Busca

Vitrola dos Sousa

Um pouco de música, bom gosto e família

data

4 de julho de 2015

Uma música doce: “Pillow Talk”, de Joss Stone.

A cantora britânica Joss Stone (nascida Joscelyn Eve Stoker, em 1987), despontou aos 16 anos, quando foi adotada musicalmente pelo produtor Steve Greenberg no lançamento do álbum “The Soul Sessions”.

Dona de uma poderosa voz, visual meio vintage com longos cabelos loiros, cantando sempre descalça (“a la” Graham Nash), fez backing vocals para famosos como Jeff Beck e Ringo Starr antes de se associar, em 2009, ao competente Dave Stewart (The Eurythimics) para produzirem alguns álbuns e participarem do lançamento do único álbum do mega grupo “SuperHeavy”, contando com Damiam Marley e ninguém mais que Mick Jagger.

Em 2012, Joss Stone lançou o álbum “The Soul Sessions, Vol 2”, produzido novamente por Steve Greenberg, e contendo uma coleção de clássicos da soul music. Uma dessas músicas é a linda “The Pillow Talk”, em que Joss Stone deixa de lado alguns arroubos vocais e faz uma linda e suave interpretação, swingada por um órgão Hammond B3, lembrando o início dos anos 70 (Stevie Winwood / Traffic, The James Taylor Quartet…). Uma delícia de música!

Esta é a versão original do álbum:

Esta outra versão, de um show ao vivo no final de 2012, é reduzida e não conta com o teclado no final, mas tem o belo visual da Joss Stone:

A sincronia entre música e vídeo: “Star Guitar”, The Chemical Brothers

Esta música da dupla inglesa “The Chemical Brothers” (Tom Rowlands & Ed Simons) contém um “sample” do início de “Starman”, de David Bowie, daí o nome “Star Guitar”. Foi lançada no álbum “Come With US”, de 2002,

O vídeo é muito interessante, e foi dirigido pelo diretor francês Michel Gondry. É caracterizado por uma tomada de cena contínua, filmada a partir da janela de um trem em altíssima velocidade, passando por várias paisagens urbanas e rurais. A idéia surgiu durante uma viagem de férias do diretor entre Nimes e Valence, no interior da França/Espanha.

O curioso é que os edifícios e objetos que passam pela janela do trem aparecem exatamente no tempo da batida de cada nota da música, ditando o ritmo do vídeo. A filmagem foi gravada em diferentes horas durante o dia, a fim de se obter gradientes de luz. O diretor planejou meticulosamente a sincronização da música com o vídeo, tendo o cuidado de modelar o cenário com laranjas, garfos, fitas, livros, óculos, tênis e outros objetos. (baseado em texto do Wikipedia)

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: