As 100 Maiores Vozes da Música Brasileira: 51 a 60

60 – Jamelão

Jamelão.jpg

José Bispo Clementino dos Santos – Nascido: Rio de Janeiro, 12 de maio de 1913 – Falecido: Rio de Janeiro, 14 de junho de 2008

 Texto da Rolling Stone: Jamelão cantou em boates do Rio de Janeiro e em programas de rádio. Além dos sambas e boleros, sua voz imensa fez parte da história do Carnaval do Rio. Ele interpretou sambas nas duas fases da festa: quando ainda eram marchinhas e depois, quando viraram sambas-enredo. Alegrou a Marquês de Sapucaí pela Mangueira por quase 60 anos. Parou só em 2006. Dois anos depois, o vozeirão se calou.

Discografia: (2003) Cada vez melhor • Obi Music • CD (2001) Escolas de Samba no Dia da Cultura • CD (2000) Por força do hábito • Som Livre • CD (1997) A voz do samba • CD (1994) Minhas andanças • RGE • LP (1987) Recantando mágoas-Lupi, a dor e eu • Continental • LP (1984) Mangueira, a super campeã • Continental • LP (1980) Jamelão • Continental • LP (1977) Folha morta • Continental • LP (1975) Jamelão • Continental • LP (1975) Samba-enredo-sucessos antológicos • Continental • LP (1974) Jamelão • Continental • LP (1974) Os melhores sambas enredos 75 • Continental • LP (1973) Jamelão • Continental • LP (1972) Jamelão interpreta Lupicínio Rodrigues • Continental • LP (1970) Jamelão • Continental • LP (1969) Cuidado moço • RCA Victor • LP (1964) Torre de Babel/Feioso e pobre • Continental • 78 (1963) Horinha certa/Eu agora sou feliz • Continental • 78 (1963) Reza/Não adianta • Continental • 78 (1963) Fim de jornada/Foi assim • Continental • 78 (1963) Velinha acesa/Eu não quero vacilar • Continental • 78 (1963) Estamos em paz/Voa meu passarinho • Continental • 78 (1963) Sambas para todo gosto • Continental • LP (1962) A marron do Leblon/Você é gelo • Continental • 78 (1962) Jamelão canta para enamorados • Continental • LP (1961) Amor de mãe/Valsinha da mamãe • Continental • 78 (1961) Meu barracão de zinco/Vou fugir de mim • Continental • 78 (1961) Mais do que amor/Qual o quê! • Continental • 78 (1961) Foi brinquedo/Só meu coração • Continental • 78 (1961) Dia de pierrô/Linguagem do morro • Continental • 78 (1961) Jamelão e os sambas mais • Continental • LP (1960) Não importa/O grande presidente • Continenta • 78 (1960) Exemplo/Jajá na Gambõa • Continenta • 78 (1960) Solidão/Decisão • Continenta • 78 (1960) Deixei de sofrer/Eu não sou Deus • Continenta • 78 (1960) Desfile de Campeãs-Jamelão e Escolas de Samba • Continental • LP (1959) Ela disse-me assim/Esquina da saudade • Continenta • 78 (1959) Três amores/Há sempre uma que fica • Continenta • 78 (1959) O samba é bom assim/Esta melodia • Continenta • 78 (1959) Fechei a porta/Perdi você • Continenta • 78 (1959) O samba é bom assim-a boite e o morro na voz de Jamelão • Continental • LP (1958) Grande Deus/Frases de um coração • Continental • 78 (1958) Nem te lembras/Ela está presente • Continental • 78 (1958) Saudade que mata/Serenata de pierrô • Continental • 78 (1958) Guarde seu conselho • Continental • 78 (1958) O samba em Noite de Gala • Continental • LP (1958) Escolas de Samba • Continental • LP (1957) Moleza/Eu hein, Dolores • Continental • 78 (1957) Timbó/Pense em mim • Continental • 78 (1957) Quem mandou/Como ela é boa • Continental • 78 (1957) Não quero mais/Não tenho ninguém • Continental • 78 (1956) Cansado de sofrer/Mirando-te • Continental • 78 (1956) Folha morta/Dengosa • Continental • 78 (1956) Definição • Continental • 78 (1956) Vida de circo/Confiança • Continental • 78 (1955) Bica nova/Se parar esfria • Continental • 78 (1955) Ogum General de Umbanda/Enconsta o carro (Gírias cariocas) • Continental • 78 (1955) Corinthians, campeão do centenário/Oração de um rubro negro • Continental • 78 (1955) Exaltação à Mangueira/Lá vou eu • Continental • 78 (1955) Eu não mandei/Castigo do céu • Continental • 78 (1954) Sem teu amor/O caçador de preá • Sinter • 78 (1954) Alta noite/A cegonha mandou • Sinter • 78 (1954) Leviana/Deixa de moda • Continental • 78 (1953) Acabei entrando bem/Vem cá mulata • Sinter • 78 (1953) Eu não poderei/Deixa amanhecer • Sinter • 78 (1953) Seu deputado/Voltei ao meu lugar • Sinter • 78 (1952) Só apanho resfriado/Você vai…eu não • Sinter • 78 (1952) Eu vou partir/Mora no assunto • Sinter • 78 (1951) Falso pirata/Lá vem você • Odeon • 78 (1951) Casinha da colina/Voltei ao meu lugar • Odeon • 78 (1951) Torei o pau/Onde vai sinhazinha • Odeon • 78 (1950) Pancho Vila/Este é o maior • Odeon • 78 (1950) Capitão da mata/Já vi tudo • Odeon • 78 (1950) Pai Joaquim/Siá Mariquinha • Odeon • 78 (1950) Pirarucu/Duque de Caxias • Odeon • 78 (1949) A giboia comeu/Pensando nela • Odeon • 78

59 – Joyce

Joyce Silveira Moreno,  como Joyce Moreno, nasceu no Rio de Janeiro em 31 de janeiro de 1948

Texto da Rolling Stone: Hoje com Moreno no nome, a cantora conviveu com parte do núcleo inicial da bossa nova, mas não pensava em fazer da música profissão. Ao assumir a música, Joyce passou a ser a voz feminina marcante da segunda fase da bossa nova, e destaca-se também por compor e cantar as suas próprias músicas, além de recriar clássicos do movimento. Cultuada no Japão, sua voz límpida já foi elogiada nos quatro cantos do mundo.

Discografia: Joyce (1968) Philips LP, CD Encontro marcado (1969) Philips LP, CD Posições (Como integrante do grupo A Tribo) (1971) Odeon LP Joyce (1971) Odeon Compacto simples Nelson Angelo & Joyce (1972) Odeon LP, CD Passarinho urbano (1976) Fonit-Cetra (Itália) LP e CD Lançado em 1977 no Brasil pela Continental. Feminina (1980) Odeon LP, CD Água e luz (1981) Odeon LP, CD Tardes cariocas (1983) Feminina Produções LP, CD PolyGram (1984). Far-Out Records (1997). Saudade do futuro (1985) Pointer LP Wilson Batista, o samba foi sua glória (1986) Funarte/Continental LP Tom Jobim – os anos 60 (1987) SBK/EMI-Odeon LP, CD Negro demais no coração (1988) SBK/EMI-Odeon LP, CD Ao Vivo (1989) EMI-Odeon LP, CD Music Inside (1990) Verve/PolyGram (EUA) LP, CD Línguas e Amores (Language and love) (1991) Verve/PolyGram (EUA) LP, CD Revendo Amigos (1994) EMI-Odeon CD Delírios de Orfeu (1994) NEC Avenue (Japão) CD Live at Mojo Club (1995) Verve/PolyGram (Alemanha) LP, CD Sem você (1995) Omagatoki (Japão) CD Ilha Brasil (1996) EMI-Odeon (Brasil)/Omagatoki (Japão)/World Pacific-Blue Note (EUA) CD Astronauta (1998) Blue Jackel (EUA)/Pau-brasil (Brasil)/Omagatoki (Japão) CD Hard bossa (1999) Far Out Recordings (Inglaterra) LP, CD Tudo bonito (2000) Impartmaint Records/Sony Music LP, CD Gafieira Moderna (2001) Far Out Recordings (Inglaterra) LP, CD Biscoito Fino (Brasil) Banda Maluca (2003) Biscoito Fino CD Wolf’s Rain Original Soundtrack Vol. 1 (2004) CD, Bandai (Japão)  Joyce & Banda Maluca – Ao vivo (2005) DVD Rio-Bahia com Dori Caymmi (2006) Biscoito Fino/Pau-Brasil CD Samba-Jazz & Outras Bossas com Tutty Moreno (2008) Far Out Recordings CD Joyce Ao Vivo (2008) EMI CD, DVD Slow Music (2009) Biscoito Fino CD Tudo (2013) Far Out CD 

58 -Belchior

Antônio Carlos Gomes Belchior Fontenelle Fernandes, conhecido simplesmente como Belchior nasceu em Sobral, 26 de outubro de 1946

Texto da Rolling Stone: O cearense Belchior a princípio conquistou sucesso como compositor, tendo suas canções interpretadas com sucesso por Elis Regina e Vanusa. Quando se lançou como cantor, chamou atenção por seu vocal anticonvencional, anasalado, urgente, uma espécie de “Bob Dylan made in Brazil”. Belchior ouvia repentistas e cantores de rua, e seu estilo foi forjado juntando influências urbanas e rurais. Logo o público passou a reconhecer que Belchior havia se tornado o melhor intérprete de Belchior.

Discografia: 1971 – Na Hora do Almoço (Copacabana – Compacto) 1973 – Sorry, Baby (Copacabana – Compacto) 1974 – Mote e Glosa (Continental – LP) 1976 – Alucinação (Polygram – LP/CD/K7) 1977 – Coração Selvagem (Warner – LP/CD/K7) 1978 – Todos os Sentidos (Warner – LP/CD/K7) 1979 – Era uma Vez um Homem e Seu Tempo (Warner – LP/CD/K7) 1980 – Objeto Direto (Warner – LP) 1982 – Paraíso (Warner – LP) 1984 – Cenas do Próximo Capítulo (Paraíso/Odeon – LP) 1986 – Um Show: 10 Anos de Sucesso (Continental – LP) 1987 – Melodrama (Polygram – LP/K7) 1988 – Elogio da Loucura (Polygram – LP/K7) 1990 – Projeto Fanzine (Polygram – LP/K7) 1991 – Divina Comédia Humana (MoviePlay – CD) 1991 – Acústico (Arlequim Discos – CD) 1993 – Baihuno (MoviePlay – CD) 1995 – Um Concerto Bárbaro – Acústico Ao vivo (Universal Music – CD) 1996 – Vício Elegante (Paraíso/GPA/Velas – CD) 1999 – Autorretrato (BMG – CD) 2002 – Pessoal do Ceará (Continental / Warner – CD) 2008 – Sempre (Som Livre – CD)

57 -Francisco Alves

Francisco de Morais Alves : Nascido: Rio de Janeiro, 19 de agosto de 1898 — Falecido : Pindamonhangaba, 27 de setembro de 1952

Texto da Rolling Stone: Nos anos 30, Alves disputou com Carmen Miranda e Orlando Silva o título de maior astro da música brasileira. Embora o estilo vocal empostado fosse tributário da ópera, Alves transitava com brilhantismo por um repertório que ia de sambas a valsas. O ídolo foi um dos principais agentes da transição do samba de roda, praticado nos quintais e nas ruas, para o samba moderno, adaptado ao rádio e ao disco. A morte do Rei da Voz em um acidente de carro, em 1952, comoveu o Brasil.

Discografia: O pé de anjo (1919) – disco em 78 rpm Albertina/Passarinho do Má (1927) – disco em 78 rpm A voz do violão/Até as flores mentem (1928) – disco em 78 rpm Pálida Morena / Ouve Esta Canção (1933) – disco em 78 RPM A Vida é Sempre a Mesma Coisa / Fui Eu o Seu Primeiro Amor / Entre Nós Dois (1935) – disco em 78 RPM Aquarela do Brasil (1939) disco em 78 RPM participação de (Radamés Gnattali) Linda Judia / Céu e Mar (1940) – disco em 78 RPM Esmagando Rosas / Vivo Bem na Minha Terra (1941) – disco em 78 RPM Capela de São José / Ai, Ai, Que Pena (1942) Quantas São / Céu Cor-de-rosa (1943) – disco em 78 RPM participação de As Três Marias Se é Pecado / Transformação (1943) – disco em 78 RPM participação de Abel Ferreira Ela Partiu / Adeus Escola (1943) – disco em 78 RPM Chuá, Chuá / Oi Iaiá Baiana (1944) – disco de 78 RPM Onde o Céu É Mais Azul / A Flor e o Vento (1944) – disco em 78 RPM Brasil / Lamento Negro (1945) – disco em 78 RPM com participação de Dalva de Oliveira e Trio de Ouro Noite Santa, Silenciosa / Amanhã Vem o Papai Noel / Natal – disco em 78 RPM participação Trio de Ouro Te Quero, Disseste / Para Sempre Teu (1946) Bahia com H / Caminhemos (1947) – disco em 78 RPM Cinco Letras Que Choram / Você e a Valsa (1947) – disco em 78 RPM Duas Almas / Dez Minutos Mais (1948) – disco em 78 RPM Cadeira Vazia / Vem Meu Amor (1949) – disco em 78 RPM Holandesa / Se o Divórcio Vier (1950) – disco em 78 RPM participação de Dalva de Oliveira Aquarela Mineira (1950) – disco em 78 RPMSão Paulo Coração do Brasil / Sem Protocolo (1951) – disco em 78 RPMSaudade do Passado / Não Sei (1951) – disco em 78 RPMBrasil de Amanhã / Canção da Criança (1952) – disco em 78 RPM

56 -Erasmo Carlos

Erasmo Esteves , nascido no Rio de Janeiro, 5 de junho de 1941

Texto da Rolling Stone: Erasmo Carlos sempre conseguiu escapar da armadilha de cantar rock em português sem soar caricato ou exagerado. Na época da jovem guarda, demonstrava sua gentil insolência em hits como “Vem Quente Que Estou Fervendo”. E se saía bem, mesmo sem ter um poderio vocal rascante ou um timbre extraordinário. O tremendão foi melhorando em seu ofício vocal e se tornou um intérprete versátil e agradável, passeando pelo pop, samba-rock e baladas.

Discografia:1962 – Mil Bikinis (Compacto Duplo) 1965 – A Pescaria 1966 – Você Me Acende 1967 – Erasmo Carlos 1967 – O Tremendão: Erasmo Carlos 1968 – Erasmo Carlos 1970 – Erasmo Carlos e os Tremendões 1971 – Carlos, Erasmo 1972 – Sonhos e Memórias 1974 – Projeto Salva Terra 1975 – Hollywood Rock (Falso álbum ao vivo, lançado somente em LP, e dividido com Raul Seixas, O Peso, Rita Lee e Tutti Frutti 1976 – Banda dos Contentes 1978 – Pelas Esquinas de Ipanema 1980 – Erasmo Convida 1981 – Mulher 1982 – Amar pra Viver ou Morrer de Amor 1984 – Buraco Negro 1985 – Erasmo Carlos 1986 – Abra Seus Olhos 1988 – Apesar do Tempo Claro… 1989 – Sou uma Criança 1992 – Homem de Rua 1996 – É Preciso Saber Viver 2001 – Pra Falar de Amor 2001 – Ao Vivo 2004 – Santa Música2007 – Erasmo Convida, Volume II 2009 – Rock ‘n’ Roll 2011 – Sexo 2012 – 50 Anos de Estrada 2014 – Gigante Gentil

55-Vicente Celestino

Antônio Vicente Filipe CelestinoNascido Rio de Janeiro, 12 de setembro de 1894 — Falecido : São Paulo, 23 de agosto de 1968)

Texto da Rolling Stone: Ninguém cantava como Vicente Celestino. Naturalmente, ele era produto de outra era, cria da ópera, quando era necessário ter muito pulmão para ser ouvido pelos quatro cantos de um teatro sem amplificação. Celestino se enveredou pela canção popular e levou sua experiência operística para os palcos e para o disco. Era também ator e suas gravações são impregnadas por uma alta carga de dramaticidade. “A Voz Orgulho do Brasil”, como era conhecido, foi apagada em 1968, aos 73 anos.

Discografia: Urubu Subiu, autor desconhecido (c/Bahiano; 1917) À Luz do Luar, de sua autoria (1928) Ai, Ioiô (Linda Flor), Cândido Costa e Henrique Vogeler Bem-Te-Vi, Melo Morais Filho e Emílio Pestana (1928) Caiuby (Canção da Cabocla Bonita), Pedro de Sá Pereira (1923) Coração Materno, de sua autoria (1937) Dileta, Índio (1933) Flor do Mal, Domingos Correia e Santos Coelho (1915) Malandragem, Ari Barroso (1933) Mia Gioconda, de sua autoria (1946) Nênias, Índio (1929) Noite Cheia de Estrelas, Cândido das Neves (1932) O Cigano, Gastão Barroso e Marcelo Tupinambá (1924) O Ébrio, de sua autoria (1936) Ontem ao Luar, Catulo da Paixão Cearense e Pedro de Alcântara (1918) Ouvindo-Te, de sua autoria (c/Gilda de Abreu; 1935) Patativa, de sua autoria (1937) Porta Aberta, de sua autoria (1946) Serenata, de sua autoria (1940)

54-Johnny Alf

Johnny Alf, Alfredo José da Silva, Nascido:  Rio de Janeiro, 19 de maio de 1929 , Falecido:  Santo André, 4 de março de 2010

Texto da Rolling Stone: Na mesma tradição de Dick Farney, Johnny Alf foi precursor da bossa nova e também tinha voz grave e aveludada, que alternava com falsetes, e o que se ressaltava era a sua exímia capacidade de brincar com as harmonias complexas e cantar suingado. Acompanhando-se ao piano, ele fez uma fusão do jazz e do samba e, quando partia para releituras de outros autores, deixava a sua marca. Alf morreu em 2010, mas antes disso, deixou um enorme legado.

Discografia: 1952 – Johnny Alf 1952 – Convite ao Romance – Mary Gonçalves 1954 – Johnny Alf (78 rpm) 1955 – Johnny Alf (78 rpm) 1958 – Johnny Alf (78 rpm) 1961 – Rapaz de bem (longplay) 1964 – Diagonal (Lp) 1965 – Johnny Alf – arranjos de José Briamonte 1968 – Johnny Alf e Sexteto Contraponto 1971 – Ele é Johnny Alf 1972 – Johnny Alf – compacto duplo 1974 – Nós 1978 – Desbunde total 1986 – Johnny Alf – Eu e a brisa 1988 – O que é amar 1990 – Olhos Negros – participação Gilberto Gil,Chico Buarque,Caetano Veloso, Roberto Menescal, Leny Andrade, Márcio Montarroyos e outros. 1997 – Johnny Alf e Leandro Braga – Letra e música Noel Rosa 1998 – Cult Alf – Johnny Alf – gravado ao vivo 1999 – As sete palavras de Cristo na Cruz – Dom Pedro Casaldáliga 2001 – Johnny Alf – Eu e a Bossa – 40 anos de Bossa Nova

53-Jair Rodrigues

Jair Rodrigues de Oliveira – Nascido : Igarapava, 6 de fevereiro de 1939 —Falecido  Cotia, 8 de maio de 2014

Texto da Rolling Stone: Ele começou como crooner no interior de São Paulo na década de 50, mostrando uma voz menos grave do que a maioria dos cantores negros daquela época. Alcançando a fama nos programas de calouros, o sorridente Jair deixou sua marca na música brasileira, primeiro cantando o samba, depois enveredando para outros gêneros, como a música sertaneja. Ainda teve a parceria cheia de balanço com outra grande voz, Elis Regina, com quem gravou e comandou o programa O Fino da Bossa.

Discografia: Vou de samba com você (1964) O samba como ele é (1964) Dois na Bossa – Elis Regina e Jair Rodrigues (1965) O sorriso do Jair (1966) Dois na Bossa nº 2 – Elis Regina & Jair Rodrigues (1966) Dois na Bossa nº 3 – Elis Regina & Jair Rodrigues (1967) Jair (1967) Menino rei da alegria (1968) Jair de todos os sambas (1969) Jair de todos os sambas nº 2 (1969) Talento e bossa de Jair Rodrigues (1970) É isso aí (1971) Festa para um rei negro (1971) Com a corda toda (1972) Orgulho de um sambista (1973) Abra um sorriso novamente (1974) Jair Rodrigues dez anos depois (1974)Ao vivo no Olympia de Paris (1975) Eu sou o samba (1975) Minha hora e vez (1976) Estou com o samba e não abro (1977) Pisei chão (1978) Antologia da seresta (1979) Couro comendo (1979) Estou lhe devendo um sorriso (1981) Antologia da seresta nº 2 (1981) Alegria de um povo (1981) Jair Rodrigues de Oliveira (1982) Carinhoso (1983) Luzes do prazer (1984) Jair Rodrigues (1985) Jair Rodrigues (1988) Lamento sertanejo (1991) Viva meu samba (1994) Eu sou… Jair Rodrigues (1996) De todas as bossas (1998) 500 anos de folia-100% ao vivo (1999) 500 anos de folia vol. 2 (2000) Intérprete (2002) A nova bossa (2004) Alma negra (2005) Jair Rodrigues – Programa Ensaio – Brasil 1991 (CD e DVD) (2006) Festa Para Um Rei Negro (CD e DVD) (2009) Samba mesmo vol. 1 (2014) Samba mesmo vol. 2 (2014)

52-Cassiano

Genival Cassiano dos Santos , nascido em Campina Grande, 16 de setembro de 1943

Texto da Rolling Stone: Um dos pilares da soul music brasileira – junto com Tim Maia e Hyldon –, este paraibano abusa dos falsetes para cantar suas músicas, que são, em sua maioria, românticas. Dono de uma curta discografia solo (apenas quatro discos lançados), Cassiano encontra-se recluso desde o começo dos anos 2000, mesmo sendo convidado para participar de diversos discos e fazer shows com seu repertório clássico.

Discografia: Com Os Diagonais1969 – Os Diagonais 1971 – Cada um na Sua Álbuns de estúdio na carreira solo:  1971 – Imagem e Som 1973 – Apresentamos nosso Cassiano 1976 – Cuban Soul 1991 – Cedo ou Tarde Coletâneas:  1998 – Velhos Camaradas – Tim Maia, Cassiano e Hyldon 2000 – Cassiano Coleção 2001 – Velhos Camaradas 2 – Tim Maia, Cassiano e Hyldon

51-Fernanda Takai

Fernanda Barbosa Takai, nascida em Serra do Navio, 25 de agosto de 1971

Texto da Rolling Stone: O rock, o pop, a MPB e a bossa nova ganharam um novo jeito de ser interpretados com o surgimento da candura de Fernanda Takai. Conhecedora das suas limitações, ela usa isso a seu favor: uma voz frágil, um tantinho rouca e grave, mas cheia de doçura. Fernanda se adequa bem sempre, seja nas peripécias do seu Pato Fu, seja em canções de outros. Sem invencionices, sobrevoa os gêneros com graça e fofura ímpar.

Discografia: . 2014 – Na medida do impossível . 2012 Fundamental . 2010 Luz Negra . 2007 Onde brilhem os olhos

Deixe um comentário

Arquivado em 100 Melhores Cantores, Listas, mpb

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s