TOP 10 Marina Sousa

Eu adoro listas. Mais do que isto, adoro listas de pessoas que admiro, parentes, amigos, ídolos famosos. Com frequência me vejo baixando na internet playlists sugeridas por famosos. Quando baixei a minha mais recente playlist pensei como eu me portaria se tivesse que eleger, em um programa de rádio ou TV, o meu TOP 10 de músicas. E pensei como devia ser difícil. Mas pensei que também pode ser interessante. Por isto resolvi compartilhar com vocês, não sem colocar aqui a minha ressalva de que, apesar de este ser o meu TOP 10 atual, não significa que são minhas músicas favoritas ou nem mesmo que ele é um TOP 10 permanente, a única coisa que posso concluir é que, estas 10 músicas que cito aqui tem algo importante para mim.

10- D’yer Maker – Led Zeppelin

Seria muito injusto eu não dar o devido reconhecimento a banda que me trouxe mais próximo do Rock. Sempre ouvimos de tudo aqui em casa, como eu sempre disse aqui, mas eu considero o meu nascimento para o mundo musical o ano de 2002, quando eu era adolescente e meus ouvidos ficaram um pouco mais apurados. Ouvi muita porcaria, é fato, mas D’yer Maker, muito a frente de Stairway To Heaven (que não preciso nem tecer comentários), me mostrou que o rock podia também ser Pop, e muito gostoso. É claro que algumas regravações desrespeitam a grandiosidade desta música (ninguém merece Claudia Leite se achar roqueira ao “axezar” Led Zeppelin), mas ela nunca perdeu lugar no meu coração.

9 – Acabou Chorare – Novos Baianos

É até sacanagem eu querer falar de Novos Baianos. Quando escuto qualquer música deles eu volto lá no início dos anos 90, exatamente na piscina da fazenda da minha avó paterna, curtindo um calor e um carnaval com os primos de Minas e do Rio. A trilha sonora colocada pelo meu pai nesta época era essencialmente brasileira, não que ele não gostasse de rock, mas devia estar em uma fase bem abrasileirada da sua vida. Isto me marcou muito. Eram dias ao som de Jorge Ben, Marisa Monte, Caetano Veloso e….Novos Baianos. Muito tempo depois, já nos anos 2000, já na faculdade, depois de reduzir um pouco meu lado roqueiro (que não me permitia ouvir muita coisa local) resolvi dar ouvidos ao album Acabou Chorare dos Novos Baianos. A música título me impressionou pela simplicidade da letra e elaboração da melodia. Decorei a letra em um único dia. É minha favorita do grupo até hoje.

8- A Certaine Romance – The Arctic Monkeys

Eu sempre fui apaixonada pelo “Brit Rock”. Quando morei em 2007 em Portugal tive muito tempo (e estava muito próxima da terrinha) para aprimorar esta minha paixão. Os Arctic Monkeys foram meu primeiro contato com este brit rock dos anos 2000. Foi encantamento a primeira vista. Era inovador mas soava conhecido, entendem? A guitarrinha grudenta, a bateria simples e a voz simpatiquérrima de Alex Turner me agradaram muito. “A Certaine Romance” é uma crítica a juventude britânica, que brigam sem motivo, não tem inspiração, não escutam música porque é bom. Alex Turner sempre foi um bom letrista. Isto me ganhou de cara. Não me canso de ouvir esta música. E concordo com muita coisa que ele disse ai.

7 – Black Night – Deep Purple

Quando fui ao show do Deep Purple em BH, em 2002, com meu pai e um grande amigo de Salvador (que veio aqui especialmente para isto) eu só conhecia “Smoke On The Water”. E pra te ser bem sincera eu só fui ao show porque meu pai precisava de uma companhia. Nunca fui fã deste tipo de rock e nem sabia a importância do Deep Purple no cenário musical. Mas lembro bem deste show. Começaram com “Highway Star” e deixaram o clássico “Smoke” pro final, então tive que me concentrar no show. Quando “Black Night” começou com aquela bateria e o “Oh oh oh” arrepiei. Só arrepiei mais quando todo o mineirinho (onde foi o show) também cantou o “oh oh oh” em alto e bom som. Desde então tenho o Deep Purple como uma de minhas bandas favoritas.

6 – Último Romance – Los Hermanos

Sabe aquela música que arrepia? É até difícil descrever outra sensação que eu tenho quando escuto essa música. Pode já estar até banalizada, mas arrepia. Foi este album do Los Hermanos, o Ventura, que me trouxe de volta pra perto da MBP. Essa música eu vi ao vivo por duas vezes, uma vez em 2006 e outra em 2012, e cantei enchendo meus pulmões de ar para soltar tanta força. Acho o Rodrigo Amarante um dos melhores letristas e vozes da música brasileira atual, e essa letra é sem comentários, uma das mais românticas que já ouvi. Definitivamente tem lugar de destaque no meu top 10.

5 – Because – The Beatles

Pra mim é muito, muito difícil mesmo, escolher uma música dos Beatles pro TOP 10. E resolvi escolher uma só, para não desmerecer outras bandas. Beatles fez parte da minha infância, adolescência e agora vida adulta. É como se fizesse parte de mim, lembro de tantas coisas, tanta gente, tantas situações. Como é difícil, pensei primeiro em escolher um álbum favorito, e isto é relativamente fácil: Abbey Road. Ai voltava a missão difícil, escolher uma música dentre todas elas, e escolhi Because. Mas porque Because? Talvez seja o lado B mais lado B da banda. Because não é uma música que agrada a todos. Mas lembro direitinho do dia que escutei ela: eu resolvi baixar no meu computador toda a discografia da banda e resolvi começar escutando os álbuns em ordem de lançamento, só que do último álbum para o primeiro. Quando cai em Because primeiro levei um susto. Mas depois os arranjos de voz me agradaram bastante, sem contar a letra né? “Because the world is round, it turns me on”…sensacional. Because corre o risco de ser minha música atual favorita dos Beatles.

4 – (You make me fell like a) Natural Woman – Carole King

A Carole King não podia faltar na minha lista. É uma paixão muito recente. O álbum Tapestry é maravilhoso, e não é atoa que foi o número um de venda no ano de sua estreia. A escolha da música é muito difícil, mas Natural Woman é uma bela música feminina, e é um bom exemplo do estilo musical de Carole. Comecei a gostar dela depois de ouvir o álbum “Live at the Trobadour” em que ela toca seus maiores clássicos com James Taylor, seu eterno parceiro musical. Depois disso foi só paixão. Sou da torcida para trazerem os dois para tocar logo no Brasil, aproveitando a onda dos antigões virem tocar aqui. Com vocês minha querida, Carole King, na sua melhor forma:

3 – The Carpenters – Close to You

Minha lista é muito variada, tem de tudo, de tudo mesmo. Eu adoro músicas antigas (e quando digo antiga é música que foi lançada antes do ano que nasci, em 1986 hehe), e Carpenters é apaixonante pela voz da falecida Karen Carpenter. Close to You é pra mim uma obra de arte. A começar pela melodia, simples, com leves oscilações de velocidade e uso de alguns instrumentos chave como piano e um solo de trompete, se não me engano; e a letra, ah a letra…Eu sou uma romântica convicta e essa é aquela música que vejo tocando no meu casamento, nas comemorações de 10, 20, 30 anos de casados, nos jantares românticos…é uma música que não envelhece, e que inspira qualquer casal apaixonado. Não poderia nunca ficar fora da minha lista. Fez parte da minha história com meu noivo e me emociona, sempre. Aos românticos, ao meu amor, e aos Carpenters, fica minha homenagem e meu número 3.

2 – Fire and Rain  – James Taylor

James Taylor é para mim a descrição do do gentileman. As músicas dele são músicas de gentileman. Eu me lembro bem do meu pai me falando dele na minha infância, e eu criticava sem nem mesmo escutar. Achava o estilo country brega. Mal sabia eu que ia me tornar uma das maiores admiradoras do country americano. Ele é um gentileman country, e eu adoro. Fire and Rain é uma música linda, o violão de Taylor é marcante e característico e a letra é ótima. Coloquei ela aqui por ser uma influência paterna que deu certo (e muito certo), e hoje ele é um dos meus cantores favoritos. Também faço coro para a vinda dele ao Brasil, em breve. Merece meu segundo lugar porque ela é muito constante no meu iPod, tocando sempre no shuffle, e sempre na minha seleção pessoal.

1 – Bohemian Rhapsody – Queen

Acho que esta música vai ser meu eterno número um. Quem nunca se imaginou oscilando entre as firulas musicais propostas por Freddy Mercure e trupe quando escutava este clássico. Esta música é um exemplo de tudo que pode haver de bom na música: boas melodias, bons instrumentistas, boa sequência e um espetacular vocal. Freddy é o “tchan” de tudo que envolve o Queen, e esta música é o ápice dele; ele dá o show a parte, cantando estilo rock, estilo romântico, estilo ópera. É impressionante. É tão impressionante que, quando você canta junto, você se sente tão bom quanto ele. Escutei essa música no início da minha fase roqueira, em 2002, e ela se mantém até hoje, apesar de escutar por diversas vezes, a minha favorita. Ela ultrapassa as barreiras do tempo, e continua um musicão até hoje. Para mim é a número um, indiscutível, até hoje.

 

E para você querido leitor? Qual é o seu TOP 10?

 

Abraços,

Marina Sousa

Um comentário em “TOP 10 Marina Sousa

Adicione o seu

  1. SOU DO TEMPO DA CULTURA,RITIMOS DA NOITE E MUITO MAIS.MAS NAQUELA EPOCA ,NA CULTURA TOCAVA UMA MUSICA QUE EU NÃO ACHO PARA BAIXAR DE JEITO NEHUM. EU SEI QUE O LOCAR;(QUERIDA E HORA DE PARTI).MAS EU NÃO LEMBRO QUEM CANTAVA. ALGUEM SABE.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: