:00 com o mesmo big boss geraldaõ. os noticiarios éram com o rangel.nos boms tempos o time éra eeeesteeeeeeeste..dede

      Curtir

      1. de 06:00 as 10 zé augusto,de 10:00as 14:00hs Amir francisco de 14:00 as 18:00 jorge marcio,de 18:00hs as 19:00 o rangel este éra gravado o rangel gravava o top hitis,o geraldaõ éra de 20:30 as 01:00 de 19:as20:00 a voz do Brasil de 20:00as 20:30 progeto minerva.o muri fazia a noite quando o geraldaõ folgava.o Antonio roberto negativo éra folguista.depois vieram,zézaõ,paulo leite,super zé,milton teodoro,zé carlos,,jorge gomes,,jorge cunha, e outros.um abraço do Almir filho do velho de Araujo.

        Curtir

  27. alo pessoal eu tambem amava a cultura daquela epoca o programa que mas ouvia erada parte da manha ‘TINHA UMA VINHETA QUE NUNCA ESQUECI ASSIM ‘telefone colorido’ DEPOIS O TEL 4423445 CANTADO ERA INCRIVEL ATE HOJE A JENTE SE LEMBRA E EMOCIONA OLHA EU TENHO UM LP DA RADIO CULTURA AM BH E NELE TEM AS MUSICAS E COMEÇA COM AS VINHETAS VOU PASSALAS PRA MP3 E COLOCAR UM LINK AQUI A QUEM DEWSEJAR OK MEU NOME E GILSON DE SETE LAGOAS

    Curtir

  28. Muito bacana esta retrospectiva. Parabéns a todos. Eu gostaria de lembrar também, que a rádio quando fechava sua programaçao a meia noite, toca Paul McCartney (mull of Kentyre) e de na ultima fala de cada sexta feira, o poema (não sei de quem) que falava “Por que hoje é sábado”.

    Curtir

  29. Olá para todos!

    Meu nome é Tino e, como mais um saudosista da Rádio Cultura, gostaria de dar minha contribuição ao blog incluindo duas músicas que tenho e que fazem parte de um disco lançado pela rádio.

    David Ruffin – Blood Donors Needed
    Patti Drew – The Mighty OJ

    Aproveito a oportunidade para fazer uma pequena chantagem: se não me convidarem para o encontro, não contribuo mais!

    P.S.: Tenho mais duas músicas que compõem o disco acima citado, mas não tenho o nome dos intérpretes…

    Curtir

  30. CULTURAMANIA

    12 BOLACHAS EXCLUSIVAS DA RÁDIO CULTURA DE BELO HORIZONTE

    SELEÇÃO DE REPERTÓRIO: ADEMIR LEMOS

    ANO 1976

    LADO A

    01 – SHOTGUM SHUFFLE – SUNSHINE BAND

    02 – LOVE AND UNDERSTANDING – KOOL THE GANG

    03 – YOU MEAM THE WORLD TO ME SWEETHEART-RONNIE L

    04 – BAND OF GOLD – ARMADA ORCHESTRA

    05 – STING YOUR JAWS PART 1 – ULTRA FUNK

    06 – DO IT YOURSELF – NAPOLEON JONES

    LADO B

    01 – BOHANNON’S BEAT PART 1 – HAMILTON BOHAHHON

    02 – COME ON DANCE WITH ME – FAMILY PLANN

    03-FAMILY AFFAIR – VEIT MARVOS

    04 – MIGHTY O J – PATTI DREW

    05 – KEEP IT UP – MILTON WRIGHT

    06 – BLOOD DONORS NEEDES -THE ELIMINATORS

    Curtir

  31. Olá pessoal,saudosistas de plantão.
    Meu nome é Jairo e sou proprietário da culturawebradio.com.br uma singela homenagem aos bons tempos da radio Cultura AM830.
    Uma coisa que esqueceram de comentar é que naquela época a Cultura era a única rádio que traduzia os nomes das músicas por ex. The Hollies – A dama do vestido negro,lembram-se?Bons tempos aqueles.
    Gostaria de dizer que o grande Jorge Márcio está vivo sim e mora no bairro Santa Inês mas infelizmente não tem mais condições de locutar.

    Curtir

    1. Olá Jairo, claro que lembramos dos nomes das músicas. Como estas aqui:

      Homem de lata
      O lutador
      Contemplando as estrelas
      Lixo
      Madeira sobre o rio
      Agite sua chance
      Voando alto
      A águia voará novamente
      Escada para o céu
      Vou te beijar todinha
      Afogando-se na ilha seca
      Mate o rei
      Através dos séculos
      Não mate a baleia
      Renuncia
      Louco Amor
      Nadando de costa
      Choro de rua
      Pequena e doce
      Padeiro de rua
      Repartindo a noite juntos
      Aqueles sapatos
      O circulo é pequeno
      Marcas no tapete
      Daqui pra eternidade
      Correndo no vazio
      Ponto sem retorno
      A solidão das criaturas
      Em fuga
      Morcego fora do inferno
      Girando, girando, girando
      Correndo com o demônio
      Jamie esta chorando
      Eu acredito
      O amor é como o oxigênio
      Último trem para Londres
      Eu gostaria de mudar o mundo
      Tente novamente
      Você não pode mudar isso
      Jogos sem limite
      Poeira no vento
      Liberdade de expressão
      Trajetória e queda de um anjo
      Pânico na quinta avenida
      Amor tão bom
      O mesmo silêncio
      Passagens do tempo
      Supernatural
      Fazendo amor
      Quem é você
      Morre mais um
      Burro de carga
      Rainha de espadas
      Solidão cósmica

      E muitas outras.

      Curtir

  32. Outro assunto que merece ser comentado eram os comerciais dos anunciantes. Destes, eu me lembro do anúncio do number one, cujo fundo musical era a música I’m free, do The WHO.

    Curtir

  33. ola pessoal ! resolvi aqui agora voltar um pouco ao passado… poxa vida !!! estou sem palavras e emocionadissimo… achei este post aqui e fiquei muito feliz. A RADIO CULTURA ! NOSSA ! tive a oportunidade de ser vizinho do Amir Francisco e conhecer Oliveira Rangel e cia… la no Sparta Voley Cllube.fui em algumas festas la patrocinado pela nossa querida Radio Cultura… gente eramos felizes e nao sabiamos… esta historia caiu no meu esquecimento. De repente estou aqui vendo o que todos voces postaram… poxa vida ! epoca boa. me desculpem estou muito emocionado aqui neste momento… eu gostaria de encontrar todos voces. posso ? nao sei se os conheço mas com certeza teremos muitas coisas boas para falar e lembrar desta boa epoca;
    Por favor moçada. sera que podemos nos encontrar todos ? havera algum encontro de todos ? meu Contatos:

    Antonio Paulo
    31 99063875 tim 31 99063881 vivo
    apneves0707@hotamail.com

    Abraços para todos voces…

    Curtir

    1. Prezado Antônio Paulo,

      Você que teve o privilégio de conhecer estas feras da rádio cultura, poderia nos confirmar se o Oliveira Rangel da rádio FM integração, mencionado no Rádio Base, é o mesmo da nossa saudosa Cultura. Dê uma conferida e nos informe.

      http://www.fmintegracao.com.br/equipe-integracao/29-oliveira-rangel

      Quanto o encontro, eu, o Mauro Kleber e o Nilton, que anda meio sumido, estamos com esta ideia. Um encontro para ouvirmos as músicas que rolavam cultura, contar uns casos, beber uma cervejinha (cervejona) e, quem sabe, ter a presença de alguma daquelas feras que atuavam do outro lado dos 830 khz.

      Curtir

      1. Ola Jota e Cia…. Como vão voces ? Sim jota é ele mesmo. Entrei no link que voce passou mas eu ainda nao tive a oportunidade de escuta-lo nesta radio que ele trabalha. FIcarei aguardando o contato de voce para nos encontrarmos. Ja estou ansioso viu… rs Gente que bom encontrar todos voces !!! Jota por favor qualquer novidade e precisando de alguma coisa me mande um nota no meu e-mail pessoal… apneves0707@hotmail.com

        Abraços

        Antonio Paulo.

        Curtir

    2. Não tive o prazer de participar das festas do Sparta, mas me lembro muito bem de duas músicas que fizeram parte da programação da cultura e embalavam as festinhas, levavando a moçada ao delírio. A primeira era hold back the water, do Bachman turner Overdrive, onde a galera cantava: “Vou dar porrada, porrada vai comer lá fora”. E a segunda era Mamma mia , do Left Side, cantada assim: “Mamma mamma mia fud… esse cab ..” e na segunda parte da música: “É tira e bota, é tira e bota, na bun… das cocotas”. Quem viveu, viveu, quem não viveu, poderá, pelo menos, ouvir no encontrão da cultura.

      Curtir

      1. Olá pessoal,
        também curti a cultura AM e as festas do Sparta…. Tenho um blog chamado Fuxucamarimbondo Rock ‘n’ Geral, já citado aqui em um comentário anterior onde postei J.J. Light (Heya) em homenagem à Cultura e seus ícones, como também àquela geração de malucos que viveram em BHz naqueles tempos…Fico feliz em saber que Jorge Márcio está vivo. Tenho algumas lembranças da Cultura, como quando o Jorge Márcio dedicava a música “Dear Cristine”, da banda inglesa Klaatu (acho que é assim que se escreve…rsrsr…) para a loira do “Camaro Amarelo”…havia também a propaganda da ZAK (loja de roupas, que ficava na Savassi) com “Rain Maker”, do Traffic…
        Em uma destas festas do Sparta, os caras do bairro Caiçara queriam pegar o Jorge Márcio…coisas daquela época.
        O Jota e demais contemporâneos devem se lembrar de um outro sucesso do Left Side, que tocava muito na Cultura…quando eu ouvia ficava pirado…meu pai tinha um bar e eu trabalhava com ele…almentava o volume no talo…o véi me olhava com aquele ar tipo esse cabeludo tá cada dia mais doido…rsrsrs… A música se chamava “Like A Locomotion”…segue aí o link para a galera matar a saudade.

        Curtir

      2. Olá Licínio,

        Claro que eu lembro de like a locomotion do left side e também de dear Cristine do Klaatu, que se não me engano era do Canada.

        Outra música do Klaatu que eu gosto, e tocava muito no top hits, é the loneliest of creatures.

        A música Rain Maker, do Traffic, eu não lembro. Vou pesquisar e acrescentá-la ao meu arquivo de músicas da cultura.

        Valeu !!

        Curtir

      1. ola jota ! rs pois é meu caro. eu tambem fiquei mto feliz em ouvi-lo novamente… temos que arrumar um jeito de traze-lo aqui em bhte para que ele nos de uma palinha ne ? rs e o encontro ? como voces estão organizando para acontecer ? vai rolar mesmo jota ? abraços.

        Curtir

  34. Eu me lembro na Rádio Cultura o programa telefone colorido com Ronaldo Carvalho. Tempos depois o programa Toca Tudo primeira e segunda parte. Locutores Adelício Matina, Ricardo Nascimento, Apolo Ferreira.
    A vinheta com o telefone da rádio 442 34 45.

    Curtir

  35. Cara oe ouvia Cultura todos os dias, tenho 46 anos e passsei a gostar de Rock ouvindo a Radio Cultura, era aunica Pop Rock da época, Agora fiquei meio confuso, o “Ritimos da Noite” que começava as 22horas, não seria iniciado com a musica do Creedance e terminava com a musica Hei-a, onde o Rangel falava, “amanha ……no mesmo horário” Sera´que confundi?

    Grande abraço aos amigos daquela época, que mesmo sabendo das dificuldades, aproveitavam.

    Curtir

  36. Cara eu ouvia o Rangel fazer a chamada de uma música com nome “Loucuras de Verão”. Se alguém souber de quem é e o nome da música em Inglês para que possa procurar, por favor… abraços e obrigado

    Curtir

    1. EXTRA!! EXTRA!! NOTÍCIA QUENTINHA!! Lembram do Mister Tim da Musirama FM que fez um sucesso enorme na década de 80, inclusive com muita audiência em BH, já comentado aqui neste post?? Pois então… Na época ele voltou para os EUA, a 25 anos atrás; voltou para Sete Lagoas tem uns 2 anos, não estava querendo mexer com nada, (já deve estar com algo em torno de 70 anos) mas de tanta insistência aceitou entrar em negociação com o dono da Musirama, Sr. Geraldo Padrão; parece que a negociação vai dar certo; Mr. Tim já está fazendo “estágio” (começou esta semana) na rádio para voltar, pois na época do programa dele era usado vinil; ele está se adaptando para os sistemas novos digitais. Me parece que a divulgação do programa dele começará mês que vem (dezembro), e ele voltará no ano que vem. Ele trouxe mais de 100 CDs dos EUA, e disse que é só música boa que ainda não foi lançada por aqui. (continua)

      Curtir

  37. “Nilton Thomaz
    on 25 de abril de 2012 at 09:55 said:
    Poxa, alguém se lembrou da MUSIRAMA…era um pouco dificil de sintonizá-la mais tinha um repertorio musical dos melhores…boa lembrança!”

    Pois então, agora com a internet a Musirama pode ser sintonizada pelo site, no mundo todo…

    Acredito que esta volta do Mister Tim vai ser uma dádiva para todos nós saudosos daqueles tempos!!!!!!!!!!

    E ele me falou que vai tocar músicas dos anos 80 em versões que só ele tem.

    Curtir

  38. Olá pessoal! Muito bom matar um pouco a saudade da rádio Cultura. Alguém aí se lembra da história mais recente? Um locutor chamado Geraldo Vieira? Ele apresentava um programa na madrugada, conversava com ouvintes,colocava música sertaneja de raíz…Se estiver enganada me perdoem,mas gostaria de saber se alguém mais se lembra dele. Uma grande abraço à todos!

    Curtir

  39. Boas lembranças da Cultura, uma rádio que tecnicamente tinha lá suas limitaçòes, mas com um astral riquíssimo. Tive a honra de fazer parte daquela equipe, embora mais voltado para as coberturas de vestibulares e também na área comercial como contato e locutor de spots. A cultura, sem dúvida, foi o reflexo de um tempo onde a qualidade era componente principal de nossas ações sob o comando do Big Boss, Geraldo Ferreira. Música, notícia fluída, sacanagens muito bem organizadas, uma gozação incrível onde o ouvinte era parte do processo. os diferenciais ficavam por conta do estilo e a grade musical pesadíssima. Dá um belo roteiro para um filme!

    Curtir

    1. É através do grande número de respostas a um simples Post, publicado em um blog modesto como este, que podemos ter noção do quanto a Cultura foi marcante para a nossa geração. Se tantas pessoas acharam este Post foi porque estavam procurando, e se estavam procurando é porque estamos todos órfãos. Planos não faltam, uma festa da Cultura, encontros, um filme? Falta que tenha tempo e capacidade para orgânizá-los. Porque enquanto continuemos recordando. Obrigado pelo comentário

      Curtir

    2. Lembro de você na Cultura.Vozeirão,meu.Fiquei te conhecendo pessoalmente no escritório(não sei se ainda é na Augusto de Lima-Barro Preto)minha irmã tinha um consultório dentário ao lado.

      Curtir

  40. As rádios antigas de bh deixaram saudades, a cultura e também a antiga atalaia, a qual minha mãe ouvia muito. A gente não tinha tv na época e o rádio era o único companheiro das horas de trabalho e lazer. Músicas de grupos antigos como ABBA e cantores nacionais com nomes americanos faziam músicas e adaptações de muito sucesso. Vivo em busca de uma versão da música fernando, em que havia uma introdução falada antes da música em si… sem sucesso. Se alguem conhece essa versão que entre em contato por aqui.

    Curtir

      1. Mauro, esta versão da Perla é bacana, mas na rádio atalaia, havia uma música com introdução, era contada uma história de cerca de uns 2 minutos antes de começar a música. Não sei quem cantava, já tentei me recordar desta introdução narrativa que aliás era muito bacana, mas meu baú de lembranças de minha infância não me traz as palavras que eram utilizadas. Espero que alguem conheça essa versão narrativa e me diga onde encontrá-la. Agradeço o apoio, quem sabe você possa ajudar-me nesta busca… valeu!

        Curtir

    1. Prezado Josenilson,

      prá dizer a verdade, aprendi a gostar de rádio ouvindo a atalaia, e especialmente a musica Fernando. Gostava muito de ouvir um programa que tinha aos domingos, as 40 mais da rádio atalaia. Não me lembro da versão da música que você esta procurando, mas para quem também já ouviu a Atalaia e quer recordar, segue abaixo algumas músicas que fizeram parte da programação. Vale a pena conferir !

      abba – fernando
      tina charles – I love to love
      pussycat – mississippi
      giorgio: son of my father
      ricky shayne – mamy blue
      tony ronald – get me some help
      lobo – i’d love you to want me
      b.j. thomas – rock and roll lullaby
      christie – yellow river
      shocking blue – venus
      gilbert o’sullivan – alone again
      terry jacks – seasons in the sun
      carpenters – only yesterday
      bonnie tyler – it’s a heartache
      paul mauriat – love is blue
      tony stevens (jessé) if you could remember
      sharif dean – do you love me
      chrystian (da dupla chrystian & ralf) – please don`t say goodbye
      bread – everything i own
      hurricane smith – don’t let it die
      jack jones – you’ve got your troubles
      the square set – that’s what i want
      terry winters – summer hollyday
      apollo 100 – joy
      kraft werk- the model (o locator falava kraft uerk)
      emerson lake & palmer – ces’t la vie
      izabel patton – patrick amor mio
      neil diamond – song song blue
      – sweet caroline
      mireille mathieu- akropolis adieu
      i santo california – tornero
      adamo – ces’t ma vie
      demis roussos marie jolie
      dave maclean – me and you
      the walkers – there’s no more corn on the brasos
      scott mckenzie – san francisco
      the mamas & the papas – monday monday
      chris de burgh- flying
      mark davis (fábio jr) – don’t let me cry
      junior – excuse me
      marjoryt one – because i love
      bee gees – i started a joke
      maggie macneal – when you’re gone
      liverpool express – you are my love
      alice cooper – you and me
      nazareth – love hurts
      elton john – skyline pigeon
      pholhas – my mistake
      – she made me cry
      Light reflection – tell me once again
      os incriveis – o milionário
      golden boys – fumace
      angelo máximo – domingo feliz
      joão só – menina da ladeira
      lindomar castilho – você é doida de mais
      mauro celso – farofa fa
      – bilu teteia
      paulo sérgio – a última canção
      márcio creyck – impossível acreditar
      dom e ravel – marcas do que se foi
      evaldo braga – sorria sorria
      – noite cheia de estrelas
      nilton cesar – a namorada que sonhei
      nelson ned – tudo passará
      núbia lafayete – fracasso
      paulo diniz – pingos de amor
      ruy maurity & trio – serafim e seus filhos
      hermes aquino – nuvem passageira
      márcio josé – o telefone chora
      – o professor de violino
      fernando mendes – a desconhecida
      diana – ainda queima a esperança
      – porque brigamos
      barros de alencar – prometemos não chorar
      josé augusto – esqueci de viver
      jeane e herondi – não se vá
      roberto carlos – detalhes
      – e muitas outras
      jerry adriani – querida
      agnaldo timóteo – os verdes campos da minha terra
      antônio marcos – o homem de nazareth

      Curtir

      1. Peço desculpas aos autores do blog se estou fugindo do objetivo para o qual este foi criado, mas preciso agradecer por oferecerem um canal valioso para o resgaste de músicas e memórias há muito tempo guardadas.
        Minha mãe escutava a rádio Atalaia direto, embora eu gostasse mais da Cultura, parava para escutar as músicas que ela ouvia e gostava. De certa forma, aprendi a gostar de música pela companhia daquele rádio ligado em casa, único lazer em uma época que energia elétrica e televisão não era privilégio de muitos moradores na periferia de Belo Horizonte.
        Foi complicado ver, com o passar do tempo, diversas rádios da faixa AM companheiras de nosso “crescimento intelectual e musical” serem extintas, compradas e transformadas em rádios evangélicas. O mais chato foi saber que todo esse precioso acervo está perdido, sem perpectiva de recuperação.
        Jota, você não sabe o quanto fiquei emocionado com vossa resposta. Há músicas por aqui que há anos não escutava, pois não me lembrava mais a letra ou por onde procurar. É incrível ver que cantores nacionais utilizavam pseudônimos, cantando em inglês para fazer algum sucesso. Quanto às músicas, uma delas em especial – de Isabel Paton – Patrick amore mio, que teve até uma “adaptação” nacional bem feita cantada por Maria Isabel de Lizandra, que além de boa cantora, também trabalhou em muitas novelas nacionais.
        Acredito que no baú empoeirado de minhas memórias, confundi a música fernando, achando que essa adaptação que mencionei acima, era a entrada da música. Também, tinha uns 6 ou 7 anos quando elas tocavam e eu devo ter “misturado” as duas. Há uma mera semelhança, pois ambas as mulheres falam de um homem que elas gostam muito e no fim das contas, creio que minha memória as transformou em uma só.
        Valeu grande Jota!!!!!

        Curtir

  41. Eu já sou da época da Rádio Cultura AM 830 KHZ de Belo Horizonte quando tinha o programa Telefone Colorido e Toca Tudo. Está gravado na minha memória pra sempre a vinheta do número de telefone da rádio que era 442-3445, tinha um locutor de nome chamado Cid Mourão que apresentava um desses programas e por querer saber por onde ele anda é que acabei encontrando este site. Quando criança lembro que minha mãe só sintonizava a Rádio Atalaia AM 950 KHZ que tinha uma método de apresentação de seus programas muito sistemático, mas eu gostava mesmo era da Cultura. Assim que consegui meu primeiro radinho de duas pilhas que era um Phillips que sintonizava só AM, eu só sintonizava mais na Cultura e como já foi dito por um participante assim como ele eu era um dos usavam de artifícios pra sugar mais energias das pilhas gastas, usava o método de coloca-las na geladeira ou ferve-las. (É duro quando se tem poucos recursos) e coincidentemente na época também era estudante.
    São tempos que jamais voltam, rádios como a Cultura AM, 98 FM, Rádio Cidade FM 90.7 (Lembro dessa rádio, ele era a primeira Estação de sintonia do FM em Belo Horizonte e ao contrário das outras tocava mais musica nacional que internacional mas de excelente qualidade, a vinheta dessa rádio era sensacional, acabou caindo nas mãos de uma denominação evangélica, da Rádio Terra acho que a sintonia era 99,1 ou 99,9 com o programa O Rock que a terra não esqueceu. (Acabou virando também uma Igreja Eletrônica).
    Lembram do By Night 98 ? Era um programa estilo Good Times BH FM que começava no mesmo horário e falando em BH FM o Good Times é o único programa que presta que ficou de outras décadas na BH FM. Tinha a Rádio Itatiaia FM com uma excelente programação própria mas acabou aderindo a programação do AM, Alguém lembra de uma Rádio Chamada Altaneira no FM ? Acho que essa era de Pedro Leopoldo. Tinha também a Rádio Tiradentes Globo na frequência AM 1150 e a vinheta do telefone é inesquecível era 332-0022. Tinha programas de músicas representando bairros. (O época boa sô). Mas minha sintonia mesmo a maior parte do tempo era na Cultura.
    Lembro também de dois apresentadores de programas na Rádio Atalaia, o Dimas de Souza e Adelício Matina.
    Lembram quando a Rádio Cultura fez um plágio de sua apresentação de programação com a Rádio Atalaia ? Aquilo foi o começo do fim.
    Tinha muita coisa boa naquela época e compartilhar esses momentos são muito bons. Sempre digo que as coisas que mais marcaram minha infância e adolescência foram a programação da Rádio Cultura anos 80, o seriado Viagem Ao Fundo do Mar, o Globo Cor Especial, O Sítio do Pica Pau Amarelo (Anos 70) entre outras ´´coisas“…
    Alguém lembra e sabe por onde anda o apresentador Cid Mourão que apresentava o programa Telefone Colorido ?
    Me parece que naquela época a Rádio Cultura fazia parte do sistema Rádio Itatiaia, alguém confirma isso ?

    Curtir

    1. Meu nome é Fernando Araújo,minha primeira Rádio em Belo Horizonte foi a Cultura.Trabalhei lá em 1981.Geraldão era o Boss…Tinha Shawlin,Gilberto Gonçalves,Jorge Gomes,Leno Dias,Afonsinho,Zezão,Zezito,Paulinho Nazarito….tempos duros mas bons tempos.De lá fui pra Via 98 DelRey,onde ganhei o nome de Fernando Bag.Saudades
      mil.

      Curtir

  42. Olá pessoal!
    Muito legal encontrar essas referências sobre a Rádio Cultura e seus programas da década de 70.
    Inesquecíveis.
    Estou com uma radio on line de nome Mistura Fina onde podemos ouvir de violas a rock’n’roll com uma seleção muito variada e de qualidade.
    Link: http://dyb.fm/misturafina
    Duas vezes por semana eu faço uma homenagem a esse período da Radio Cultura misturando Ritmos da Noite e Cash Box numa vinheta com o JJ Ligth e o rock clássico rolando direto.
    Acessem e confiram.
    Abraços a todos
    Luiz Paulo

    Curtir

  43. otimas lembranças do radio ,mas a Liberdade Fm por incrivel que pareça entre 1989 a 1991 tinha um rock altenativo otimo,e a Comunitaria SANTE 102.5 que durou pouco,mas era uma otima radio metal.punk,gotico,tinha pprogramas de todo tipo.walter lima 31 866333313 92480103.podem contatar

    Curtir

    1. Tem também a Geraes FM, que teve o mesmo fim. Pois é. Esse tipo de Rádio tem vida curta. Quem ouviu a Liberdade no início e ouve agora nota que ela mudou da água para o vinho ( água Perrier; Vinho Sangue de Boi).

      Curtir

    1. Carlos,
      Obrigado. O intuito deste blog é este mesmo, despertar boas lembranças, descobrir novos sons e interagir com gente que gosta de música. Apareça sempre.

      Curtir

  44. Olá a todos que curtiram a Rádio Cultura, li todos os Posts e estou assustado com tanta gente com o mesmo passado musical.
    Com mais tempo postarei minha experiência como ouvinte assíduo desta grande Rádio Cultura, NAVE 830, de 1978 a 1984.

    Curtir

  45. Pessoal morei na Rua Governador Mineiro nº 33 do lado do Colégio Odilon Behrens na antiga ”Vila dos Marmiteiros”, hoje alguns dizem que que era Bairro Gameleira, outros dizem que é Bairro Coração Eucarístico.
    E a Rádio Cultura em 1978 era em frente ao Odilon Behrens numa casinha simples com telhado e com aquela antenona que é normal das Rádios AM, toda vez que eu chegava no portão da Escola Odilon, na chegada ou na saída, eu fazia questão de ficar olhando até a ponta da Antena no Céu pois era muito alta, uns 20 metros de altura, e na hora do recreio ou na saída eu via os alunos, muitos e muitas pararem na janela da rádio para pedir uma música ou só conversar com os Locutores e Operadores.
    Conheci de vista o o Joãozinho, o ”Shaolin”, todo doidão e cabeludo no estilo Peter Franptom, um dia o Shaolin chegou para conversar com minha irmã no portão de casa, e ela era gatinha, toda cocotinha com seus 19 anos de idade, zoei a cara dela dizendo que ela tava namorando um doidão da Cultura, e aquela paquera durou uns dias, não me lembro quanto tempo, só sei que dessa paquera a minha irmã começou a curtir rock, ela ganhou do Shaolin um vinil compacto do Peter Franptom, e daí só se ouvia a Rádio Cultura e seus programas clássicos como Rock Pop com o Zezão, o“Background”, Ritmos da Noite, e o Shaolin era sempre ele nas ”mixagens” da Rádio, acho que era só ele que mixava naquela época.
    Sempre fiz questão de acompanhar o Joãozinho, mesmo fora da Cultura, ele fazia se não me engano uma ponte ente a Rádio Cultura e a Rádio Del Rey lá na Serra Capivari(Rádio 98), mixava nas duas, depois ele foi para Rádio Mineira também fazer uma programação de Rock no estilo da Rádio Cultura.
    Por enquanto é só, tem mais curiosidades de Tempo de ouvinte da Rádio Cultura.
    Um forte abraço a todos.

    Curtir

    1. É pessoal, passar por aqui de vez em quando para relembrar a Cultura é obrigatório!

      Aproveito então para postar um trecho da entrevista com o Geraldo “Big Boss” Ferreira, feita para a publicação “Rádio em Revista”, editada pelo professor Fábio Martins, do Departamento de Comunicação Social (FafiCH/ UFMG).

      ========================
      Rádio Cultura: a voz do porão

      Ele foi o “grande chefe” de uma história cujos principais registros estão na experiência e na memória de uma juventude que curtiu, fez e escutou rádio em Belo Horizonte do final dos anos 60 até o início dos anos 80. Geraldo Ferreira, o Geraldão, diretor da Rádio Cultura, é um dos ícones das nossas ondas sonoras. As histórias de emissoras como a Mundial, do Rio de Janeiro, nos anos 70, ou a rádio Cidade e o boom do FM nos anos 80 são mais conhecidas e, muitas vezes, idealizadas. Provavelmente por desconhecimento da dimensão e do significado da experiência da Rádio Cultura, AM 830, de Belo Horizonte. No final de dezembro de 2006, Geraldão nos recebeu para uma longa conversa, para remexer nas coisas do “porão”, como era conhecido o espaço da rádio quando funcionava no bairro Bonfim juntamente com a emissora-mãe do grupo, a Itatiaia. “É do porão que a vida sai”, diz. No apartamento, muitos discos, uma foto com Bob Marley, em 1977, outra apresentando Djavan a Gonzaguinha, Clara Nunes, Queen… Em 1969, Geraldo Ferreira virou boss quando se tornou diretor da Cultura. Em seguida veio o big, por conta de um vozeirão que ele considera um aleijão. Para quem pode viver e ouvir, será sempre o Geraldo “Big Boss’ Ferreira”.

      Como foi seu início no rádio?
      Comecei no rádio em 1963, em Montes Claros. Fazia um programa de estudantes, vinculado ao movimento estudantil. Era uma paixão desde pequeno. Em 1964 vim para Belo Horizonte, trabalhava em Montes Claros na ZYD-7 , por onde também passaram os radialistas Daniel Barros e Eduardo Lima. Vim fazer faculdade, curso de mecânica na PUC, passei para arquitetura, pelo design, mas vi que não era a minha. Não tinha formação no rádio, eu era apenas um locutor qualificado, já na rádio Cultura, que era uma rádio “chique”, mais ligada aos clássicos. Havia uma opinião nessa época, uma miopia das pessoas do rádio, de que o rádio era mais voltado para rico e para pobre.

      A Cultura já era vinculada à Rádio Itatiaia e eu freqüentava a redação, foi a minha formação. No final dos anos 60 a Itatiaia era uma verdadeira academia do jornalismo, com gente como André Carvalho, Januário Carneiro, Gilberto Mansur, Fábio Martins, de formação de rádio. Ali fervilhava a essência do radiojornalismo, embrionário na época. E eu tinha paixão por aquilo, ficava entre a discoteca, o estúdio e a redação.

      Quando vim de Montes Claros iria para a [rádio] Mineira, mas um amigo falou da Cultura, “uma rádio que tá começando”, um formato interessante para época, uma rádio voltada para a classe A. Fiz um teste, fui aprovado e fiquei nesse compasso entre 1965 e 1969, na minha função de locutor, quando veio a oportunidade de gerenciar a programação da rádio.

      Eu era um locutor específico, apresentava os clássicos, programa de música erudita. Mas a minha formação cultural me autorizava a trabalhar com outras coisas, era um locutor diferenciado.

      De onde vieram as primeiras idéias para pensar um novo formato de rádio?
      (continua)
      =======================================
      A íntegra pode ser lida em
      https://drive.google.com/file/d/0B5pl_g9drL4wRjNNcUFqaGRJclE/edit?usp=sharing
      abraço a todos,

      Elton

      Curtir

  46. Alguém se lembra quando a Cultura fez o lançamento dos 1000 Watts de Potência no 830 AM ?
    Chamou a juventude toda para ir ao Mineirinho para exibir em primeira mão o filme The Wall do Pink Floyd em comemoração, foi no Sábado à noite, acho que foi em 1980, e o Mineirinho ficou lotado, mas deu pau no telão e saímos de lá 11 da noite sem ver o filme, aquilo frustou muita gente.
    E o som que seria similar a qualidade das FMs e alcance maior começou a sumir e a qualidade também.
    Nunca entendi essa potência que a Cultura colocou na transmissão, quase não se percebia a diferença.

    Curtir

  47. Eu estudava a noite e ao chegar em casa, jantava e ligava meu rádio na querida Rádio Cultura até pegar no sono. O programa Rítimos da Noite era tudo de bom, quantas saudades…. . Onde andará o grande Oliveira Rangel com sua voz inconfundível?

    Curtir

  48. Amei e curti sua página e todos os comentários postados aqui. Eu também era apaixonada pela Rádio Cultura, dormia com radinho de pilha Sharp debaixo de travesseiro. Ontem, num encontro de família, estávamos rememorando as boas músicas e programas que existiam nessa época. Falamos muito da Rádio Cultura. Então, por curiosidade, resolvi “checar” na internet se achava alguma coisa sobre essa Rádio. Foi quando, para a minha felicidade, me deparei com esse site. Parabéns.
    Mirtes

    Curtir

  49. Na Rádio Mundial não era meia-noite. Os programas do Big Boy eram às 22:00h e 23:00h. O que atrapalhava em BH era a Rádio Atalaia que ficava muito junto no dial. E foi através de um merchan no programa Sucessos da Cash Box e Billbord que fiquei sabendo da existência da Sonus, a primeira loja especializada em rock de BH que ficava na Galeria São José na Rua Tupis ao lado da Lui, melhor boutique de BH na época. Nem se falava em Savassi ainda. O proprietário, José Luiz Machado Gontijo, é o popular Gontijo do antigo Minas Esporte da Band Minas e da Itatiaia.

    Curtir

    1. Legal, Maurício.É sempre bom ter pessoas completando ou corrigindo nossas lembranças. Afinal são lembranças… Você tem razão o Big Boy era de 22:00 às 23:00, mas a gente só conseguia sintonizar direito a Mundial depois das 24:00, quando a Inconfidência saia doa ar

      Curtir

    2. Prezado Mauricio, acrescentado ao seu comentário sobre a Radio Mundial, morei no interior e lá pegava a Mundial com clareza, mas somente a partir das 18 horas, onde o Big Boy possuía um programa de uma hora de duração, com a parada semanal da Cash Box e Bilboard. À meia noite, ele voltava com o Ritmos de Boate (realmente não me lembro se as 22 horas era ele o disck-joquei). Mas o grande momento dele era aos sábados, onde as 18 horas retornava com o Cavern Club e aí só tocava Beatles… Lembro que o album RAM do Paul, ele tocou com uma antecedencia aproximada de 20 dias, até que o disco chegasse em Uberlandia, que era o local onde se achava as novidades. Durante o dia, nas ondas de 49 metros, pegava-se com algum chiado, outra rádio lendária, a Excelsior de SP, que inclusive tem páginas especiais hoje em dia na internet. De toda forma, aos saudosistas, um bom tempo, mas a Cultura em BH foi insuperável.

      Curtir

      1. Às 22:00 era o Big Boy, e o programa era sobre a parada Billboard e Cash Box. O programa das 24:00h era o Ritmos de Boate e dele saia os LP’s que ele lançava com o Ademir, como CQD, O GRILO, etc. Ainda tenho alguns. Sobre o programa sobre os Beatles eu não conheci, e não conhecia também, a rádio Excelsior de SP. Quanto aos LP’s chegarem com vinte dias de atraso, você está sendo bonzinho, alguns levavam dois meses para chegar em MG. A loja que mencionei no primeiro comentário, a Sonus, o Zé Luiz ia ao RJ buscar os LP’s, por isso ele sempre tinha os que o Big Boy estava lançando. Em BH tinha também uma loja chamada Speed Shop que o foco principal era o comércio de carros, mas a boutique vendia gravações em fita cassete com o que rolava nas principais boites de RJ e SP, na época quem atendia na loja era o meu xará Maurício Índio do Brasil.

        Quanto à CULTURA, não tem o que discutir, era a melhor disparado. Ouvia o dia inteiro. Só perdia para a Mineira no sábado a noite que vinha com programação direto de boites.

        Anexo, duas músicas que marcaram época na CULTURA. A do Creedence, o saudoso Negativo que trabalhou na Cultura, me confidenciou que eles a colocavam na íntegra para poderem lanchar no boteco em frente.

        Um abraço,

        Curtir

      2. Eu comprava muito na Pop Rock, na Loja DuPê, nas Lojas Gomes. Não me lembro de ter comprado na Sonus. Já na Speed Shop lembro de ter comprado uma ou duas fitas gravadas. Se não me engano em uma delas havia a gravação ainda inédita em disco, aqui em BH, de My Love, do Paul McCartney/Wings. O Maurício está certo. Um disco para sair aqui em BH (quando saia) às vezes demorava meses. Foi o caso de Imagine, pelo qual esperei três longos meses após o lançamento. Boms tempos, né ?

        Curtir

      3. Eu “viajo ao passado” a cada mensagem que recebo com estas nossas lembranças, essas nossas recordações desse tempo maravilhoso que tivemos, sintonizados (literalmente). Uma coisa que me chama a atenção aqui é que os participantes escrevem de maneira corretíssima, demonstrando o ensino rígido e rigoroso que tivemos nos anos 70 e 80, sem esse pseudo-modernismo avacalhador que temos nos dias atuais.
        .A “música misteriosa e anônima com uma marcação rítmica de percussão, um solo lento de saxofone, e uma orquestra de cordas”(depois o silêncio…) Eu me lembro dela, mas infelizmente não posso ajudar, também não sei, e também tenho muita vontade de ouvi-la mais uma vez.

        Curtir

      4. Mauro, a Sonus foi anterior a Pop Rock. Ficavam na mesma rua, Tupis, uma na Galeria São José (Sonus) e a outra na Tupis quase com São Paulo (Pop Rock). A Sonus era do José Luiz Gontijo e a Pop Rock do Nelson Canaan. O Imagine eu comprei logo que chegou ao Brasil porque a Sonus trouxe para BH. E ainda o tenho.

        Curtir

      5. Olá Fábio, eu também sintonizava a rádio Excelsior durante a madrugada.
        Lembro de 3 músicas daquela época:

        Eagles – I can’t tell you why

        Joyce – Clareana

        Sheila B. Devotion – Spacer

        Curtir

  50. Gostaria muito de saber quem fazia aquelas traduções dos nomes das músicas. As traduções eram toscas, caindo muitas vezes nas armadilhas da semântica e dos falsos cognatos, lembrando o humor de algumas propagandas de cursinhos de inglês. Alguém já falou aqui do “Afogado na ilha seca”, mas posso me lembrar de muitos outros casos. Por exemplo, a palavra “supernatural” (sobrenatural) era traduzida como “super natural”. A canção “A Woman Can Change a Man” (uma mulher pode modificar um homem), do Boney M., foi traduzida como “Uma mulher pode trocar de homem”. “Baker Street” (Rua Baker, point famoso de Londres, onde ficava o escritório de Sherlock Holmes), do Gary Rafherty, foi traduzida como “Padeiro de Rua” e o Rangel chegou a ler um texto que sugeria que a música falava de um sujeito que encontrou seu amor enquanto vendia pão na rua. Uma vez ouvi uma música que o locutor chamou de “Dinheiro Azul”. Morri de rir, porque entendi que o título original certamente era “Blue Note”, que nada tem a haver com dinheiro, e sim com as notas musicais de uma canção Blues. Não pensem que estou malhando a Cultura, ou que eu achava isso “palha”. A tradução dos nomes das músicas era um grande diferencial daquela rádio, aumentava a identificação do ouvinte com a programação e era apenas mais uma das originalidades inesquecíveis. Eu ouvia a Cultura por horas a fio, até o fim da programação a uma da manhã, quando tocava (até lá pelos idos de 1977) uma música misteriosa e anônima com uma marcação rítmica de percussão, um solo lento de saxofone, e uma orquestra de cordas. E depois, silêncio.
    Um dia, ainda descubro que música era aquela.

    Curtir

      1. Quem fazia umas traduções muito boas era o Instituto Brasil-Estados Unidos, ICBEU, na Rua da Bahia. Era feita por professores americanos.

        Curtir

  51. Em BH, lembro demais da Pop Rock, e mais ainda de uma que não foi comentada aqui: A Bob Tostes, na rua Tupis, na descida. Tinha também a Discoteka, que já foi praticamente “depois”.

    Curtir

    1. Tanto a Bob Tostes e a Diskoteca são bem recentes em comparação com a Sonus a a Pop Rock. Mas antes existia era o Rei do Disco com sete lojas na capital, todas no centro. A principal ficava na Av. Amazonas quase na Praça Sete. Mas era uma loja convencional, se encontrava de tudo, mas dentro dos padrões mais tradicionais. As outras já vieram com um projeto mais atual e focado no rock. Quando a Sonus começou, a maioria tinha era radiola em casa. E mesmo assim eram poucos os felizardos. Depois e que se começou a comercializar os aparelhos de som mais modernos com amplificadores, pick ups, cassete e sintonizadores com FM. Só que não existia rádio FM no Brasil. Os mais conhecidos eram os da Gradiente, como o Pró 2000, um senhor amplificador.

      Curtir

      1. Eu me lembro de uma das primeiras Discoteka na galeria Praça Sete, no final dos anos 70. Comprei ali o meu primeiro LP com meu próprio dinheiro (com o meu primeiro salário). Também tinha uma na rua goitacazes. Depois que ela expandiu. Agora pra mim, o paraiso era a HI-FI do BH Shopping. Eu ficava fascinado com aquela loja e com jornalzinho que ela publicava.

        Curtir

      2. Bem lembrada, a Hi-Fi!!!! Tudo bem que pode ser considerada já mais recente, mas o que me marcou demais nela eram os dois amplificadores Quasar 4400 que tocavam o sistema de som e que ficavam bem a vista logo para quem entrava: Aqueles amplificadores eram meu sonho. E tinha as cabines com fones da Selenium (salvo engano HF-400)que eram fantásticos para a época, mas que o pessoal de rádio não gostava porque vazava muito…

        Curtir

  52. Prezado Ernesto Cruz, não me lembro exatamente desta musica que você citou, mas a programação da Cultura encerrava-se religiosamente com a música “Mull of Kentyre” do Paul McCartney.
    Ficamos viúvos de uma boa rádio em Belô após o fim da Cultura; tempos depois veio a Terra e há cerca de 12 anos atrás, infelizmente por pouco tempo, a Geraes FM dominou a boa música, mas o banco dono dela resolveu vender para a Oi FM e esta durou pouco também e foi logo embora.
    Neste mesmo período, entre 2003 e 2005, uma rádio pirata de Justinópolis tocava muito rock bom , mas hoje não resta nem sinal dela e sequer lembro o nome (operava se não me engano, na frequência 93,6)
    Hoje eu procuro escutar musica pelo mundo afora através da internet e a que recomendo a vocês darem uma conferida é a Radio Caroline, de Londres ( uma boa dica: o filme The Boat That Rocked). Comentei há algum tempo também sobre a Rádio Kiss de SP, toca rock de primeira qualidade. Gosto também do progressivo que toca na Morow.Com (Paris).
    E é claro, a Musirama de Sete Lagoas, no programa do Mr. T vale a pena também, sobretudo porque ele esta flexibilizando a programação com muito blues de qualidade.
    Abraços a todos que escrevem e leem este site que é realmente de muito valor.

    Curtir

  53. Tenho 58 anos e sou musicodesde de 1975. Tive a honra de morar do lado da radio cultura, entre o final de 1967 de 1976. Ela era onde hoje fica uma praça de caminhada, em frente a rua que sobe para a PUC, no cor. Eucarístico. Consegui comprar e mantendo até hoje, à sete chaves, 95% das músicas tocadas pela cultura nesse período. Escrevi até um livro sobre as músicas dessa época, não só tocadas pela cultura, mas também pela mundial do RJ e pela excelsior de SP. O livro está pronto, mas falta editar e lançar. Conheci pessoalmente, o big boss Geraldao, Jorge Márcio, o Paulinho HP (gravava as vinhetas) e o locutor do “ritmos da noite” (até hj na ativa), p grande Daniel Barros. Há 24 anos, formei e ainda existe, a banda Creedence cover, um dos artistas mais tocados pela cultura, durante sua existência. Enquanto pela mundial, o big boy, buscava discos na europa, a cultura também tinha pessoas que fazia o mesmo e ambas as radios, trocavam informações musicais, ou seja, as músicas. Em 2008, a rede Minas de televisão, fez um documentário espetacular sobre a rádio cultura, contando histórias com entrevistas de DVS funcionários daquela época, e fiquei muito feliz, em ter sido convidado para participar, por ter sido o único ouvinte, que viveu ao lado do estúdio e que ainda possuía 95% das músicas tocadas. No meu livro cito os artistas e as músicas que fizeram a história das rádios Cultura, Mundial e Excelsior. Tem cada raridade, que muitos já esqueceram, devido a enorme quantidade de músicas daquela época e olhem, que tive que filtrar muita coisa, senão o livro ficaria com 1000 pgs. Ele foi finalizado com 756 pgs.
    Abraços à todos os fãs da Cultura e daquelas inesquecíveis músicas!!

    Curtir

    1. Eu aguardo o lançamento para adquirir um exemplar. Quanto ao programa da Rede Minas, você possui uma cópia dele? Você disse que morou ao lado da cultura no Coração Eucarístico mas, eu me lembro, que fui algumjas vezes buscar brindes na rádio no final dos anos 70 mas todas as vezes no prédio da rua itatiaia no Bonfim.

      Curtido por 1 pessoa

    2. Olá. Boa tarde. Raridade da pesada este programa que foi ao ar na Rede Minas sobre o faceta Cultura Am. Acredito que vc tenha uma cópia DVD do programa pois, a rede Minas se prendeu no descaso e falta de organização ao dizer, não possuimos mais este acervo. Fica ai mais um fã do teu livro e quem sabe uma cópia do programa. Mais um audiófilo com sede de todos os selos, deixo cravado Bachman Turner Overdive( com Hey You) ou Down Down.

      Curtir

  54. Outro áudio do Jorge Márcio na rádio Extra FM, relembrando os tempos da rádio Cultura e algumas músicas da época:

    Heya
    Love like a man
    Soon
    Ballad of easy rider
    Band on the run
    Blach nigth
    proud mary

    Curtir

  55. Para quem curtiu bastante as vinhetas e músicas da Cultura, a Tv Minas realizou um documentário show de bola entre os anos de 2004 e 2009 contendo imagens raras. A emissora possui este documetário de 1 hs mas, precisa de alguém dar uma forçinha para liberar este doc. Finalizando, quem lembra de Bachman Turner Overdrive com a faixa Down Down ou Hey You.

    Curtir

    1. Olá José Roberto, uma música do BTO que tocava muito na Cultura era hold back the water. Esta música ficou famosa nas festinhas, quando o pessoal ia a loucura, cantando uma versão com a seguinte letra: “Vou dar porrada, porrada vai comer lá fora”. Bons tempos !

      Curtir

  56. Eh galera, essa rádio marcou a juventude da época…bons tempos…
    Ainda curti e tive a felicidade de aproveitar os últimos anos da rádio.
    Quem não se lembra de J.M anunciando ACDC, Back in Black,
    “agora ouçam o soquete bravo do ACDC”… e…, era um locutor que
    Envolvia os ouvintes. Não se pode esquecer do programador já citado nos comentários acima, Big Shaw…(Shawlin), o cara conhecia de programação…muito bom gosto musical.
    Depois foi prá rádio Terra FM, outro ícone do Rock’n Roll, essa foi nota 10 também.

    Saudações a toda essa geração…

    Curtir

  57. Bons tempos da Rádio Cultura-BH AM 830.Boa música .
    Nessa época as músicas estrangeiras tocadas ali eram dificeis de se encontrar nas lojas de disco de BH e não estavam tão disponíveis como hoje.Então era preciso aguardar que elas tocassem no rádio para se gravar nas pequenas fitas cassete.
    Os locutores tinham formas bem originais de fazer a animação dos programas.Para mim ,o bordão (não sei se seria essa a palavra) que mais marcou era que, as vezes no meio de uma canção diziam: “Cuulllltura”. Uma marca registrada na memória também era o programa “Ritmos da Noite” que abria sempre com a música do Credence “I Heard It Through The Grapevine” e continuava só com música boa.
    Parabenizo pela criação desse site que resgata mais uma coisa boa dos anos 70/80.
    Para finalizar deixo o nome de uma raridade daquela época (1972) Raspberries – Nobody Knows.

    Curtir

  58. A antiga rádio cultura agora é GERAIS AM 830. A emissora está com uma ótima programação musical, jornalística e transmissão de futebol. Nomes, como: LUIZ CARLOS GOMES, PAULO MARQUES, PAULO SÉRGIO, JOÃO BOSCO MARTINS, WALDIR DE CASTRO, FÁBIO RODRIGUES, TOM PAIXÃO, estão na emissora. Está valendo a pena ser ouvida!!!

    Curtir

  59. Com relação ao comentário do Rayan, li o nome de uma pessoa conhecida que é o João Bosco Martins.Se for o mesmo João Bosco que conheço,ele já foi vereador em BH.Foi vizinho meu na Rua Amiantho 174 Bairro Santa Tereza.Irmão do Zé Paulo,Chiquinho e a Nica. Se alguém desse site conhece-lo se ele mesmo ler esse site, mando um abraço a ele. Vou ficar atento a Radio Gerais AM 830 e conferir a programação. Vamos ver se tem música boa com por exemplo Greg Khin Band – Jeopardy.

    Curtir

    1. Olha….esqueça….acho dificilimo você ouvir esta música nesta rádio Gerais. A programação é muito, mas muito diferente do que era da cultura. É outra rádio com outro foco, infelizmente.

      Curtir

      1. Infelizmente a rádio indicada pelo nosso colega Rayan fica a desejar, nos moldes da Cultura dos anos 70, a atual despeja no ar muita agressividade mas é rádio fazer o quê, vista grossa. O dífícil, é perder mais uma fronteira do Rock, Mpb e etecerta. A Guarani FM está de malas prontas para algum paraíso, o problema todo é que as perdas acentuam-se e o dial só fechando o bom gosto. Cultura, JBFm, Scalla Fm,Terra Fm, GeraesFm. Sei que não podemos comparar as mesmas neste post da Cultura, mas temos que solidarizar expor os nossos pensamentos juntos a posts da Guarani, embora de nada irá adiantar palavras. Precisamos de palavras e atitudes,o capitalismo traga ferozmente mais uma do dial .

        Curtir

  60. Caros amigos,
    Para aqueles que ainda não sabem, lamentavelmente a rádio Guarani FM de Belo Horizonte deixou de existir na madrugada deste 1º de maio de 2015.
    Ela foi repassada para mais uma rádio gospel, que atua em 12 localidades do Brasil, e os microfones foram desligados à meia noite de 30/abr.
    E o que é pior: o silêncio dos Diários Associados sobre a venda nos faz imaginar coisas, principalmente considerando o cenário político do país cada vez mais ocupado pelos fanáticos religiosos.
    Isso foi um duro golpe para a cultura de Minas Gerais, uma vez que a rádio existia desde 1936 (79 anos) e sempre foi conhecida pela sua programação de altíssima qualidade.
    Sabia dosar com maestria gêneros como Rock, Jazz, MPB, Clássico, Samba como nenhuma outra rádio, e certamente será insubstituível.
    Sendo assim, resolvi compartilhar o texto a seguir. Se gostarem, compartilhem também.

    Curtir

  61. “À eterna rádio Guarani FM de Belo Horizonte

    Hoje é 1º de maio e o feriado está cinza. Estou ouvindo Elis Regina, Chico Buarque, “The Doors” por MP3, e tentando aceitar a realidade. Perdemos muito ontem. Não somente uma ótima rádio que entendia de música de verdade. Perdemos cultura, perdemos voz, perdemos representação e perdemos como sociedade de uma forma geral. Espero que recuperemos…

    Só ontem eu percebi o quanto essa rádio era importante, enquanto ouvia as últimas horas de sua programação. Foi como se um amigo estivesse partindo lentamente e só me restasse aproveitar cada segundo final. Ouvir os últimos 3 minutos (ouça no youtube) com nosso queridíssimo Luiz Fernando Freitas encerrando o “Noite no ar” com “The end / The Doors” me fez chorar como não fazia há anos, talvez desde a minha infância. Só aí me lembrei que a escutava há cerca de 20 anos (desde que comecei a ouvir rádio) e que ela esteve presente em muitos momentos bons da minha vida. Sempre que eu ligava o rádio, ele já estava sintonizado na 96,5 FM. Onde mais eu poderia escutar MPB de qualidade, Rock do bom, samba, música clássica, jazz, tudo isso salpicado com o melhor da Beatlemania??! A constatação de que isso realmente acabaria me deixou inconsolável. Espero que passe…

    Esse contexto me fez pensar em quantos cinemas, teatros e rádios já perdemos para as religiões do capitalismo. Não sou ateu, mas também não tenho “carteirinha” de religião nenhuma. Me assusta a idéia fanática de delegar as decisões da minha vida a alguém, seja ele padre, pastor, médico ou qualquer outra coisa. Isso exige um nível de confiança alto demais, especialmente pros dias de hoje. Basta olhar a história da humanidade para ver o quanto as religiões provocaram guerras e manipulações de acordo com seus próprios interesses. Tendo isso em vista, procuro aprender o que elas ensinam de bom (e nessa parte todas dizem praticamente a mesma coisa: você colhe o que planta, faça o bem, ame o próximo, etc.) e tento não pensar nas coisas ruins que cada uma já fez. Mas, quando elas destroem justamente nosso patrimônio cultural, usando a força do dinheiro profano, o que era apenas antipatia se torna revolta. Espero que passe…

    Na minha opinião, se religião é o que te religa a Deus, então a música é o caminho onde eu encontro isso com maior autenticidade. O silêncio que ficou após as 2 últimas horas do programa “Kacophonia” foi muito pesado, e chegou a doer lá no fundo com uma sensação de que não há mais espaço para o que é realmente bom nesse mundo. A ausência da Guarani essa manhã confirmou o quanto ela é insubstituível. Espero que voltem…”

    Ps: No link abaixo está a despedida com os últimos 3 minutos da rádio ao vivo, com “The End” do The Doors. Muito bonito

    Curtir

    1. Marcus,

      Tomei a liberdade de publicar seu comentário como um post do Vitrola, devidamente creditado. Se você tiver alguma coisa contra me fale que eu tiro do ar. EM LUTO TAMBÉM

      Curtir

      1. Olá Mauro!
        Lamentável o fim da Guarani como tantas outras boas radios que já tivemos em BH.Aproveito pra dizer que estou com um novo projeto no ar.É a Cultura Web Rock tocando muita coisa boa como por ex Ten Years After,JJ Lite,The Doors,The Who,Yes e por aí afora.Se puder dê uma força aí pra gente e se quiser opinar será bem vindo.
        Valeu!!!
        Abraços aí pra turma toda.

        Curtir

  62. Que isso, Mauro. Pelo contrário. Me sinto lisonjeado e agradeço muito pelo espaço. Quanto mais pessoas tomarem consciência do ocorrido, melhor. O bom gosto não pode acabar e pra isso nós precisamos nos unir!
    Abraço!

    Curtir

  63. Voces esqueceram de uma musica que me lembra muito bem o saudoso Jorge Marcio. Era de um grupo chamado Klatu ele traduzia ela como querida cristina eu me lembro que ele dizia Belo horizonte 7 de setembro de 1979 ( Querida cristina ) tempos bons que nao voltam mais. Pra te serr sincero nenhuma destas FM substitui a minha querida Cultura anos 70

    Curtir

    1. Prezado Oseias, também me lembro desta música e de seu início, onde o JM fazia uma introdução na forma de carta, falando a data e depois “Querida Cristina…”. Muito legal. E várias músicas ele fazia estas brincadeiras, sendo que a que eu mais gostava era na música flying high, dos commodores ( já comentei qui antes) . Do banda canadense Klaatu (nome do robô do filme o dia que a terra parou), também tocavam na cultura as músicas lonely creatures e calling occupants of interplanetary craft. Um abraço.

      Curtir

      1. Olá Oseias, não lembro muito bem desse programa clássico, mas se não me engano era no domingo a noite. Também não lembro da banda Eloy, mas as músicas da banda Ambrosia que tocavam na cultura eram: How Much I Feel, You’re The Only Woman e Biggest Part Of Me.

        Curtir

  64. Na cultura dos anos 70 eu ouvi duas bandas e nao consigo encontrar aqui em cuiaba mt As bandas sao ELOY e AMBROSIA me parece que eram grupos progressivos, se voces lembrarem me fale ai

    Curtir

  65. Meu pai fez parte desse grande time da rádio na época e infelizmente não foi lembrado nessa memorável rádio que ele sempre fez questão de recordar toda a história de tudo e de todos.O nome dele é Walter Arruda.O apelido era “Nem”.Ele tinha um bordão que dizia: “Cultura, Ritmos da Noite” na sequência tocava a música do creedence: “i heard it through the grapevine” Infelizmente também ele não está mais entre nós. Mas me deixou essa herança que foi a sua história na rádio, o seu bom gosto musical e um magnífico backup que ele foi baixando ao longo dos anos.Vou aproveitar para mandar um abraço pro Rangel,Jorge Márcio,Marcio Seixas e ao criador do blog! Obrigado pela memória.

    Curtir

    1. que bacana Rafael. Mesmo ele não tem sido lembrado aqui, nada tira de você o privilégio de, mesmo indiretamente, ter feito parte da história radialista de BH, via rádio cultura, pelo grande trabalho desenvolvido por seu pai.

      Curtir

  66. Meu pai também fez parte desse grande time na época e infelizmente não foi lembrado nessa memorável rádio que ele sempre fez questão de recordar de tudo e de todos. O nome dele é Walter Arruda. O apelido era “Nem”. Ele tinha um bordão que dizia com a sua voz marcante na introdução do programa Ritmos da Noite: “Cultura Ritmos da Noite” na sequência tocava a música “I heard it through the grapevine” do “Creedence”. Infelizmente também ele não está mais entre nós. Mas me deixou de herança essa história da rádio Cultura e inconfidência por qual trabalhou, O seu bom gosto musical, a sua coleção de bolachões e o seu magnífico backup que ele foi baixando ao longo dos anos.Vou aproveitar e mandar um abraço Para o Rangel, Jorge Márcio e pro Marcio Seixas por qual sempre foram lembrados e para o dono do blog pela lembrança. Obrigado

    Curtir

  67. Todo final de ano a Radio Cultura tocava John Lennon Happy Xmas com uma voz marcante traduzindo a música (Voz). Não consigo achar essa raridade. Alguém pode me ajudar ? Um abraço a todos que curtiram essa época.

    Curtir

  68. Galera, tudo de bom a todos , faltou apenas comentar que na abertura magistral do cash box tocava-se Jimi Hendrix , onde Jorge Marcio dizia a cash box a primeira do top 100, também tinha algumas pérolas como Montrose Crazy for You, Nektar reciclagem Part 5, tempos modernos aqueles e hoje não temos uma rádio que ao menos chegue perto da nossa saudosa Cultura com o jargão Cultura AM A Emissora pop da cidade.

    Curtir

    1. Correto Carlão. Eu tinha colocado um link para esta música aqui no site, mas ela foi retirada do you tube. O nome da música é trash man e tocava sempre no rock top. Outra música do Hendrix que tocava neste programa era peace in mississippi.

      Curtir

      1. Olá M arcelo Dilla , gostaria de saber sobre o livro você tem alguma notícia? Como entro em contato? Obrigado

        Curtir

  69. Galera, desejo a todos os amigos que gostam de musica excelente, um ano novo cheio de Paz Amor, claro curtindo Alex Harvey Band com a musica Dance to you Dad. God Bless You All.

    Curtir

  70. sera que alguem sabe o nome da musica que vinha depois da vinheta ¨cultura radio sucesso¨antes da musica how do you do no lado a do lp da radio cultura

    Curtir

  71. Pessoal, faz muitos anos que estou atrás de uma música que também tocava muito na programação da Cultura e cujo nome era “Tracks of the Cat” (e que traduzida como “as Pegadas do Tigre”). Se alguém souber do nome da banda ou intérprete, terá salvo metade da minha adolescência musical!!!

    Curtir

  72. ola Mauro e pessoal bom dia !!!

    como vão vcs e as boas novas ?
    tem um bom tempo que não venho aqui para matar saudades e relembrar os bons tempos da radio cultura com vcs.
    Mauro se me permiti. o que vc acha de criar um grupo no Facebook para que mais gente fique sabendo desses nossos encontros aqui ?
    é apenas uma sugestão. a visibilidade pelo face é bem maior e ai ficaria mais fácil tb encontrar os outros gênios da radio cultura.

    Curtir

      1. Ola Mauro boa noite,
        Acho que quem tem que criar é você mesmo meu caro amigo rs por favor. Como foi você que inspirou a mim e a tanta gente bacana que curtia a radio cultura para estar aqui, não vejo outra pessoa mais capacitada do que você. Nossa !!! to imaginando aqui quando o grupo no facebook estiver criado e reunirmos mais gente para encontrarmos e escutarmos muita musica boa e quem sabe até combinarmos uma festa tipo as daquela época da cultura para nos divertirmos. e sonhando um pouquinho mais alto convidarmos os dinosauros da programaçao que tanto gostamos da cultura também. rs

        abraço meu caro e ficamos no seu aguardo.

        Antônio Paulo.

        Curtir

  73. Pessoal, vi nos comentário da morte do radialista Hamilton de Castro, ex itatiaia no “O Tempo” on line, que o Geraldão também morreu recentemente. Alguém confirma? o que aconteceu?

    Curtir

  74. Olá!
    Nesta época eu morei na rua juiz de fora, 1078, em um prédio ao lado do CPOR, bairro Santo Agostinho, quase esquina com Av. Amazonas.
    Hoje aos 61 anos lembro muito das músicas e dos amigos que tiver.
    Acho ótimo ter as músicas do youtube.com.
    Quantos aos amigos… os perdi com o tempo.

    Ah, meu nome é Adyr!

    Abraços e Viva a Rádio Cuuuultura!

    Curtir

  75. Boa tarde a todo(a)s: observei que o pessoal do blog disponibilizou via Spotify as melhores musicas de 2016. Gostaria de sugerir que organizassem sua vasta memória das grandes músicas dos anos 60 a 80 que tocavam na Cultura, com os clássicos que tanto mexeram conosco, JJ Light com a inesquecível Heya, é a minha preferida. Algumas nacionais como Charles Anjo 45 ….e centenas que não caberiam listar. Ou se alguém aqui já tenha criado, gentileza compartilhar.

    Curtir

  76. Gostaria aqui de fazer uma homenagem ao Geraldo Ferreira (Geraldão) coordenador da Cultura AM830 que foi a rádio da minha juventude.Geraldão morreu o ano passado aqui em BH.Ele foi responsável por uma rádio que movimentou a juventude dos anos 70/80.Programas como Hot Pop,Ritmos da Noite,Top Hits e Cultura Background.Fez coberturas incríveis dos vestibulares da PUC e da UFMG além das gincanas que movimentaram a juventude daquela época.Nos fez apreciar músicas como Old Back the Water do Bachman Turner,Heya Heya do J.J. Light (do programa hot pop às 2 da tarde), I Heard it Through the Grapevine do Creedence Clearwater (do programa Ritmos da Noite) e muitas mais.Geraldão foi o cara.Quem naquela época como eu tinha lá seus 15 anos e não tinha ainda o rádio FM somente o AM e a Cultura,como disse,aqui pra gente era a rádio da juventude.O Geraldão e a sua Cultura é que ditavam os costumes da rapaziada.Lançamentos internacionais com o famoso C U L T U R A… no meio da música,matava a gente de raiva principalmente quando você com o gravadorzinho de rolo e microfone na mão,sim microfone na mão(pois a gente não conseguia gravar direto do rádio),tentava gravar a música inteira sem ninguém falar nada.Hoje tudo é fácil.As rádios tem sua programação toda no computador,más naquela época era tudo no manual.Pick-ps com pause no disco de vinil,cartuchos de fita que eram montados na hora pra rodar propagandas e vinhetas.Geraldão…sua Cultura ficou lá no passado,más nós que vivemos aquela época te agradecemos por tudo de bom que nos fez viver acompanhando aquela emissora classe A para a juventude.Muito obrigado!!!

    Curtir

    1. Concordo plenamente com voce rapaz, tambem sou daquela epoca, e morava ai em BH meu radinho vivia no programa do geraldao que pena que ele partiu mas fica aqui minha consideraçao e minha lembrança deste que foi um dos grandes radialista ai de BH.

      Curtir

    2. É verdade Jairo, o Geraldão foi um dos responsáveis pela revolução cultural da mocidade na década de 80 , também não podemos deixar de sermos gratos ao grande Jorge Márcio que com sua voz inconfundível sempre nos dizia ” O seu rádio ta pegando fogo bicho..” e ai entrava a musica Heya Heya, e também aos demais integrantes do time Cultura AM.
      Bons tempos o melhor da música estava na cultura.

      Curtir

      1. É verdade, não tinha outra rádio em BH.
        Era ouvir a Cultura a todas as horas.
        Quanto à Mundial, conseguia-se ouvir às 22:00h em diante e sempre se ouvia um ATALAIA durante a transmissão.
        Foi graças ao Big Bit que fiquei conhecendo a melhor Loja de Discos de BH.
        Era a Sonus que ficava na Galeria São José, na Tupis ao lado da Liu.
        O proprietário, José Luiz Gontijo fazia merchandising no Big Boy, e buscava no RJ, os lançamentos e assim sempre tinha as novidades Quase ao mesmo tempo em eram lançados no RJ
        E, outro detalhe, é que ele vendia LP a 20,00 cruzeiros e o Rei do Disco vendia a 25,00 cruzeiros.
        O Gontijo era aquele do Minas Esporte.

        Curtir

      2. Comprei vários discos que tocavam na cultura onde eu e meu amigo Josimar montamos uma coleção de vinil , comprava-mos em nas lojas hall wave discos na rua rio janeiro na galeria onde tinha uma escada rolante que não rolava por nada, outra na Av.. contorno próximo rodoviária coltec discos, e a outra era a discografie também na rio de janeiro quase em frente ao banco do brasil, cara bons tempos o melhor da música e como curtia-mos as fotos das contra capas era maravilhoso sou Roqueiro graças a Cultura.

        Curtir

  77. Queria apenas citar a excelente música ” I’m not in love” do 10 cc que tocava sempre na Radio Cultura. Era também tema de abertura de um programa noturno, do qual não me lembro o nome.

    Curtir

  78. bom dia, fiz poucos comentarios, mas citei a Radio Excelsior de SP, e para quem gosta do rock classico, a Radio Kiss FM mantem esta pegada. Inclusive um dos apresentadores do horario de 17 horas/18 horas, é das antigas. Vale a pena conferir. A Musirama também com o Mr. T, apresenta um repertorio variado, porém, ele tem dado muito enfase ao blues, e eu mesmo gostando bastante, este ritmo não era muito presente na saudosa Cultura.

    Curtir

  79. Meu álbum favorito: Watch
    Banda: Manfred Mann’s Earth Band
    Ano: 1978
    Músicas que tocavam na Cultura: Drowning on Dry Land/Fish Soup, California e Mighty Quinn.

    Enjoy !

    Curtir

  80. Pessoal, boa tarde! Eu também me sinto um órfão das boas rádios tanto em AM como nas FMs. Curti muito a Rádio Cultura no antigo radio zamir (caixote que funcionava com 04 pilhas grandes – não tinha luz elétrica em casa) que tinha na minha casa. Ele era muito concorrido pelos 12 irmãos, mas sempre conseguia “bater ponto” no horário do Background. Programa que me despertou para ouvir boas músicas. Acho que tenho todas as músicas da época e estou fazendo um review buscando agrupar tudo que tenho. Assim que concluir, vou comentar aqui. Estou à disposição para trocar informações.

    Curtir

  81. Olá, Curti muito a Rádio Cultura, quando morei em BH, nos anos 78, 79, 82, 83 e 84. Era AM, mas com uma programação de alto nível, que nem mesmo se via em pouquíssimas FMs da época. Que me desculpem a Rádio Mundial do Rio e a Excelsior de SP, a Cultura ia muito mais além, bom ótimos programas e bons locutores; com um jornalismo bem interessante. Enfim, era uma Rádio ligada à vida de cidade, especialmente com a juventude.
    Lembro-me que um dia fui a uma Festa da Rádio Cultura, no Clube Esparta, perto da Av. Pedro II, foi muito legal. Pena que não pode comparecer o locutor Oliveira Rangel, mas ele gravou um áudio que foi rodado durante a Festa.
    Só quero registrar também aqui uma outra Rádio que havia em BH no começo dos anos 80: a Rádio Terra FM , considerada a Rádio do Rock na época. Pena que durou pouco tempo. Dizia-se que a rádio era de Roberto Carlos.
    Hoje vejo em BH, a programação da Rádio CDL Fm, um pouquinho parecida com a Cultura. Mas seria interessante se algum empresário pudesse resgatar a Rádio Cultura, colocando-a com AM e FM ao mesmo tempo, colocando as coisas boas daquele tempo e com algumas adaptações para o nosso tempo, sem contudo perder a essência daquela Rádio.
    Vau Medina

    Curtir

  82. Senhores e senhoras noticia boa o Jorge Mácio, esta vivo e mora no Bairro Santa Inês, fala e anda com uma pequena dificuldade, mais continua com o bom humor de sempre , conversei um bom tempo com o mesmo…

    Curtir

      1. Fiz uma entrevista com o jorge há dois anos, mas ainda não consegui produzir o texto. Não poderá ser a transcrição literal da entrevista em ping-pong, como foi com o Geraldo Ferreira, por conta das dificuldade com a fala que Jorge vem enfrentando. Mas acho que o depoimento foi muito legal.

        Curtir

  83. Cara, triste mesmo contatar que se perdeu no tempo o nosso pop rock nacional,,, e junto com o rock, rádios e programas desses citados por vc!! Saudade valeu forte agora!! Mas ainda nos resta 98,3 FM e o programação diária cm puro rock.. E já começa às 07:00 com o programa no fundo do baú 😁.
    Abraços!!!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: