Busca

Vitrola dos Sousa

Um pouco de música, bom gosto e família

data

9 de julho de 2015

World Music: Música da Manhã: SOUAD MASSI – FAYA LÂYLA (2015)

Souad Massi TFF 01.JPG

Vamos viajar mais um pouquinho, o destino agora é a Argélia. Vamos conhecer outra cantora excepcional Souad Massi. Nascida a 23 de agosto de 1972 é cantora, compositora e guitarrista. Inciou sua carreira na banda Akator, de conteúdo político, tendo de abandonar o pais por sofrer várias ameaças terroristas. Em 1999 se apresentou no concerto Femmes d’Algerie, em Paris, o que a levou a um contrato com a Island Records. A música de Massi é predominada pela guitarra acústica e mostra influências claras da música ocidental como do rock,country e sobretudo do fado, embora sempre incorpore influências e instrumentos orientais. Massi canta em árabe algeriano, francês e ocasionalmente em inglês e kabyle (língua beduína), frequentemente alternando entre ela na mesma canção. O resulta do é belísssimo e ãs vezes me lembrou a voz de outras duas grandes ativistas, Mercedes Sosa, argentina e Joan Baez, americana. Seu último álbum, El Mutakallimûn, foi recebido com entusiasmo na Europa. É dele a faixa selecionada.

Na Hora de Dormir: C’est la vie – Emerson, Lake & Palmer

 

Na hora de dormir, hoje, matei a saudade de uma mega banda dos anos 1970 – Emerson, Lake & Palmer, em sua romântica C’est la vie

Crítica: João Bosco e o Jazz (projeto especial para o Savassi Festival) – Teatro Bradesco BH – 08/07/15

Cotação ****1/2

Pela primeira vez em sua carreira, João Bosco apresentou-se  num show de jazz. Segundo consta, a ideia era desejo do artista há muito tempo, mas ele aguardou o momento certo, até reunir os músicos que queria para dar vida ao projeto. E a escolha foi espetacular, e a espera valeu a pena. Acompanhado por Alexandre Carvalho, guitarrista, que assina, ao lado de João, os arranjos das canções, estavam um excelente baixista acústico, Jefferson Lescowich , Ademir Jr. no  sax e clarinete, José Arimatea , no trompete e fliscornee,  Rafael Rocha no  trombone e o baterista americano  Jimmy Duchowny, radicado em Belo Horizonte, João nos brindou com uma mistura inesquecível de pérolas musicais.

No repertório  canções consagradas de João Bosco e de outros compositores. Todas em uma em uma roupagem jazzística. Foram apresentadas, entre outras, “Água de Beber”, de Vinícius de Moraes e Antônio Carlos Jobim, “Desenho de Giz”, de João Bosco, “Blue in Green” de Miles Davis e Bill Evans, ‘April child’ (Moacyr Santos), ‘Dindi’ (AC Jobim) e até My favorite things’, da trilha de ‘A noviça rebelde’ ganharam novos arranjos jazzisticos e envolventes. João Bosco acertou em seu projeto e esperamos que ele continue, e quem sabe o lance em DVD ou em CD para que fique eternizado.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: