Encontros: Eddie Boyd with Peter Green’s Fleetwood Mac : You Are My Love (1968)

Encontro histórico em 1968, registrado em disco:

Eddie Boyd : piano, vocais

Mick Fleetwood: bateria
Peter Green : guitarra, coro
John McVie : baixo

Gravado : Março de 1967

Os 50 Solos de Guitarra Mais Influentes do Rock – Parte IV

e a lista continua …

#12 – Jimi Hendrix – All Along the Watchtower (1968)

Porque é importante: ” A música é uma versão da canção lançada por Bob Dylan no álbum John Wesley Harding   e  tornou-se um dos solos mais memoráveis de Jimi. Tocando com sentimento e criatividade, com wah e fuzz como armas, Hendrix reinventou All Along the Watchtower de tal forma que, às vezes, nos esquecemos de quem é o autor da cançÃo (Guitar Player)

Fender Stratocaster/Jimi Hendrix

#13 – Peter Green– Black Magic Woman (1968)

Porque é importante: “Peter Green começou também na banda de blues de John Mayall, mas rapidamente passou a guitarrista e compositor do Fleetwood Mac. Na canção Black Magic Woman in D menor, Green executa uma melodia incrivelmente cativante, lindas frases e bends repletos de feeling. Peter usou uma Les Paul com captadores ‘magneticamente fora de fase’ . Santana tornou esta música um enorme sucesso no álbum Abraxas . Green foi também uma grande influência para o guitarrista irlandês de blues rock Gary Moore, que iria comprar – e depois vender -a famosa Gibson de Green” (Guitar-Player)

Gibson Les Paul/Peter Green

#14 – Robert Fripp– 21st Century Schizoid Man (1969)

Porque é importante: ” O solo sinuoso de Fripp nesta faixa combina uma nota supersaturada sustentada com um atípco movimento intervalar, bends nada blueseiros, trinados e fraseado que tem mais em comum com Coltrane do que com Clapton. Com uma Les Paul 1959 equipada com três captadores e plugada em um stack Marshall, e provavelmente um Burns Buzzaround ou um Coloursound Tone Bender, Fripp gravou o solo seminal do rock progressivo” (Guitar Player)

Gibson LesPaul 1959 /Robert Fripp/Stack Marshall/Burns Buzzaround/Coloursound Tone Bender

#15 – Jimmy Page – Heartbreaker (1969)

Porque é importante: “…o timbre gritante de uma Les Paul 1958, ligada a um Marshall SLP Super Lead 1969, os hammer-ons e pull-offs insanos e um bend atrás da pestana na corda G explica porque todos, de Brian May a Steve Vai, passando por Steve Morse, consideram o primeiro solo de Heartbreaker – sem mencionar o segundo, incrivelmente incendiário – o solo definitivo” (Guitar Player)

Gibson Les Paul 1958/Jimmy Page/Marshall SLP Super Lead 1969

 

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: