Os Melhores de 2013: #57. Deerhunter : Monomania

File:Monomania album cover 2013.jpg

Embora pouco conhecidos no Brasil os americanos do  Deerhunter já são veteranos e lançaram no ano passado o seu sexto álbum. Monomania recebeu boas críticas universalmente e apresenta um rock melodioso e radiofônico que remete às boas bandas do final dos anos 1980. Conheça , vale a pena

Os Melhores de 2013: #58. Patricia Bastos – Zulusa

Zulusa

O quinto disco da cantora macapaense pode parecer apenas mais um trabalho exótico e inusual. Engano. O grande mérito de ‘Zulusa’ – que tem em seu título a representação do português, do indígena e do africano (o povo brasileiro) – é transformar regional em universal. Você provavelmente não sabe o que é o quitum do amassador e o tracatá do dobrador, mas quando ouvi-los não terá uma reação de estranheza. São sons seus, e só não tocam na música que você ouve porque o Brasil é um grande país que está pequeno demais. O canto de Patrícia Bastos é afinado como o de um passarinho. Só para constar: essa não é uma observação minha. Ouvi de Dante Ozzettii. (Melhores da Música Brasileira). Nunca o regional pareceu tão universal – doçura amazônica, ritmo brasileiro, “cafusa sim , confusa não”.

 

Os Melhores de 2013: #59. Justin Timberlake – The 20/20 Experience

 

Ficheiro:Justin Timberlake - The 2020 Experience.jpg

The 20/20 Experience é o terceiro álbum de estúdio do cantor e compositor estadunidense Justin Timberlake, lançado em 15 de março de 2013 pela RCA Records. O disco é o primeiro trabalho do cantor desde FutureSex/LoveSounds de 2006, quando ele entrou em seu hiato musical e mover-se para a RCA Records em 2012. O álbum foi gravado entre junho de 2012 e 2013, durante a promoção de filmes de Timberlake. Como produtor executivo, Timberlake se alistou com colaboradores anteriores como Timbaland e Jerome “J-Roc” Harmon. No dia 11 de março de 2013 o álbum foi disponibilizado pelo iTunes para que as pessoas pudessem escutar o álbum por streaming gratuitamente. Para mim Justin Timberlake ocupa hoje espaço entre o que estaria fazendo Michael Jackson (duvido que você escute That Girl e não se recorde de Michael Jacson) e George Michael. Comercial, mas gostoso.

 

 

Os Melhores de 2013: # 60. Ruspo – Estes Patifes

Ruspo | Esses Patifes post image

ESSES PATIFES é o primeiro lançamento de Ruspo, projeto musical do produtor, compositor e cantor Ruy Sposati. Foi escrito e gravado em dois anos, quatro estados e oito cidades, ao longo das viagens feitas em seu trabalho como jornalista.
As 14 faixas do álbum foram realizadas na estrada, em hotéis, aldeias, casas temporárias e quartos emprestados, em seu computador, com instrumentos reais e de software, samplers e loops. Lançado pela Um Distante Maestro Discos. Gostei do disco e acho que vale a pena colocá-lo entre os melhores de 2013.

Os Melhores de 2013: #61. Suede – Bloodsports

 

File:Bloodsports album cover.png

O Suede já foi considerada a banda de maior futuro do Reino Unido. Foi muito sucesso nos primeiros álbuns e depois um longo sumiço. Seu último álbum havia sido A New Morning de 2002. E não é que eles reapareceram em 2013 com um álbum pra lá de decente. Melodias pop rock, grudentas, gostosas, com um forte acento britânico. Longa vida ao Suede.

Os Melhores de 2013: #62. Laura Marling: Once I Was a Eagle

picture

Once I Was an Eagle é o quarto álbum da britânica Laura Marling, lançado em maio de 2013. Um banquinho, um violão, um tom melancólico, um tanto nostálgico – pensou em Joni Mitchell, Joan Baez ? Acertou.Impossível escutar Laura sem evocar as raizes da folk música americana. Eu particularmente gosto.

Os Melhores de 2013: #64. Janelle Monae: Eletric Lady

File:Janelle Monáe - The Electric Lady.png

The Electric Lady , o segundo álbum de   Janelle Monáe, foi lançado em  setembro de 2013 e manteve o nível do seu álbum de estreia , The ArchAndroid (2010), and as the aforementioned. Musicalmente,  The Electric Lady tem influêencias de hip hop soul, funk, gospel, jazz and rock. Janelle, já conhecida aqui no Brasil é candidata ao posto da próxima superstar da música pop. O Vitrola o escolheu como um dos melhores do ano passado e ele frequentemente roda na nossa Vitrola.

 

Os Melhores de 2013: Boards of Canada : #65. Tomorrow’s Harvest

File:Tomorrow's Harvest CD cover.png

Tomorrow’s Harvest é o quarto álbum da banda escocesa Boards of Canada, lançado em junho de  2013 on Warp. Os membros da banda, na verdade um duo,  Mike Sandison e Marcus Eoin trabalharam no material deste disco de 2005 até 2012. O disco foi bem recebido pela crítica e está presente na maior parte das listas de melhores do ano passado, inclusive na nossa. O disco tem muita influência de trilhas sonoras eletrônicas dos anos 70 e 80 – lembra Eno e suas músicas ambientais. Eu gostei.

Os Melhores de 2013: #67. Bixiga 70: Bixiga 70 (2013)

Vitrola dos Sousa

O Bixiga 70 é uma big band brasileira de afrobeat.O nome Bixiga 70 está ligado ao endereço do estúdio onde o conjunto nasceu: o número 70 da rua Treze de Maio.O Bixiga 70 lançou o seu segundo trabalho, em setembro de 2013. Com produção e arranjos de autoria da banda, o disco reflete o aprofundamento do conjunto em suas influências, ao mesmo tempo em que aponta novos caminhos e sonoridade. Sem título, como o primeiro, é obra totalmente independente e conta novamente com a mixagem de Victor Rice e a arte de MZK. Ótimo lançamento

Ver o post original

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: