Favoritos dos Sousa: Anita O’Day

Anita O'Day 1958 Newport Jazz.png

Anita Belle Colton, conhecida por Anita O’Day (18 de Outubro de 1919 – Los Angeles, 23 de Novembro de 2006), foi uma cantora de jazz americana

Hoje eu estava escutando o CD, lançado pela Folha de São Paulo, na coleção Grandes Vozese não pude deixar de me reencantar com esta magnífica cantora. Para os que acham Amy Winehouse “avançadinha”, saibam que Anita fez tudo ou muito que Amy, e soube viver até os 87 anos.Devido a ter problemas com o uso de drogas (heroína) e álcool, era também conhecida por Jezebel do Jazz.

O’Day foi uma das vozes mais respeitadas do jazz nas décadas de 40 e 50 com suas chamativas e atrevidas interpretações de canções como “Honeysuckle Rose” e “Sweet Georgia Brown”. Alguns especialistas a situam ao lado de Ella Fitzgerald, Sarah Vaughan e Billie Holiday.De origem humilde, sua paixão pela música surgiu dos discos de Mildred Bailey e Billie Holiday. No início de sua carreira foi rejeitada pelo clarinetista Benny Goodman, que não a quis em sua orquestra, preferindo Peggy Lee. Sua oportunidade chegou quando foi contratada pelo baterista Gene Krupa como vocalista de sua orquestra em 1941. Naquele mesmo ano, a canção “Let me off Uptown” a levou ao estrelato.Seu trabalho com Gene Krupa lhe deu celebridade e fama, mas em 1943 a orquestra se dissolveu quando ele foi detido por posse de maconha. A cantora acabou passando para a orquestra de Stan Kenton, na qual trabalhou à espera de que seu antigo chefe abandonasse a prisão.Com Krupa em liberdade, Anita O’Day voltou a trabalhar com ele em 1945. Depois de dois anos, deu início a uma carreira solo, na qual conseguiu gravar alguns discos para pequenas gravadoras.Após uma fase crítica, na qual também foi viciada em drogas, Norman Granz a contratou em 1952 para seus selos, e com ele viveu a etapa mais frutífera de sua carreira.Seu grande sucesso ocorreu em 1957, quando gravou junto ao trio do pianista Oscar Peterson o álbum “Anita sings the most”, no qual demonstrou sua capacidade de improvisação. Ao vivo, O’Day começou a tocar em  festivais e concertos com músicos como Louis Armstrong, Oscar Peterson, Dinah Washington, George Shearing, Cal Tjader, e Thelonious Monk. Ela aparaceu e fez sucesso no documentário Jazz on a Summer’s Day, filmado no Newport Jazz Festival de 1958 , cantando de modo descontraído, o que aumentou a sua popularidade. Mais tarde ela admitiu estar sob efeito de altas doses de heroina, durante o concerto. Aliás seus problemas com as drogas foram constantes e ela chegou a ser declarada morta em uma de suas overdoses.

Em 1958, gravou “Anita O’Day sings the winners”, alternando o canto com a orquestra de Russ Garcia e com a de Marty Patch. Em 1962 fez, com Krupa, o disco “Drummer man” e após romper sua relação com a casa Verve se dedicou às atuações e às excursões por todo o mundo com seu trio.Posteriormente, ficou oito anos sem gravar e sua volta, em 1970, levou à gravação de um disco ao vivo no Festival de Jazz de Berlim. O êxito daquele show ao vivo animou a estrela branca do jazz a gravar outros em Tóquio e em San Francisco (Califórnia). Seu último disco foi “Indescructible!”, produzido em 2006.Morreu aos 87 anos enquanto dormia em um hospital de West Hollywood devido a complicações provocadas por uma pneumonia.

 

Advance, Clef, Coral, Norgran Records: 1951–1956

Ano Album
1951 Anita O’Day Specials
1953 Singin’ and Swingin’
1953 Anita O’Day Collates
1954 Songs By Anita O’Day
1955 Anita O’Day
1956 An Evening with Anita O’Day

Verve Records: 1956–1964

Ano Album
1956 This Is Anita
1957 Pick Yourself Up with Anita O’Day
1957 The Lady Is a Tramp
1958 Anita O’Day at Mister Kelly’s (live)
1958 Anita Sings the Most
1958 Anita Sings the Winners
1959 Anita O’Day Swings Cole Porter with Billy May
1959 Cool Heat
1960 Anita O’Day and Billy May Swing Rodgers and Hart
1960 Waiter, Make Mine Blues
1960 Trav’lin’ Light
1962 All the Sad Young Men
1962 Time for Two (with Cal Tjader)
1963 Anita O’Day and the Three Sounds
1964 Incomparable!
2007 Live in Tokyo ’63
( Released Posthumously )
(Live)

MPS Records: 1970

Ano Album
1970 Recorded Live at the Berlin Jazz Festival (Live)

Emily Records, Kayo Stereophonics: 1975–2006

Ano Album
1975 I Get a Kick Out of You
1975 My Ship
1976 Live at Mingo’s (Live)
1978 Mello’ Day
1978 Skylark – Live at Club Sometime (Live)
1978 Angel Eyes
1979 Anita O’Day Live at the City (Live)
1989 In a Mellow Tone
1991 At Vine St. Live (Live)
1993 Live in Person (Live)
1993 Rules of the Road
1993 Wave: Live at Ronnie Scott’s (Live)
2006 Indestructible!

Dobre Records

Ano Album
1970’s Anita O’Day
1970’s There’s Only One

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: