Pesquisadora de canto contemporâneo, ou ‘arqueóloga da voz’, Andrea Drigo é multiinstrumentista, regente, diretora e compositora. Técnica em violão erudito pelo Conservatório Guiomar Novaes, tendo mestres como Henrique Pinto e Luis Carlos Tessarin; compositora e regente pela FAAM-SP, inclui em sua formação uma profunda pesquisa por diversos territórios culturais, que vão de musicalidades regionais e afro-brasileiras às paisagens sonoras orientais, com ênfase no estudo da música clássica indiana.