Busca

Vitrola dos Sousa

Um pouco de música, bom gosto e família

data

14 de dezembro de 2014

Música do Dia: Tony Joe White – Rainy Night In Georgia – Germany 1992

A dica do dia vem mais uma vez do meu amigo Carlinhos, com seu finíssimo gosto musical:

As 100 Maiores Vozes da Música Brasileira: 71 a 80

80 – Miúcha

Nascida:  Rio de Janeiro, 30 de novembro de 1937

Texto da Rolling Stone: Heloisa Maria Buarque de Hollanda, a Miúcha, sempre foi uma operária da bossa nova e da MPB tradicional. Irmã de Chico Buarque, ex-mulher de João Gilberto e mãe de Bebel Gilberto, ela se notabilizou por utilizar a voz pequena, redonda e bem colocada a favor de um repertório de indiscutível bom gosto. E quem a viu nos anos 70, harmonizando no palco ao lado de Tom Jobim, Vinicius de Moraes e Toquinho, nunca vai esquecer a sensação.

Álbuns: Miúcha & Antônio Carlos Jobim (1977) RCA Victor LP Tom/Vinicius/Toquinho/Miúcha’ – Gravado ao vivo no Canecão (1977) Som Livre LP, CD Os Saltimbancos (1977) Phonogram/Philips Records LP, CD Miúcha & Tom Jobim (1979) RCA Victor LP Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Toquinho e Miúcha – Musicalmente ao vivo na Itália (1979) Miúcha (1980) RCA Victor LP Miúcha’ (1989) Warner/Continental LP Vivendo Vinicius ao vivo Baden Powell, Carlos Lyra, Miúcha e Toquinho (1999) BMG Brasil CD Rosa amarela (1999) BMG Brasil CD Miúcha.compositores (2002) Biscoito Fino CD Miúcha canta Vinicius & Vinicius – Música e letra (2003) Biscoito Fino CD Miúcha Outros Sonhos (2007) Biscoito Fino Miúcha com Vinícius/Tom/João(2008) Sony & BMG

79 – Evinha

Nascida: Rio de Janeiro, 17 de setembro de 1951

Texto da Rolling Stone: Na época da jovem guarda, Evinha fez parte do Trio Esperança. Em carreira solo, a voz quente, pop e com apelo universal da cantora era obrigatória em temas de novelas e festivais. Quem viveu a virada dos anos 60 para os 70 não escapou de ouvir incessantemente “Casaco Marrom” e “Cantiga por Luciana”. No auge, ela se mudou para a França para cantar na orquestra de Paul Mauriat, mas deixou muitas saudades.

Álbuns: Carreira Solo : Eva 2001 (1969) Odeon LP Eva (1970) Odeon LP Cartão postal (1971) Odeon LP Evinha (1973) Odeon LP Eva (1974) Odeon LP Reencontro (1999) PolyGram CD Como integrante do Trio Esperança: Nós somos o sucesso (1963) LP Três vezes sucesso (1964) LP A festa do Bolinha (1966) Odeon LP A festa do Trio Esperança (1967) Odeon LP O fabuloso Trio Esperança (1968) Odeon LP A capela do Brasil (1992) PolyGram CD Segundo (1995) PolyGram CD Nosso mundo (1999) Universal (USA) CD

78 – Dorival Caymmi

Nascido: Salvador, 30 de abril de 1914 – Falecido : Rio de Janeiro, 16 de agosto de 2008

Texto da Rolling Stone: As canções de Dorival Caymmi são uma expressão musical essencial, metafísica, da natureza e dos fatos da vida humana. Ele começou a carreira nos anos 30 e até sua morte, aos 94 anos, escreveu pouco mais de 80 canções. A voz de baixo cantante, profunda como o mar que ele tanto amava, sempre foi o veículo perfeito para entoar grandes obras-primas. Para não amar a música e a voz de Caymmi, só mesmo sendo louco.

Álbuns: (2000) Caymmi amor e mar • EMI • CD (1996) Caymmi inédito • Universal • CD (1994) Caymmi em família • Som Livre • CD (1988) Família Caymmi em Montreux • Odeon • CD (1987) Família Caymmi • LP (1985) Caymmi, som, imagem e magia • Sargaço Produções • LP (1984) Setenta anos • Funarte/MEC • LP (1976) Gal canta Caymmi • Phonogram • LP (1973) Caymmi também é de rancho • Odeon (1972) Caymmi • Odeon • LP (1967) Vinicius e Caymmi no Zum Zum • Elenco • LP (1965) Caymmi • Odeon • LP (1964) Caymmi visita Tom • Elenco • LP (1960) São Salvador/Eu não tenho onde morar • Odeon • 78 (1960) Rosa morena/Acalanto • Odeon • 78 (1960) Eu não tenho onde morar • Odeon • LP (1959) Caymmi e seu violão • Odeon • LP (1958) Ary Caymmi – Dorival Barroso • Odeon • LP (1957) Saudade da Bahia/Roda pião • Odeon • 78 (1957) Acalanto/História pro sinhozinho • Odeon • 78 (1957) 2 de fevereiro/Saudades de Itapoã • Odeon • 78 (1957) Caymmi e o mar • Odeon • LP (1957) Eu vou pra Maracangalha • Odeon • LP (1956) Sábado em Copacabana/Só louco • Odeon • 78 (1956) Saudades de Itapoan/A lenda do Abaeté • Odeon • 78 (1956) Maracangalha/Fiz uma viagem • Odeon • 78 (1955) Sambas • Odeon • LP (1954) Quem vem prá beira do mar/Pescaria (Canoeiro) • Odeon • 78 (1954) A jangada voltou só/É doce morrer no mar • Odeon • 78 (1954) Canções praieiras • Odeon • LP (1953) Tão só/João Valentão • Odeon • 78 (1952) Não tem solução/Nem eu • Odeon • 78 (1949) O vento/Festa de rua • RCA Víctor • 78 (1948) A lenda do Abaeté/Saudade de Itapoã • RCA Víctor • 78 (1948) Cantiga/Sodade matadera • RCA Víctor • 78 (1947) Marina/Lá vem a baiana • RCA Víctor • 78 (1946) A vizinha do lado/Trezentos e sessenta e cinco igrejas • Odeon • 78 (1945) Dora/Peguei um ita no Norte • Odeon • 78 (1943) Essa nêga fulô/Balaio grande • Continental • 78 (1943) É doce morrer no mar/A jangada voltou só • Continental • 78 (1943) O mar (l)/O mar (ll) • Continental • 78 (1941) Essa nega Fulô/Balaío grande • Columbia • 78 (1941) É doce morrer no mar/A jangada voltou só • Columbia • 78 (1940) Navio negreiro/Noite de temporal • Odeon • 78 (1940) O mar (I)/O mar (II) • Columbia • 78 (1939) O que é que a baiana tem?/A preta do acarajé • Odeon • 78 (1939) Roda pião • Odeon • 78 (1939) Rainha do mar/Promessa de pescador • Odeon • 78

77 – André Matos

Nascido: Andre Coelho Matos – São Paulo, 14 de setembro de 1971

Texto da Rolling Stone: Com invejável capacidade de alcançar notas altíssimas, inglês impecável e currículo obtido ao participar do Viper, Angra e Shaman, o cantor se estabeleceu como a maior (e mais bem-sucedida) voz do metal melódico brasileiro. Apreciador tanto de música erudita quanto de metal pauleira, Matos prima pela união harmônica entre agudos até o médio-grave. É potência e melodia, sem precisar se esgoelar.

Álbuns: Solo : Time to Be Free (2007) Mentalize (2009) The Turn of the Lights (2012) Viper:  The Killera Sword (1985) Soldiers of Sunrise (1987) Viper 1989 (1989) Theatre of Fate (1989) Angra:  Reaching Horizons (1992) Angels Cry (1993) Evil Warning (1994) Eyes of Christ (1995) Live Acoustic at FNAC (1995) Holy Land (1996) Freedom Call (1997) Holy Live (1997) Fireworks (1998) Virgo: Virgo (2001) Shaman:  Demo (2001) Ritual (2002) RituAlive (2003) Reason (2005) Symfonia:  In Paradisum (2011)

76 –Inezita Barroso

Nascida: Ignez Magdalena Aranha de Lima  – São Paulo, 4 de março de 1925

Texto da Rolling Stone: O trabalho de pesquisa, registro e divulgação do folclore musical do Brasil que Inezita faz há décadas é monumental. Ela segue resoluta pela estrada de chão batido que a levou ao coração do país para resgatar modas de viola, pagodes caipiras e outros ritmos. A voz de contralto de Inezita tem o cheiro do mato e a amplidão dos campos. É a rainha inconteste da verdadeira canção rural brasileira.

Álbuns: (2013) Inezita Barroso – Cabocla eu Sou • Cultura • DVD (2011) O Brasil de Inezita Barroso • EMI • CD (2009) Sonho de Caboclo • Independente • CD (2006) Trilhas Globo Rural – Inezita Barroso e Roberto Corrêa – Coletânea – • Som Livre • CD (2005) Inezita Barroso – Ronda – Coletânea – • Revivendo • CD (2003) Hoje lembrando • Trama • CD (2001) A Música Brasileira deste Século por Seus Autores e Intérpretes – Inezita Barroso – Coletânea – • SESC • CD (2000) Perfil de São Paulo – Ao Vivo com Izaías e Seus Chorões • Inter CD • CD (2000) Bis Sertanejo – Inezita Barroso – Coletânea – • EMI • CD (1999) Raízes Sertanejas – Vol. 2 – Coletânea – • EMI/Odeon • CD (1999) Sou mais Brasil • CPC/UMES • CD (1998) Raízes Sertanejas – Coletânea – • EMI/Odeon • CD (1997) Caipira de fato – Inezita Barroso e Roberto Corrêa • RGE • CD (1996) Voz e Viola – Inezita Barroso e Roberto Corrêa • RGE • CD (1993) Alma brasileira – Coletânea • Copacabana • CD (1985) Inezita Barroso, a incomparável • Líder • LP (1980) Joia da Música Sertaneja Nº2 • Copacabana • LP (1979) Inezita Barroso canta e Evandro no choro • Copacabana • LP (1978) Jóia da Música Sertaneja • Som/Copacabana • LP (1977) Seleção de Ouro – Inezita Barroso • Som/Copacabana • LP (1977) Moda da Pinga (Marvada Pinga)/Tristeza do Jeca/Lampião de Gás/Meu Limão, Meu Limoeiro • Copacabana • Compacto Duplo (1975) Modas e canções • Copacabana • LP (1975) Inezita em todos os cantos • Copacabana • LP (1974) Tô Como O Diabo Gosta/1900 E Nada • Copacabana • Compacto simples (1972) Clássicos da música caipira – Vol. II • Copacabana • LP (1972) Inezita Barroso • Copacabana • LP (1970) Corinthians Meu Amor/Festa No Coreto • Copacabana • Compacto simples (1970) Modinhas • Copacabana • LP (1969) Recital Nº 2 • Copacabana • LP (1968) O melhor de Inezita • Copacabana • LP (1966) Vamos Falar de Brasil, Novamente • Copacabana • LP (1963) Cavalo preto/Mineirinha • Sabiá • 78 (1963) A moça e a banda – Com A Banda da Força Pública do Estado de São Paulo • Copacabana • LP (1962) Clássicos da música caipira – Vol. I • Copacabana • LP (1962) Recital • Copacabana • LP (1962) Nhô Leocádio/Prece a São Benedito • Copacabana • 78 (1962) Baldrana Macia/Pingo d’Água • Sabiá • 78 (1961) A voz do violão/Moda do bonde camarão • Copacabana • 78 (1961) Tatu/Pezinho • Copacabana • 78 (1961) Balaio/No Bom do Baile • Copacabana • 78 (1961) Inezita Barroso interpreta Danças Gaúchas • Copacabana • LP (1961) Coisas do Meu Brasil • Copacabana • LP (1961) Inezita Barroso • Copacabana • LP (1960) Moda do bonde camarão/Moda da onça • Copacabana • 78 (1960) Eu me Agarro na Viola • Copacabana • LP (1959) De papo pro á/Oi calango ê • Copacabana • 78 (1959) Fiz a cama na varanda/Meu limão, meu limoeiro • Copacabana • 78 (1959) Canto da Saudade • Copacabana • LP (1958) Lampião de gás/Engenho novo • Copacabana • 78 (1958) Vamos Falar de Brasil • Copacabana • LP (1958) Inezita Apresenta – Babi de Oliveira, Juracy Silveira, Zica Bergami, Leyde Olivé, Edivina de Andrade • Copacabana • LP (1957) No bom do baile/Nhô Locádio • Copacabana • 78 (1956) Danças Gaúchas • Copacabana • LP (1956) Coisas do Meu Brasil • RCA Victor • LP (1956) Lá vem o Brasil • Copacabana • LP (1956) O gosto do caipira/Casa de caboclo • Copacabana • 78 (1956) Chimarrita-Balão/Quero nana • Copacabana • 78 (1956) Balaio/Maçarico • Copacabana • 78 (1956) Estatutos de boate/Ser mãe é dureza • Copacabana • 78 (1955) Meu casório/Nhá Popé • RCA Victor • 78 (1955) Benedito Pretinho/Meu barco é veleiro/Na fazenda do Ingá • RCA Victor • 78 (1955) Dança de caboclo/Maracatu elegante • RCA Victor • 78 (1955) Moleque Vardema’/Prece à São Benedito • Copacabana • 78 (1955) Minero tá me chamando/Minha terra • Copacabana • 78 (1955) Inezita Barroso • Copacabana • LP (1954) Estatutos da gafieira/Soca pilão • RCA Victor • 78 (1954) Iemanjá/Pregão da ostra • RCA Victor • 78 (1954) Redondo Sinhá/Mestiça • RCA Victor • 78 (1954) Taieiras/Retiradas • Taieiras/Retiradas • 78 (1954) Coco do Mané/Roda a moenda • RCA Victor • 78 (1953) Isto é papel, João?/Catira • RCA Victor • 78 (1953) O canto do mar/Maria do mar • RCA Victor • 78 (1953) Moda da Pinga/Ronda • RCA Victor • 78 (1951) Funeral de um Rei Nagô (Afro-brasileiro)/Curupira (Canção amazônica) • Sinter • 78

75 – Gonzaguinha

Nascido: Luiz Gonzaga do Nascimento Júnior – 22/9/1945 Rio de Janeiro, RJ   falecido : 30/4/1991 perto de Curitiba, PR

Texto da Rolling Stone: Morto em um desastre automobilístico em 1991, Luiz Gonzaga Jr. era mais conhecido como compositor de “Grito de Alerta”, sucesso na voz de Maria Bethânia. Dono de uma voz peculiar, ao mesmo tempo frágil, firme e passional, Gonzaguinha assumiu seu lugar como cantor de fato, após sua gravação de “Sangrando”. Teve várias canções censuradas pela ditadura e nunca esteve à sombra do pai, Luiz Gonzaga, o Rei do Baião, com quem gravou “Vida do Viajante”, em 1979.

Álbuns: (2007) Ensaio – Gonzaguinha – Programa produzido pela TV Cultura, 1990. (Gonzaguinha) • TV Cultura/Performance Music • DVD (2001) Luiz Gonzaga Jr.(Gonzaguinha) • Universal Music • CD (2001) Simples Saudade – coletânea (Gonzaguinha) • BMG Brasil • CD (1994) A viagem de Gonzagão e Gonzaguinha – coletânea (Gonzaguinha e Luiz Gonzaga) • EMI-Odeon • CD (1994) O talento de Gonzaguinha – coletânea (Gonzaguinha) • EMI-Odeon • CD (1993) Cavaleiro solitário (Gonzaguinha) • Som Livre • CD (1991) Gonzagão & Gonzaguinha – Juntos – coletânea (Gonzaguinha e Luiz Gonzaga) • BMG/Ariola • CD (1990) Luizinho de Gonzaga (Gonzaguinha) • WEA/Moleque • LP (1988) Corações marginais (Gonzaguinha) • Moleque/WEA • LP (1987) Geral (Gonzaguinha) • EMI – Odeon • LP (1985) Olho de lince – Trabalho de parto (Gonzaguinha) • EMI/Odeon (1984) Grávido (Gonzaguinha) • EMI/Odeon (1983) Alô, alô Brasil (Gonzaguinha) • Odeon – EMI • LP (1982) Caminhos do coração (Gonzaguinha) • EMI • LP (1981) A vida do viajante (Luiz Gonzaga e Gonzaguinha) • EMI/Odeon (1981) Coisa mais maior de grande – Pessoa (Gonzaguinha) • EMI-Odeon (1980) De volta ao começo (Gonzaguinha) • EMI – Odeon • LP (1979) Gonzaguinha da vida (Gonzaguinha) • EMI – Odeon • LP (1978) Recado (Gonzaguinha) • EMI – Odeon • LP (1977) Moleque Gonzaguinha (Gonzaguinha) • EMI – Odeon • LP (1976) Começaria tudo outra vez (Gonzaguinha) • EMI – Odeon • LP (1975) Os senhores da terra (Gonzaguinha) • MIS – Museu da Imagem e do Som • Compacto simples (1975) Plano de vôo (Gonzaguinha) • Odeon – EMI • LP (1974) Luiz Gonzaga Jr. (Gonzaguinha) • EMI – Odeon • LP (1973) Luiz Gonzaga Jr. (Gonzaguinha) • Odeon • LP (1970) Um abraço terno em você, viu mãe (Gonzaguinha) • Odeon • Compacto simples

74 – Marina Lima

https://i1.wp.com/rollingstone.uol.com.br/media/images/medium/2011/11/17/img-1002352-marina-lima.jpg

Nascida: Marina Correia Lima – Rio de Janeiro, 17 de setembro de 1955

Texto da Rolling Stone: Além de ótima guitarrista, Marina foi destaque dentre as vozes femininas na música pop dos anos 80. Embora tenha sofrido com problemas nas cordas vocais em tempos recentes, ela ainda consegue destilar erotismo como ninguém com seu timbre rouco em faixas novas, como “Não Me Venha Mais com o Amor”. Hoje é um ícone, que certamente pavimentou o caminho para outras que vieram depois e cuja forte personalidade transparece no modo de cantar.

Álbuns: (2006) Lá nos primórdios • EMI • CD (2003) Acústico MTV – Marina Lima • EMI (2001) Setembro • Abril Music • CD (2000) Síssi na sua-ao vivo • Universal Music • CD (1999) 1 noite e 1/2. Remix • Globo Polydor • CD (1998) Pierrot do Brasil • PolyGram • CD (1996) Registros à meia-voz • EMI-Odeon • CD (1995) Abrigo • EMI-Odeon • CD (1994) Marina total. Coletânea • PolyGram • CD (1993) O chamado • EMI-Odeon • CD (1991) Marina Lima • EMI-Odeon • CD (1989) Próxima parada/Universal • PolyGram • CD (1987) Virgem • PolyGram/Universal (1986) Todas • PolyGram/Universal (1986) Todas ao vivo • PolyGram/Universal (1984) Fullgás • PolyGram/Universal (1982) Desta vida desta arte • Ariola (1981) Certos acordes • Ariola/Universal (1980) Olhos felizes • Ariola/Universal(1979) Simples como fogo • Asylum Records/WEA

73 – Jane Duboc

[jane-duboc.jpg]

Nascida: Jane Duboc Vaquer – Belém, 16 de novembro de 1950

Álbuns: Acalantos (1977) LP Música popular do Norte (1977) LP Languidez (1980) Aycha LP, CD Jane Duboc (1982) Som da Gente LP Depois do Fim’ (1983) (participação especial neste LP da banda Bacamarte) Ponto de partida (1985) LP Jane Duboc (1987) Continental LP Feliz (1988) Continental LP Além do prazer (1991) CD Brasiliano (1992) CD Movie melodies (1992) CDJane Duboc (1993) CD Paraíso. Gerry Mulligan e Jane Duboc (1994) CD Chama da paixão (1994) CD (coletânea) Partituras (1995) CDFrom Brazil to Japan (1996) CD Todos os caminhos (1998) CD Da minha terra. Jane Duboc e Sebastião Tapajós (1998) Jam CD Clássicas. Zezé Gonzaga e Jane Duboc (1999) CD Jane Duboc Ao Vivo (2000) CD Sweet Lady Jane (2002) CD Canção da Espera (2008) CD Sweet Face Of Love – Jane Duboc sings Jay Vaquer (2010) CD

72 – Dona Ivone Lara

Nascida: Yvonne Lara da Costa – 13/4/1921 Rio de Janeiro, RJ

Texto da Rolling Stone: São mais de 90 anos de samba, e Dona Ivone Lara exibe com graça tanto tempo vivido não só na habilidade com que interpreta as canções, como também na naturalidade entregue a cada nota, com a elegância de uma voz que poderia ser frágil, mas é inteligentemente imprecisa e subjetiva. Além de compositora de importante obra, ela também é uma realeza popular, que desfila e angaria reverências já no respeitoso nome que carrega por onde passa.

Álbuns:(2010) Dona Ivone Lara • Universal Music • DVD (2010) Nas escritas da vida • Independente • CD (2009) Canto de Rainha • Universal Music • CD (2009) Canto de Rainha • Universal Music • DVD (2004) Sempre a cantar • MZA/Lusafrica • CD (2003) Um ser de luz – saudação à Clara Nunes • Deck Disc • CD (2002) Clássicos do samba • Eldorado/Sony Music • CD (2001) Meninos do Rio • Carioca Discos • CD (2001) Nasci pra sonhar e cantar • Gravadora Lusafrica (França) • CD (2001) Nasci pra sonhar e cantar • Gravadora Nathasha Records • CD (1999) Um natal de samba • Velas • CD (1997) Bodas de ouro • Sony • CD (1986) Arte do encontro • Som Livre • LP (1985) Ivone Lara • Som Livre • LP (1982) Sorriso negro • Warner • LP (1980) Serra dos meus sonhos dourados • Odeon • LP (1979) Sorriso de criança • Odeon • LP (1974) Samba minha verdade, minha raiz • Copacabana • LP (1974) Quem samba fica (vários) • Odeon • LP (1974) Quem samba fica (vários) • Odeon • LP (1970) Sambão 70 • Gravadora Copacabana • LP(2000) Casa de samba 4 • Universal Music • CD

71 –Celly Campelo

Nascida: Célia Benelli Campello, São Paulo, 18 de junho de 1942 — Falecida : Campinas, 4 de março de 2003

Álbuns:  LP “Come Rock With Me” n.º MOFB-3110 de 09/1959 (Mono) LP “Broto Certinho” n.º MOFB-3162 de 04/1960 (Mono) LP “A Bonequinha que Canta” n.º MOFB-3186 de 11/1960 (Mono) LP “A Graça de Celly Campello e as Músicas de Paul Anka” n.º MOFB-3230 de 04/1961 (Mono) LP “Brotinho Encantador” n.º MOFB-3257 de 10/1961 (Mono) LP “Os Grandes Sucessos de Celly Campello” n.º MOFB-3288 de 05/1962 (Coletânea em Mono) LP “Celly” n.º (S)MOFB-3543 de 06/1968 (Estéreo) LP “Anos 60” n.º SC-10014 de 1973 (Coletânea com Reprocessamento Eletrônico – Fake Stereo) LP “Celly Campello” n.º 103.0184 de 11/1976 LP “Disco de Ouro”, de 1981

 

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: