Os Melhores de 2013: # 9. Apanhador Só : Antes que tú conte outra

apanhador

O Apanhador Só já é um habitué do Vitrola. Antes que Tu Conte Outra é o seu segundo álbum de estúdio da , financiado através de crowdfunding,foi lançado em 21 de maio de 2013 no site da banda e nas plataformas SoundCloud, Deezer e iTunes. Contém 12 faixas e teve uma recepção favorável da crítica e dos fãs. Foi o vencedor do prêmio de melhor álbum de música popular pela em 2013. Para nós consolidou o bom trabalho mostrado no álbum de estreia e provou ser candidato a um dos grandes da MPB.

Os Melhores de 2013: # 10. David Bowie : The Next Day

next day

E chegamos finalmente ao nosso Top 10 de 2013. O Camaleão voltou e em grande forma. Foi com enorme prazer que recebemos  o vigésimo sétimo álbum do cantor e compositor britânico David Bowie, lançado em 8 de março de 2013. Foi o primeiro álbum do artista em dez anos, desde Reality de 2003.Em apenas uma semana, o álbum se tornou o mais vendido no Reino Unido, feito que Bowie não atingia desde 1993 com Black Tie White Noise. Bowie não é simplesmente um artista, é uma personagem. E esta personagem é humor, irreverência, crítica, ironia e bom rock’n’roll. Benvindo de volta Mr. Bowie.

Os Melhores de 2013: #11. Chvrches: The Bones of What You Believe

chvrches

Chvrches (pronuncia-se   “churches”) é uma banda de pop eletrônico, formada em 2011. por Lauren Mayberry (vocais, sintetizadores, samplers)  , Iain Cook (sintetizadores, guitarras, baixos, vocais), e Martin Doherty (sintetizadores, samplers, vocais). Tanta eletrônica junta costuma ser muito chatinho,mas a voz de Lauren combina maravilhosamente com o estilo e o resultado foi um disco pop que fez sucesso pelo meudo afora: top 20 nos EUA,Australia e Top Ten na Grã Bretanha,Bélgica e Japão. No fundo todo mundo gosta de um popizinho descompromissado e divertido , não é mesmo ?

 

Os Melhores de 2013: # 12. Yo La Tengo: Fade

fade

Yo la Tengo é um veterano da cena musical, Fade é o seu décimo terceiro álbum, e foi lançado em janeiro de 2013. O disco é ótimo, assim como os clips de Is That Enough e de Ohm E aí eu me pergunto: porque será que estes caras ainda não estouraram e se tormaram uma superbanda? Deve ser falta de vontade, porque competência eles têm de sobra. É nosso top 12

 

Os Melhores de 2013: #13. Carlos Careqa : Made in China

careqa

Carlos Careqa é um músico catarinense, veterano, que está na ativa desde o início dos anos 1980. Se alguém se encaixa no rótulo alternativo ele é Careqa.  Envolveu-se com teatro e música logo cedo, largou a faculdade e já morou nos EUA e Alemanha. Careqa já lançou vários discos, com a participação de vários medalhões  da MPB: Arrigo Barnabé, Itamar Assumpção e Chico Buarque já participaram de seus discos. Você ainda não conhece ? Não perca mais tempo, venha ouvir um dos melhores álbuns de 2013.

Os Melhores de 2013: # 14. Flavio Tris – Flavio Tris

tris

Um belo disco este de Flávio Tris .As participações em seu álbum  são especiais:  Tulipa Ruiz, Leo Cavalcanti, Filipe Catto, Celso Sim, Luca Raele e Juliana Perdigão abrilhantam as belas canções de Flávio. Um lançamento sólido rumo a um provável estrelato.

As participações em seu álbum homônimo não são para envaidecer, elas são praticamente parte de seu nascimento, de sua concepção artística. Tulipa Ruiz, Leo Cavalcanti, Filipe Catto, Celso Sim, Luca Raele e Juliana Perdigão são elos entre Flavio e sua história ao reintegrar-se à música em meados de 2009, onde se ligou a uma nova geração de bons e inspiradores amigos. – See more at: http://www.amusicoteca.com.br/?p=8559#sthash.jFet6wtm.dpuf

Melhores de 2013: #15. James Blake : Overgrow

blake

Depois de figurar como um dos principais lançamentos de 2011, James Blake retornou com seu segundo álbum Overgrown, lançado em abril de 2013. O álbum elevou o nível do lançamento anterior e foi um dos grandes lançamentos do ano. Típica música britânica, suave, um pouco deprê e muito melodiosa. Escute num dia frio, com uma taça de vinho e de preferência ao lado de boa companhia.

Melhores de 2013: # 16. Entrevero Musical: Êxodo

exodus

A banda formada por Arthur Boscato (violão sete cordas), Diego Guerro (acordeon), Jota P Barbosa (saxofone), Filipe Maliska (bateria) e Rodrigo Moreira (baixo) apresenta um trabalho autoral de música instrumental brasileira com grande influência dos ritmos do sul do Brasil.O seu último trabalho, Êxodo, recebeu o Prêmio Funarte de Música Brasileira e conta com participação especial de Hermeto Pascoal e Filó Machado. Música instrumental de alta qualidade, com muito sotaque sulista, tango, Piazzola, gaitas e muito ritmo. Imperdível

 

TOP TOP Músicas de Boybands

Ninguém é mais discriminado no mundo da música que as boybands. Ouvir estes grupos formados por belos garotos, com recursos vocais limitados e, geralmente, bizarras habilidades para a dança, pode ser considerado muito pior do que ser um admirador de axé, sertanejo ou pagode. Mas, por trás de tanta injustiça, é possível encontrar talentos escondidos e, por incrível que pareça, belas composições.

boy_band

Não podemos esquecer que as boybands não surgiram no final da década de 80 e meados dos anos 90, já que suas origens vem de um grupinho de garotos bem conhecidos no mundo musical: os Beatles. Depois dos garotos de Liverpool, passamos por muitas outras boybands que também receberam respeito da crítica, como Bee Gees, Jackson 5 e Beach Boys, mas neste post vamos dar destaque para as canções daquelas que carregam o estigma citado na primeira frase deste parágrafo. Nosso TOP TOP dessa semana tem como objetivo listar as cinco melhores canções de boybands de todos os tempos, para mostrar para vocês que nem só de rostinhos bonitos vivem estes grupos.

5 – Back For Good – Take That

O Take That é um dos primórdios das boybands da década de 90.  Os britânicos de Manchester (coincidentemente ao lado de Liverpool) arrasaram corações de adolescentes com seu sotaque e seus rostinhos de meninos.  Dizem por ai que seu único mérito foi ter revelado para o mundo o talento do chatíssimo Robbie Williams, mas muitos se esquecem da belíssima gravação de “Back For Good“, que arrebentou as paradas da Billboard em todo o mundo. Muito mais do que uma bela canção chiclete, “Back For Goodé lembrada por dar origem aos clipes de boybands com belas fotografias e enredo dramático. Um clássico.

4 – Slam Dunk (Da Funk) – Five

Os ingleses são realmente abençoados quando o assunto é música, não só nos indiscutíveis talentos do rock, mas também na produção destes guilty pleasures que são as boybands. Five, grupo que surgiu em 1997, em meio ao boom das boybands, conseguiu certo sucesso até o ano de 2001, mas nada que chegasse a altura de grupos como Backstreet Boys e N’Sync. Esta é uma injustiça histórica, porque poucos produtores musicais ousaram tanto quanto os de Five, fazendo uma interessante mistura de street music, dance music e baladas pop. “Slam Dunk (Da Funk)” se encontra nesta lista por ser o exemplo perfeito deste mix, e por conseguir ter seu lugar em uma boa balada alternativa.

3 – “Gone” – N’Sync

O N’Sync foi um dos grandes personagens musicais da década de 90, sendo protagonista de uma disputa quase que pessoal com os Backstreet Boys, até meados dos anos 2000. Disputa que, para a infelicidade do quinteto encabeçado por Justin Timberlake, quase sempre era vencida pelo grupo de Brian e companhia, que dispunham de melhores composições, melhores dançarinos e melhores talentos vocais. Mas N’Sync tinha Justin, e o rei do Pop dos anos 2000 vinha mostrando seus pequenos lampejos de talento em meio às fracas composições de seus colegas. “Gone” é uma das mais belas canções de amor já escritas por Timberlake, que vem acompanhada de um belo clipe em preto e branco.

 2 – “Where’s The Love” – Hanson

Quando falamos de Hanson, todos se lembram daqueles três molequinhos loiros que estouraram com “MMMBop” e que logo foram ofuscados por boybands com mais apelo sensual. Pois não podemos esquecer que os irmãos Hanson eram mais do que intérpretes de baladinhas pop, já que compunham suas próprias canções e tocavam seus próprios instrumentos, diferente dos outros grupos que só tinham o talento de cantar e dançar ao mesmo tempo. “Where’s The Love” é uma balada como poucas produzidas atualmente, que mistura características marcantes dos anos 90 (uma batida dançante) com guitarras, baterias e os agudos de Taylor Hanson.

1 – “That’s What She Said” – Backstreet Boys

O primeiro lugar não poderia ficar com ninguém além destes cinco garotos. Os Backstreet Boys foram um sucesso estrondoso na década de 90 e são lembrados, até hoje, como a imagem perfeita de uma boyband de sucesso, superando Take That, Os Menudos e New Kids On The Block. O segredo do grupo eram os verdadeiros talentos vocais encontrados por seus produtores, já que todos os garotos (com a exceção de Kevin, que era um mero figurante bonitão) mostravam intimidade e aptidão para a música. Eu poderia listar aqui qualquer um de seus clássicos para figurar como número um do nosso TOP TOP, como “As Long As You Love Me” ou “Quit Playing Games (With My Heart)“, mas resolvi dar destaque a um lado B que recebe pouco crédito em outras listas espalhadas pela internet. “That’s What She Said” é uma balada romântica de Brian Littrell (a voz do grupo junto com Nick e AJ) que merece atenção pela bela letra e por sua melodia bem trabalhada e adequadamente melosa. É, sem sombra de dúvidas, uma das obras primas do grupo. Por ser um lado B, não tem clipe, não tem divulgação, não tem nada, o que a torna ainda mais especial. Se você ainda tem dúvidas, procure por sua versão acústica e faça sua avaliação. Vou disponibilizar a versão de estúdio para uma simples padronização da lista.

Esta é a nossa lista. Queremos saber de você leitor qual é a sua lista de melhores canções de boybands da década de 80 e 90. Conta pra gente!

Os Melhores de 2013: # 17. The Stokes: Comedown Machine

strokes

Comedown Machine é o quinto álbum de estúdio da banda americana de indie rock The Strokes. Foi lançado em 26 de março de 2013. O disco foi bem recebido pela crítica e é realmente muito bom. O que chama a atenção é que os Strokes estão muito mais pop neste disco, numa guinada que lembra a trajetória de bandas como o U2. Sem perder a qualidade, mas tornando-se mais palatável, para atingir um público maior. Muito bom o resultado final.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: