Os Melhores de 2012: Transmissor: Nacional

Este ano o Vitrola vai  escolher os 100 melhores lançamentos do ano. E como já estamos em setembro vamos começar cedo. O primeiro escolhido é de uma banda de Belo Horizonte:

100.  Transmissor – Nacional (2012)

Novo/velho conhecido da cena musical de BeloHorizonte, o Transmissor junta rock contemporâneo com bossa-nova e Clube da Esquina. “O Transmissor é uma das melhores novidades do pop
mineiro.” O grupo encabeça um movimento de renovação musical no estado, que aposta em apresentações conjuntas e divulgação na internet. O som vai do indie-rock a bossa-nova. O album nacional foi lançado no começo de 2012 e consolidou o bom conceito que tinhamps da banda, desde o lançamwento de seu album anterior: Sociedade do Crivo Múltiplo de 2008.

 Componentes:

Thiago Corrêa – voz/violão/rhodes/baixo
Leonardo Marques – voz/violão/guitarra/baixo
Jennifer Souza – voz/violão/ukelele/guitarra/baixo
Henrique Matheus – guitarra/baixo
Pedro Hamdan – bateria

 

https://i1.wp.com/i1.sndcdn.com/artworks-000019998968-z4suc3-original.jpg
Faixas/Tracks:
  1. Sempre 3:15
  2. Dessa Vez 3.18
  3. Dois Dias 2.57
  4. Bonina 3.16
  5. Só se for Domingo 3.21
  6. Vazio 3.22
  7. Outra Ela 3.01
  8. Traz O Sol Pro Meu Lado da Rua 2.37
  9. Nada Será Como Antes 3.02
  10. Longe Daqui 3.32
  11. Hoje 3.51
    Mais Transmissor no Raras Músicas

Memória: Roberto Silva

Roberto Silva na capa do disco 'Volta por Cima', de 2002. Foto: Reprodução

 Morreu dia 09 de setembro, no Rio de Janeiro, mais um grande sambista brasileiro. Quem nos deixou aos 92 anos foi Roberto Silva

Roberto Napoleão Silva (Rio de Janeiro, 9 de abril de 1920 – Rio de Janeiro, 09 de Setembro de 2012), mais conhecido como “O Principe do Samba“, foi um cantor e compositor carioca.

Nascido no morro do Cantagalo em Copacabana, iniciou a carreira de cantor no rádio, na década de 30. Nos anos 40 realizou suas primeiras gravações, e foi do elenco das rádios Nacional e Tupi. Nesta última ficou conhecido como “príncipe do samba”, e suas interpretações são características pelo estilo sincopado e levemente dolente que encontrou para cantar samba, inspirado em dois ídolos anteriores, Cyro Monteiro e Orlando Silva.

Seu primeiro sucesso, lançado pela Star, foi “Mandei Fazer um Patuá” (R. Olavo/ N. Martins). Em 1958 veio o LP “Descendo o Morro”, que teve continuações, nos volumes 2, 3 e 4. Entre seus muitos sucessos destacam-se “Maria Teresa” (Altamiro Carrilho), “O Baile Começa às Nove” (Haroldo Lobo/ Milton de Oliveira), “Juraci Me Deixou” (Raimundo Olavo/ Oldemar Magalhães), “Escurinho” (Geraldo Pereira) e “Crioulo Sambista” (Nelson Trigueiro/ Sinval Silva), entre outras. No total, gravou 350 discos de 78 rotações e perto de 20 LPs. Afastado das gravações nos últimos anos, teve vários de seus discos relançados em CD e em 1997 saiu a coletânea “Roberto Silva Canta Orlando Silva”, extraída de seus vários LP na Copacabana.

DISCOGRAFIA

Discos de carreira

VOLTA POR CIMA – Universal Music – 2002

A PERSONALIDADE DO SAMBA – Copacabana – 1979

PROTESTO AO PROTESTO – Copacabana – 1978

INTERPRETA HAROLDO LOBO, GERALDO PEREIRA E SEUS PARCEIROZ – Copacabana – 1976

SAMBA DE MORRO – Copacabana – 1974

SAUDADE EM FORMA DE SAMBA – Copacabana – 1973

RECEITA DE SAMBA – Copacabana – 1969

A HORA É A VOZ DO SAMBA – Copacabana – 1968

O PRÍNCIPE DO SAMBA – Copacabana – 1965

EU… O LUAR E A SERENATA Nº 2 – Copacabana – 1964

O SAMBA É ROBERTO SILVA Nº 2 – Copacabana – 1963

O SAMBA É ROBERTO SILVA – Copacabana – 1962

DESCENDO O MORRO Nº 4 – Copacabana – 1961

EU… O LUAR E A SERENATA – Copacabana – 1960

DESCENDO O MORRO Nº 3 – Copacabana – 1960

DESCENDO O MORRO Nº 2 – Copacabana – 1959

DESCENDO O MORRO – Copacabana – 1958

Extras

A MÚSICA BRASILEIRA DESTE SÉCULO POR SEUS AUTORES E INTÉRPRETES – ROBERTO SILVA – SESC – SP – 2000

WILSON BATISTA, O SAMBA FOI SUA GLÓRIA – JOYCE e ROBERTO SILVA – Funarte – 1985

Coletâneas

ROBERTO SILVA CANTA ORLANDO SILVA – Marcus Pereira – 1997

 

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: