Música e Biologia

Bem… Essa nova edição do nosso Música e Biologia é em homenagem a minha irmãzinha querida que tá doida pra saber mais sobre o Pássaro Preto.

Como nosso blog anda em clima de Beatles (principalmente desde o show do Paul), vim contar um pouquinho pra vocês sobre o protagonista de uma das músicas mais bonitas (e com certeza das mais emocionantes na hora do show do Paul) dos Beatles, Black Bird!

Bom, o Black Bird, vulgo Pássaro Preto mas também bem conhecido como Graúna, é uma ave da ordem dos Passeriformes! É inteiro negro incluindo pernas, bico, olhos e penas, daí um de seus nomes populares pássaro preto!

Muito sociável e companheiro, o Pássaro Preto é uma ave nativa muito conhecida no país, afinal encontram-se distribuídos por todo o território brasileiro, principalmente em cerrados e matas! São capazes de aprender truques e reconhecer os membros da família, aceitando carinhos e respondendo a chamados com seu belo canto!

Falando em belo canto, trata-se de um pássaro de voz mais melodiosa desse país, talvez por isso seja retratado em tantas canções! Além de Black Bird, um forró chamado Pássaro Preto do Forróçacana e Assum Preto (outro de seus apelidos) de Luiz Gonzaga são outras músicas muito conhecidas!

Então vou deixar os vídeos do canto do pássaro preto e das três músicas listadas para vocês curtirem esse som gostoso!

Música e Biologia

Depois do comentário do nosso amigo André Winter, resolvi escrever de novo sobre música e biologia para falar um pouco do nosso bichinho bonito e verdinho chamado Espirogiro ou Spyrogyra!

Na verdade, Spyrogyra não é um bichinho (apesar de ser bonito e verdinho)! Assim como o próprio Jorge Ben explica na música, Spirogyra (pronuncia-se espirógira) é um gênero de algas verdes planctônicas da ordem Zygnematales, que possuem como principal característica os seus cloroplastos em forma de espiral ao longo de suas células, por isso é chamada de Spirogyra!

As spirogyras são normalmente vistas como grandes massas brilhosas e esverdeadas (como a cor da esperança) na superfície de lagos principalmente, afinal o espirogiro é doce doce doce, de água doce!

Bom, partindo para as críticas biológicas da música (claro, não podia faltar!): 1º- Como eu já disse, spirogyra não é um bichinho; 2º- um plâncton não é necessariamente uma alga, existem zooplânctons!!!; 3º- não existe um zigoto masculino, o zigoto é formado depois da união de um gameta masculino com um feminino!

Apesar desses erros graves, essa é um música que eu particularmente ADORO e é a música tema da minha sala, que inclusive deu nome ao time de futsal da sala, os Spyrocudos!

Vale a pena escutar, se divertir e rir das maluquices que ele fala:

Música e Biologia

Quem disse que música e biologia não tem nada a ver?

Eu, como uma boa aspirante a bióloga, recentemente ando pensando muito sobre isso e descubro cada vez mais que música e biologia estão intimamente relacionados!

Quando minha irmã me chamou para escrever aqui, eu logo pensei “sobre o que eu iria escrever???”… Ai ela mesma virou e falou: “Por que você não escreve sobre música e biologia?”…. Na mesma hora lembrei de uma palestra que eu vi no I Encontro de Parasitologia da UFMG do prof. Henrique Lenzi entitulada: “Coabitologia: emergência de um novo sistema complexo entre habitante (simbionte/parasito) e entidade habitável (hospedeiro): visão de Gaia versus Medéia”.

Vocês devem estar pensando: “O que raios isso tem a ver com música meu Deus???”… Calma! Eu já vou explicar!!

Bom, coabitologia é um termo que o prof.Lenzi propõe para substituir o termo parasitologia, pois estudar um parasito isoladamente, sem estudar o seu hospedeiro e o ambiente em que vivem, é totalmente sem sentido! Tudo está interligado e todos eles interagem entre si! Então, para exemplificar a sua teoria, logo no começo da palestra ele coloca o vídeo de um ato de ballet que eu particularmente ADORO, o Don Quixote, mostrando a interação de parasito, hospedeiro e ambiente harmonicamente, sendo: o bailarino o parasito, a bailarina o hospedeiro e a música clássica o ambiente!

Vejam o vídeo abaixo, prestem atenção por esse ponto de vista e vejam como faz o maior sentido! (eu sei que o vídeo é gigantesco, mas vale a pena assistir pelo menos um pedacinho! Na verdade o exemplo só vai até o 5ºmin do vídeo, o resto são agradecimentos e os outros pas de deux individuais!)

Achei o exemplo dele brilhante, ai resolvi compartilhar com as pessoas pra tentar introduzir uma pitada de biologia para as suas vidas!

Tá vendo que música e biologia tem tudo a ver?

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: