Curiosidade: Solo inédito de Harrison

Em 2011, enquanto escutavam uma das muitas gravações feitas no estúdio para “Here Comes The Sun”, Dhani Harrison, Sir George Martin, e seu filho Giles Martin descobriram  um solo de guitarrra de  George que não foi usado na mixagem final. Subitamente Dhani abriu um canal que continha o solo de guitarra perdido. O momento foi documentado em vídeo e você pode acompanhar esta interessante descoberta:

Curiosidade: In Spite of All the Danger ( A única parceria McCartney-Harrison)

In Spite of All the Danger Label.jpg

Ainda com respeito ao filme Nowhere Boy, comentado no Raras Ideias, mais uma curiosidade, em uma determinada cena, Paul, John e George cantam uma bela e quase desconhecida canção : In Spite of All the Danger, a única parceria conhecida de Paul e George. A música foi gravada pelos The Quarrymen, o conjunto  dos três que antecedeu os Beatles, mais o pianista John Lowe e o baterista Colin Hanton, num  sábado – 12 de Julho de 1958 (três dias antes da morte da mãe de Lennon, que inclusive teria ajudado a pagar pela gravação ). A gravação foi feita no estúdio doméstico de  Percy Phillips, em  Liverpool e custou 17 shillings e seis pences. Apenas uma cópia de  “That’ll Be the Day” e “In Spite of All the Danger” foi feita, e cada membro da banda ficava com o disco de acetato por uma semana. Lowe foi o último a ficar com a cópia, e a manteve por quase 25 anos.  Em 1981, Lowe tentou vendê-la num leilão, mas McCartney negociou e a comprou.McCartney, com engenheiros de som, restaurou muito do som original da gravação, e então fez cerca de 50 cópias  do single e o distribuiu para amigos e familiares. Em  2004, a revista Record Collector cotou a gravação original como o disco mais valioso que existe, estimando seu valor em  £100,000, as cópias feitas por McCartney, em 1981, vêm em segundo lugar a lista,cotadas a   £10,000 cada.

In Spite of All the Danger” só foi disponibilizada ao público em 1995′ no álbum Anthology 1, junto com a gravação de  “That’ll Be the Day“. A versão de  Anthology é mais curta (2:44) do que a original original (3:25). Em 2005, na sua turnê mundial, McCartney tocou a música,pela primeira vez ao vivo, para uma grande audiência.

A cena da gravação no filme:

e a gravação original

 

 

Dia Internacional da Mulher – Homenagem do Vitrola

International+Womens+Day+3

Não poderíamos deixar passar em branco o Dia Internacional das Mulheres – Parabéns a todas ! Não vivemos sem vocês !

O vídeo a seguir foi lançado no Dia Internacional das Mulheres, 8 de Março de  2013, pela ONU, instando homens e mulheres a respeitar os direitos destas últimas. “One Woman” foi escrito para  UN Women, organismo da ONU que trabalha para melhorar a vida das mulheres em todo o mundo. . “One Woman” nos lembra que juntos podemos superar a violência,  e a discriminação contra as mulheres e olhar com otimismo para um futuro melhor:  “We Shall Shine!”

Memórias: John e sua mãe.

john lennon mae

 

Em meu último post no Raras Ideias comentei sobre o filme Nowhere Boy , que trata especialmente da relação de John Lennon com sua tia Mimi e sua mãe Júlia. Deu vontade de escutar, neste contexto, duas obras-primas de John: a pungente Mother e a doce Julia. Vamos lá: assista em sequência…

Crítica: Samba, Amor & Malandragem – Musical – Teatro da Cidade – Belo Horizonte – 28/02/15

Exibindo foto.JPG

COTAÇÃO: *** 1/2

Já há alguns anos em cartaz, o musical produzido por Pedro Paulo Cava e dirigido por Kalluh Araújo cumpre bem o seu papel. Diverte e distrai a plateia com boa música (todos os sambas cantados, ou tocados, são lindos clássicos do gênero), enquanto, usando como pano de fundo uma história que já faz parte do imaginário coletivo brasileiro, Dona Flor e seus Dois Maridos, de Jorge Amado, apresenta o samba como um legítimo porta voz da vida nas comunidades. Fica fácil de entender como os sambistas usam e usaram o samba como uma crônica da vida nas favelas. É verdade que hoje a trilha sonora das comunidades é o rap e o funk, mas cada época tem a música que merece, e Samba, Amor & Malandragem, não nos deixa esquecer que o samba já cumpriu, e ainda cumpre este papel com uma ironia crítica e elegante que talvez esteja em falta nos dias de hoje. No elenco atual: Dirlean Loyolla, Kalluh Araújo,Kátia Kouto, Gerson Marques, Luiz Gomide, Jai Baptista,Jefferson de Medeiros, Tiago Colombini e Júlia Borges são os responsáveis por todos os personagens e canções, enquanto nos instrumentos o violão suave e ritmado de Evaldo Nogueira, a percursão de Márcio Batista e Júlia Borges e o cavaquinho de Gerson marques dão o tom. Um bom espetáculo. Não percam. Na atual temporada até o final de semana que vem.

 

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: