Melhores de 2013: # 90. Marcelo Jeneci – De Graça

 (Marcelojeneci.com.br/Reprodução)

Um dos nomes mais badalados da nova cena musical brasileira, o pernambucano Marcelo Jeneci entra em nossa seleção de melhores de 2013,  sem abrir mão de bons refrões e sonoridades que remetem ao seu Pernambuco natal. O novo trabalho, De Graça, pode ser ouvido gratuitamente na web. É um trabalho bastante pop e que poderia muito bem ter invadido as rádios e as listas de Top 40 se eles não estivessem tão contaminadas por sertanejos.O disco foi produzido por Kassin com coprodução de Adriano Cintra e saiu pela Slap Records, o braço indie na Som Livre – também tem incentivo da Natura Musical.

Melhores de 2013: # 91. A Fase Rosa: Homens Lentos

HL_capa01
A Banda mineira, em atividade desde 2009, atinge o nosso ranking, com seu álbum , disponível para download no site da banda. A banda trabalha com uma mistura de sons e ritmos brasileiros tradicionais com elementos mais contemporâneos. É fácil notar a influência do samba, marchas e gêneros como o carimbó e o axé, mas tudo embalado, tanto em letras, como na interpretação em um invólucro de novidade.Já são dois EPs na bagagem: O arquiteto e o carnaval (2011) foi lançado na Casa do Baile, projeto do arquiteto Oscar Niemeyer, e o EP 2 (2012) atingiu a marca de 400 unidades vendidas e mais de 1000 downloads pela internet. Em março de 2013, A Fase Rosa lançou o seu disco de estreia, intitulado Homens Lentos. Segundo a banda , o título Homens Lentos foi inspirado nas ideias do geógrafo Milton Santos. De acordo com o estudioso, homens lentos seriam os que, devido à sua condição social de exclusão e revelia, não acompanham a velocidade do mundo contemporâneo. Por serem lentos, eles caminham devagar e podem perceber com mais clareza algumas das contradições presentes na cidade. O interesse pela relação do homem com seu entorno e, principalmente, com a cidade dialoga com vivências pessoais e acadêmicas dos integrantes da banda.As canções falam do que acontece ao redor e tratam especialmente da cidade de Belo Horizonte. O nome do disco nasce como uma síntese e uma provocação – abordar a necessidade de interpretar o ritmo que o mundo nos impõe de uma forma mais pessoal e verdadeira com a realidade que nos circunda.Uma boa novidade da música de Minas Gerais

Integrantes:
Thales Silva – Guitarra e voz
Fernando Monteiro – Bateria
Rodrigo Magalhães – Baixo e Backing
Rafael Azevedo – Guitarra e Backing

Melhores de 2013: # 92. Rosa Passos – Samba Dobrado

Uma combinação perfeita: as belíssimas canções de Djavan na técnica, doçura e ritmo de uma das maiores cantoras brasileiras: Rosa Passos. É interessante notar o pouco prestígio de Rosa frente as gerações atuais, que provavelmente mal a conhecem. Além de reunir 12 composições de Djavan, Rosa dedica uma faixa inédita a ele “Doce Menestrel”. Nas palavras do próprio Djavan:

“A música de Rosa é nobre, íntegra, sangue azul, forjada muito longe, lá onde a música ainda menina por aqui já encontrava-se por Pixinguinha, Garoto, Jacob do Bandolim,  Agostinho dos Santos, Elizeth Cardoso, João Gilberto, Tom Jobim… Enquanto a Rosa, também ainda menina, de nada disso sabia. Mas já trazia todos dentro de si. Cantando suave, às vezes quebrado, guiada pelo seu violão, enfrentando métrica, divisão, ritmo, sua voz num vibrato às vezes rouco, soa choro-samba-jazz: o máximo. Desde que a ouvi pela primeira vez, sigo os seus passos. E hoje, pelo que estou vendo, devo seguir dizendo que a Rosa é um clássico!”. Djavan

Rosa se diverte e nos emociona num dos melhores discos do ano. Tomara que assim ela se aproxime mais da audiência atual.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: