“Atualizações” sobre a Rádio Cultura

Algumas “atualizações” sobre a Cultura enviadas pelo nosso amigo Jairo da CulturaWeb Radio :

Os programas da época de ouro eram:
Hot Pop de 2 as 5 com Jorge Márcio
Top Hits de 6 as 7 com o Zezão
Ritmos da Noite de 22 à 0h
Background aos sábados de 20 as 21h
Aos domingos tinha o Disk Beatles disk brincando antes do Hot Pop,não me lembro o nome do apresentador
também tinha um programa de manhã com o Oliveira Rangel e me parece Tutti Maravilha,não tenho certeza.
Tri-Top que trazia 3 músicas pra gente escolher e votar sendo que a mais votada tocava novamente.

Uma coisa que fez muito sucesso na época foi a ginkana inclusive tendo uma noticia triste.Um dos locutores da Cultura voltava de uma festa dos participantes de uma equipe e sofreu um acidente com seu carro vindo a falecer se não me engano se chamava Jorge Luiz (trabalhou também na antiga Rádio Cidade).

Segundo o Jairo, o Jorge Márcio está vivo. Ele realmente recebeu um tiro na cabeça quando foi separar uma briga  e desde então está afastado.  O Jairo lembra também que o Márcio Seixas começpo na Rádio D’El Rey (AM 570), que era uma das concorrentes da Cultura, junto com a Mineira AM 690. O Jorge Márcio apresentava na D’El Rey o programa RADIOATIVA que era das 14:00-17:00.

Locutores da Cultura:

Zezão

Jorge Márcio

Oliveira Rangel

Muri Mitri

Geraldão

Zé Carlos.

Obrigado pelas lembranças Jairo.

Dica: Cultura Web Radio

Esta dica é das boas para nós os saudosistas e amantes da Rádio Cultura AM 830 BH. O Jairo colocou no ar uma rádio que tenta recuperar o antigo espírito da Cutura. Em suas próprias palavras:

“Agora você vai poder ouvir pela internet com qualidade digital os melhores hits das décadas de 60, 70, 80, 90…A Cultura Web Rádio traz de volta os ritmos dançaantes que fizeram a alegria das pistas de todo mundo em gravações originais e também remixes.Uma programação feita por quem viveu a alegria daqueles tempos.Embarque nessa viagem de volta ao passado, aumente o som, sinta-se a vontade porque os maiores sucessos da música estão de volta inteirinhos pra você aqui na Cultura Web Rádio.”

Os programas:

Cultura Background
O programa de maior sucesso nos anos dourados da Cultura AM 830 de BH está de volta aqui na Cultura Web Radio de domingo a quinta de dez a meia noite horário de Brasília. Cultura Background o sucesso do passado de presente pra você.

Rock’n Roll Classics
A Cultura Web Radio apresenta diariamente em sua programação pilulas com clássicos do rock. É o rock’n roll classics. Você também pode ouví-los a partir da meia noite horário de Brasília até as seis da manhã.

Open House Radio
O programa Open House Radio apresentado pelo DJ Alex Gutierrez e Mike In The Night  traz o melhor da Disco Music dos anos 70 e 80 em sets mixados diretamente de Miami nos EUA.Você não pode perder. É todo sábado na CulturaWebRadio.com.br. Fique ligado!

 

Rádio Cultura BH AM 830 – O LP da Cultura

 

 

Caros amigos, atendendo a vários pedidos acho que consegui achar um dos LPs da Cultura. As faixas:

CULTURAMANIA: 12 BOLACHAS EXCLUSIVAS DA RÁDIO CULTURA DE BELO HORIZONTE –  SELEÇÃO DE REPERTÓRIO ADEMIR LEMOS (1976)

   LADO A :

  1. SHOTGUM SHUFFLE – SUNSHINE BAND
  2. LOVE AND UNDERSTANDING – KOOL THE GANG
  3. YOU MEANTHE WORLD TO ME SWEETHEART-RONNIE L
  4. BAND OF GOLD – ARMADA ORCHESTRA
  5. STING YOUR JAWS PART 1 – ULTRA FUNK
  6. DO IT YOURSELF – NAPOLEON JONES

LADO B

  1. BOHANNON’S BEAT PART 1 – HAMILTON BOHAHHON
  2. COME ON DANCE WITH ME – FAMILY PLANN
  3. FAMILY AFFAIR – VEIT MARVOS
  4. MIGHTY O J – PATTI DREW
  5. KEEP IT UP – MILTON WRIGHT
  6. BLOOD DONORS NEEDES -THE ELIMINATORS

Não é o LP principal da Cultura, mas pelo menos já é um deles. este está à venda no Mercado Livre

 

 

Memória: Geraldão da Radio Cultura (AM) e O movimento Soul em Belo Horizonte

Os trechos deste post são retirados da tese: “IDENTIDADE E RESISTÊNCIA NO URBANO: O QUARTEIRÃO DO SOUL EM BELO HORIZONTE” de Rita Aparecida da Conceição Ribeiro, apresentada Tese apresentada ao Programa de Pós-Graduação do Departamento de Geografia daUniversidade Federal de Minas Gerais, como requisito parcial à obtenção do título de Doutor em Geografia.(2008) . Acesso em 20/01/2012.

Um pedacinho da história musical de BH e do Geraldão, que o Vitrola traz , especialmente para a turma aqui de BH. Vale a pena ler a tese – o link está acima. Lembre só:

” Assim como no Rio de Janeiro, o movimento soul começa em Belo Horizonte a partir da influência do rádio, no caso da rádio Cultura AM. E, assim como o Big Boy foi o radialista que trouxe a linguagem jovem para o rádio no Rio, em Belo Horizonte,essa transição foi encabeçada pelo radialista Geraldo Ferreira de Souza, o Geraldão.”

 

 

“O formato das rádios, assim como das primeiras emissoras de TV em Belo Horizonte seguiam o modelo mais formal. A mudança do cenário acontece com a entrada da programação segmentada, A cultura e o acesso às discussões ligadas à música, ao teatro, à filosofia,foram determinantes na influência da programação musical que se institui na CulturaAM, bem como a constituição de um novo mercado consumidor – os jovens. Muito distantes da elite que freqüentava os clubes da zona sul, os primeiros bailes soul acontecem primeiro, timidamente nas casas da periferia de Belo Horizonte, embalados pelos Ritmos da Noite , da Cultura AM:

“A influência da Cultura AM no conhecimento da soul music é ratificada por Raimundo Luzia Ventura, o DJ Tatu, responsável pela mais famosa equipe de som
da época, a Som James, que explica a sua influência:
A equipe Som James, se chamava assim porque a gente gostava do James Brown. Na época tinha a Rádio Cultura, era ali no Dom Cabral. Então tinha o Geraldão locutor, a gente conseguia alguns discos com ele, era vinil, agente gostava muito, gostávamos de soul e rock. Conhecemos através daRádio Cultura, que foi uma influência para a geração toda da época. (DJTatu, 20 nov. 2007).

 

Dos arredores da cidade, os bailes encontraram no Centro de Belo Horizonte o local ideal para o encontro dos blacks, que vinham dos pontos mais distantes dacidade. O centro era ideal, pois não havia necessidade de mais de uma condução e todos os ônibus circulavam por lá. O mais conhecido, considerado por todos osenvolvidos no movimento como o principal baile era o Máscara Negra, localizado no primeiro andar de um prédio na Rua Curitiba, 482. Sua origem foi um baile de carnaval. Depois de Doraci, o baile passou a ser administrado pela equipe que passou a se chamar Som James. O nome advém do gosto do dono Tatu, pela música de
James Brown.

“Outro baile que concorria em freqüência com o Máscara Negra era o da União Síria, que se localizava na Av. Augusto de Lima, 1269, no Barro Preto, próximo ao Centro, nos mesmos moldes. Durante a semana, os freqüentadores dos bailes black se reuniam em dois pontos de encontro na cidade: a Galeria Ouvidor, na segundafeirapara conversar e na Feira Hippie, às quintas-feiras, localizada na época naPraça da Liberdade, para dançar.”

 

“Diversos bailes aconteciam no entorno do centro, principalmente nos bairros Carlos Prates (Tremedal, Asteka, Orion, Esparta), no bairro Renascença, em diversos outros bairros. O advento dos bailes possibilitou a criação também de diversas equipes de som e de grupos de dança. Entre eles Mister Sam Jazz, África Soul, Sonimegion, Ali Babáticos, Stéreo Gladson, Soul Grand Funk, Stéreo Record Som, BlackMinas, Renegados do Funk, Jazz Summer, Woodstock, Brother Soul eBH Soul. No entanto, a força maior dos bailes, que são citados por todos os entrevistados, residia nos bailes do Máscara Negra e da União Síria, ambos na área central da cidade. Por serem tão freqüentados, eram também freqüentemente alvo de batidas da polícia.”

“A repressão policial era uma constante nos bailes, sempre exigindo dos freqüentadores documentos comprobatórios da condição de trabalhador, não apenas carteira de identidade. A maioria dos blacks não possuía carteira de trabalho assinada, pois grande parte trabalhava no mercado informal como camelôs,pedreiros, etc. E isso acarretava um grande número de detenções.”

O Estádio do Atlético nos anos 1970

“A repressão policial e a discriminação, até então sentida somente pelos freqüentadores dos bailes ficou registrada no evento Black Christmas, promovido por Geraldão e a Rádio Cultura, no campo do Atlético, em Lourdes, que se viram intimidados, mesmo contando com patrocínios de peso, como a Coca-Cola. O declínio dos bailes black no Centro de Belo Horizonte pode ser creditado, principalmente, à repressão policial.

Memórias: Rádio Cultura AM 830 – Belo Horizonte

Outro dia, aqui no Vitrola falamos da Rádio Mundial e do Big Boy. Contamos como era difícil sintonizar a Mundial depois da meia-noite, cheia de chiados, só para escutar os últimos lançamentos nacionais e internacionais. Mas nós, aqui em BH, tínhamos uma alternativa – a Rádio Cultura, sintonizada em claríssima ondas médias (AM) 830 Khz. Era nela que ouvíamos outra vez, e conferíamos  os lançamentos que tinhamos mal escutado na Mundial.

A Cultura era uma mania de todos jovens, aqui em BH

Um dos programas mais esperados era o “CASH BOX” , de 14 às 17hs de segunda às sextas e que aos domingos, que tocava todo o Top 100 da parada de singles da Billboard. O locutor era  o Jorge Márcio e seu bordão : ” Seu rádio tá pegando fogo bicho?”   A música  tema do programa se chama Heya e quem canta é J. J. Light, um índio navajo que era baixista no Sir Douglas Quintet e gravou a música em 1969, com a participação de Jim Gordon, Early Palmer, Joe Osbourne e Larry Knechtel, além do guitarista Ron Morgan e Gary Rowles.

Relembre:

O outro locutor famoso na rádio era o Oliveira Rangel que falava: -Cuuullturaaa… enquanto tocava a música. Inesquecível! O programa mais conhecido do Oliveira Rangel era programa  que ia ao ar nos sábados e chamava-se :”CULTURA, BACK GROUND”

Outro grande sucesso da Cultura era o programa que começava diaramente às 22:00 e terminava às 00:oo  – chamava-se “Cultura Ritmos da noite”, era apresentado pelo Jorge Márcio,só tocava Rock e a vinheta de abertura era a seguinte música:

MÁRCIO SEIXAS

A terceira voz famosa da Rádio Cultura era a de Márcio Seixas, muito conhecida no Brasil, por que durante muito tempo foi o anunciante dos episódios das séries dubladas na Herbert Richers. Márcio ministra cursos de locução e leitura livre no Rio de Janeiro com turmas especiais para interessados vindos de outros estados do Brasil. É conhecido por dublar Raúl Juliá e Morgan Freeman na maioria de seus filmes. A última notícia que tive de Jorge Márcio foi triste, e falava de sua morte, em consequência de um tiro recebido. Do Oliveira Rangel não tenho notícias.

A Rádio Cultura lançou discos de vinil com músicas de sua programação, mas não tenho informações sobre suas faixas

Infelizmente, a Rádio foi comprada em 2004, pela Igreja Católica e hoje transmite apenas programas religiosos. É os bons tempos se foram.

Quer escutar rock no rádio hoje ? Desista ! Mesmo nos EUA várias rádios especializadas no velho e bom rock’n roll fecharam nos últimos anos…Voltaremos ao assunto em breve.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: