Favoritos dos Sousa: Raul Seixas

Raul

 

Todo mundo já sabe que nesta semana, precisamente ontem, dia 21, completaram-se 25 anos da morte de Raul Seixas. Meu primeiro encontro com Raul, se deu em 1973, quando fiquei conhecendo aquele baiano alucinado, que conquistou a plateia de um festival de rock, realizado no campo do Cruzeiro, no Barro Preto (sim, era possível fazer um show de rock – no caso um festival, que contou ainda, se não me engano, com Rita Lee, iniciando sua carreira solo). O bom baiano nos ganhou com sua ousadia, seu deboche e a qualidade de sua interpretação. São inesquecíveis um medley, que ele cantava, com “Tutti Frutti”, de Little Richard seguido de “Let me sing” do próprio Raul,finalizando com “As minas do rei Salomão”, composta em parceria com Paulo Coelho. Marcante também a interpretação de Al Capone. Depois, voltamos a nos encontrar no ano seguinte, ou talvez em 1975, não me lembro bem da data, no Teatro da Imprensa Oficial, na Rua Rio de Janeiro, para o lançamento de Gita, seu disco de maior sucesso. Daí para frente aquele baiano se tornou um dos favoritos dos Sousa e ao escrever este texto, olho para minha estante e vejo a caixa de CDs com todos os seus sucessos, e comprovo : para os Sousa Raul é eterno. (Foto)

Raul Santos Seixas (Salvador, 28 de junho de 1945 — São Paulo, 21 de agosto de 1989)

Foi um cantor e compositor brasileiro, frequentemente considerado um dos pioneiros do rock brasileiro. Também foi produtor musical da CBS durante sua estada no Rio de Janeiro, e por vezes é chamado de “Pai do Rock Brasileiro” e “Maluco Beleza”. Sua obra musical é composta por 17 discos lançados em seus 26 anos de carreira e seu estilo musical é tradicionalmente classificado como rock e baião, e de fato conseguiu unir ambos os gêneros em músicas como “Let Me Sing, Let Me Sing”5 . Seu álbum de estreia, Raulzito e os Panteras (1968), foi produzido quando ele integrava o grupo Os Panteras, mas só ganhou notoriedade crítica e de público com as músicas de Krig-ha, Bandolo! (1973), como “Ouro de Tolo”, “Mosca na Sopa”, “Metamorfose Ambulante”. Raul Seixas adquiriu um estilo musical que o creditou de “contestador e místico”, e isso se deve aos ideais que vindicou, como a Sociedade Alternativa apresentada em Gita (1974), influenciado por figuras como o ocultista britânico Aleister Crowley.

Raul se interessava por filosofia (principalmente metafísica e ontologia), psicologia, história, literatura e latim e algumas crenças dessas correntes foram muito aproveitadas em sua obra, que possuía uma recepção boa ou de curiosidade por conta disso. Ele conseguiu gozar de uma audiência relativamente alta durante sua vida, e mesmo nos anos 80 continuou produzindo álbuns que venderam bem, como Uah-Bap-Lu-Bap-Lah-Béin-Bum! (1987) e A Panela do Diabo (1989), esse último em parceria com Marcelo Nova, e sua obra musical tem aumentado continuamente de tamanho, na medida em que seus discos (principalmente álbuns póstumos) continuam a ser vendidos, tornando-o um símbolo do rock do país e um dos artistas mais cultuados e queridos entre os fãs nos últimos quarenta anos. Em outubro de 2008, a revista Rolling Stone promoveu a Lista dos Cem Maiores Artistas da Música Brasileira, cujo resultado colocou Raul Seixas figurando a posição 19ª , encabeçando nomes como Milton Nascimento, Maria Bethânia, Heitor Villa-Lobos e outros. No ano anterior, a mesma revista promoveu a Lista dos Cem Maiores Discos da Música Brasileira, onde dois de seus álbuns apareceram Krig-ha, Bandolo! de 1973 atingiu a 12ª posição e Novo Aeon ficou em 53º lugar ,demonstrando que o vigor musical de Raul Seixas continua a ser considerado importante hoje em dia. (WIKIPEDIA)

DISCOGRAFIA:

Álbuns de estúdio

  • 1973 – Krig-ha, Bandolo!
  • 1973 – Os 24 Maiores Sucessos da Era do Rock
  • 1974 – Gita
  • 1975 – Novo Aeon
  • 1976 – Há 10 Mil Anos Atrás
  • 1977 – Raul Rock Seixas
  • 1977 – O Dia Em Que a Terra Parou
  • 1978 – Mata Virgem
  • 1979 – Por Quem os Sinos Dobram
  • 1980 – Abre-te Sésamo
  • 1983 – Raul Seixas
  • 1984 – Metrô Linha 743
  • 1987 – Uah-Bap-Lu-Bap-Lah-Béin-Bum!
  • 1988 – A Pedra do Gênesis
  • 1989 – A Panela do Diabo (Com Marcelo Nova)

Álbuns ao vivo

  • 1975 – Hollywood Rock (Falso álbum ao vivo, lançado somente em LP, e dividido com Erasmo Carlos, O Peso e Rita Lee & Tutti Frutti)
  • 1984 – Ao Vivo – Único e Exclusivo
  • 1991 – Eu Raul Seixas (Show na Praia do Gonzaga, Santos, 1982)
  • 1993 – Raul Vivo (Reedição de Ao Vivo – Único e Exclusivo com faixas extras)
  • 1994 – Se o Rádio não Toca… (Show em Brasília, 1974)

Compactos

  • 1972 – Let me, sing, let me sing / Ted Boy, Rock e Brilhantina
  • 1973 – Ouro de tolo / A hora do trem passar
  • 1973 – dentadura postiça / al capone / Mosca na sopa / ?
  • 1974 – Gita / Não pare na pista
  • 1974 – Como vovó já dizia / Um som para Laio
  • 1975 – Medo da chuva / Sociedade Alternativa / Como vovó já dizia / Trem da sete
  • 1975 – Tente Outra vez / Para nóia (como está no selo do compacto) / a maçã / peixuxa
  • 1976 – Eu nasci há dez mil anos atrás / Love is magik
  • 1977 – Eu também vou reclamar / Ave Maria da Rua / Eu Nasci há 10 mil anos atrás / O Homem
  • 1983 – O Carimbador Maluco
  • 1993 – A Maçã / Como Vovó Já Dizia / Sociedade Alternativa / Gita
  • 1993 – Jay Vaquer Featuring Raul Seixas – Mosca na Sopa / 72 en 92
  • 1998 – Morning Train
  • 1998 – É Fim de Mês

Coletâneas

  • 1981 – O Melhor De Raul Seixas
  • 1982 – A arte de Raul Seixas
  • 1983 – O Pacote Fechado de Raul Seixas
  • 1985 – Let Me Sing My Rock And Roll
  • 1985 – Raul Seixas Rock
  • 1986 – Caminhos
  • 1986 – Raul Rock Seixas Volume 2
  • 1987 – Caroço de Manga
  • 1988 – Metamorfose Ambulante
  • 1988 – O Segredo do Universo
  • 1988 – Raul Seixas Para Sempre
  • 1990 – Raul Seixas – Personalidade – The Best of Brazil
  • 1990 – Maluco Beleza
  • 1991 – As Profecias (Contém uma faixa inédita)
  • 1992 – O Baú do Raul
  • 1993 – Os Grandes Sucessos de Raul Seixas
  • 1994 – Minha História
  • 1995 – Geração Pop Vol.2: Raul Seixas
  • 1996 – MPB Compositores 4: Raul Seixas
  • 1997 – As Melhores do Maluco Beleza
  • 1998 – Documento
  • 1998 – 20 Grandes Sucessos de Raul Seixas
  • 1998 – Preferência Nacional
  • 1998 – Música! O Melhor da Música de Raul Seixas
  • 1999 – Brilhantes: Raul Seixas
  • 1999 – Millennium: Raul Seixas
  • 2000 – Areia da Ampulheta
  • 2000 – Enciclopedia Musical Brasileira
  • 2001 – Warner 25 Anos: Raul Seixas
  • 2002 – Série Identidade: Raul Seixas
  • 2002 – Série Gold: Raul Seixas
  • 2003 – Anarkilópolis (Contém duas faixas inéditas)
  • 2004 – Essential Brasil: Raul Seixas
  • 2005 – O Baú do Raul Revirado (CD com raridades vendido somente com o livro de mesmo nome)
  • 2005 – Novo Millennium: Raul Seixas
  • 2005 – Série Bis: Raul Seixas
  • 2006 – Warner 30 Anos: Raul Seixas
  • 2008 – Sem Limite: Raul Seixas
  • 2009 – 20 Anos sem Raul Seixas (Reedição de Documento com uma faixa inédita extra)
  • 2011 – MPB no JT

Caixas

  • 1995 – Série Grandes Nomes: Raul (Caixa com 4 CDs e livreto ilustrado)
  • 2002 – Maluco Beleza (Caixa com 6 CDs e livro ilustrado)
  • 2009 – 10.000 Anos à Frente (Reedição da caixa Maluco Beleza)

Trilhas sonoras

  • 1973 – A Volta de Beto Rockfeller
  • 1973 – Rosa dos Ventos
  • 1974 – O Rebu
  • 1983 – Plunct, Plact, Zuuum
  • 1984 – Plunct, Plact, Zuuum II
  • 2002 – Cidade de Deus
  • 2009 – Viver a Vida – Rede Globo
  • 2014 – Vitória – Rede Record

Outros álbuns

  • 1972 – Carnaval Chegou (Coletânea com vários artistas. Raul canta a faixa Eterno Carnaval)
  • 1973 – Phono 73 O Canto de um Povo – Volume 1 (LP gravado ao vivo em 1973 com vários artistas da gravadora Philips. Raul aparece com a música Loteria de Babilônia)
  • 1973 – Eu Quero É Botar Meu Bloco na Rua – Álbum do cantor e compositor Sérgio Sampaio, com participação de Raul Seixas cantando na faixa “Viajei de Trem”.
  • 1979 – O Banquete dos Mendigos (LP duplo gravado ao vivo em 1973 com vários artistas. Raul aparece com a faixa Cachorro – Urubu)
  • 1987 – Duplo Sentido (LP duplo da banda baiana Camisa de Vênus no qual Raul canta na faixa Muita Estrela, Pouca Constelação)
  • 1995 – Vida e Obra de Johnny McCartney – Álbum do cantor e compositor Leno, gravado (e censurado) em 1971. Raulzito (Raul Seixas) participa na produção, composições e vocais.

5 Comentários

Arquivado em Favoritos dos Sousa, Raul Seixas

5 Respostas para “Favoritos dos Sousa: Raul Seixas

  1. Carlinhos Barros Santos

    Meu caro Mauro, inicialmente parabéns pelo blog “Vitrola dos Sousa”. SENSACIONAL!!!! O gosto musical de todo o pessoal daqui é exatamente igual ao meu, ou seja, “um bom gosto musical” que não tem fim…. e bom gosto não se discute, aplaude!!!! Desculpe-me a falsa modéstia…

    Desde nosso ultimo encontro na casa do nosso amigo comum, tenho visitado o site constantemente, e esta é a primeira vez que posto algum comentário.

    Aprecio bem a discografia do Raul Seixas, possuindo vários álbuns, e nisso se incluía o LP do “Raulzito e Seus Panteras”, que me foi roubado, infelizmente.
    Gosto muito das baladas românticas, especialmente “Ângela” e “Tente Outra Vez”.
    E tem um grande clássico dele que é “À Beira do Pantanal” que, na minha opinião, é um sertanejo clássico do maior quilate! Para quem não a conhece, vale a pena ouvir esse lado desconhecido do Raul Seixas.

    Seus comentários me suscitaram uma dúvida: será que ele tocou em outra oportunidade no campo do Cruzeiro, no Barro Preto? Teve outro show na início da década de 80?
    Nesse de 73 eu tinha apenas 7 anos, mas me lembro perfeitamente de um show no mesmo local, e nesse eu ainda não tinha idade para assistir.

    Um grande abraço,

    Carlinhos Barros Santos

    Curtir

  2. Paulo Pacheco

    Carlinhos, de repente me deu uma saudade braba do mestre Raulzito e estou devorando tudo que eu acho na internet sobre o maluco beleza. Sou mineiro de bh e lembro do show q vc menciona pois estava lá. Foi o Rock Horizonte, no campo do cruzeiro, no comecinho dos anos 80 a atração principal era o Guilherme Arantes, q tinha acabado de lançar Planeta Agua que tava explodindo na época. Além dele teve Jorge Ben, Zé Ramalho, Diana Pequeno e nosso querido Raul. Eu devia ter na época uns 15, 16 anos, me lembro que era um domingo e esse festival começou por volta das 15 hs. Não me recordo bem a ordem dos artistas mas lembro q Raul foi o penúltimo e Guilherme Arantes fechou o concerto. Me lembro bem da apresentação do Raul. Tava magro, de óculos escuros e uma jaqueta de couro e sua tradicional guitarra semi acústica vermelha. A primeira música foi “como vovó já dizia” e durante uma longa introdução da música alguem da banda passa pra ele um “baseado dos grandes” e após ele dar uma boa tragada diz: “maluco beleza é aquele que fuma e não vai em cana” em seguida saca um colirio da jaqueta, tira o óculos e pinga no olho…..em seguida ele começa a cantar a música e o show rola perfeito. Nessa época nosso maluco beleza tava legal de saúde, cantando e tocando ótimamente bem. Foi a primeira vez que vi Raul ao vivo. Hoje estou com 50 anos mas ainda me arrepio de lembrar desse momento mágico. Um grande abraço.

    Curtir

    • marco

      Boa tarde, estava procurando referencias sobre este show que também fui ver, salvo me engano, teve também, 14 bis, sagrado coração da terra e Valter franco, ou eu estava bêbado demais e sonhei com isso?……….kkkkkkkkkkkkk

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s