Os 15 discos nacionais que marcaram a minha vida

É a mesma idéia do post de ontem, só que agora são os nacionais…e lembro, não são os melhores, e sim os mais importantes para mim!

1- Ventura – Los Hermanos: Qualquer um da minha idade (ou próxima dela) encontra algum tipo de conexão com este disco. Ventura marcou uma geração, é o simbolo dos jovens dos anos 2000, cansados de tanta música eletrônica, POP e sucessos estrangeiros. Foi assim que o Los Hermanos resgatou a MPB em uma época que Caetano Veloso e Chico Buarque eram considerados “velharias”.

2- Rumo – Rumo: Este é um disco brasileiro muito importante para mim. O Rumo marcou minha infância com meu pai cantarolando “O Carnaval do Geraldo” na minha cabeça, e essa paixão continuou crescendo, ouvindo Luiz Tatit cantar no Castelo Rá-Tim-Bum, e depois de mais velha, ao ouvir este album. O Rumo é uma música de criança, harmoniozamente perfeita, para adultos. Os temas são sérios, atuais e…sinceros. Não tem como não apaixonar, especialmente por “Ninguém Chora Por Você”.

3- Chico Buarque – Construção: Chico Buarque me lembra minha avó. Me lembra muito ela, e acho que por isto gosto tanto dele. Construção fala de temas que ela me ensinou durante as várias aulas de histórias que tive com ela na casa dela. São letras provocativas e atuais. A faixa título é tão explícita para a época que deve ter doído na consciência de muita gente. Pela coragem e vontade de provocar, Construção é ítem essencial na discoteca de qualquer ouvinte.

4- Calango – Skank: Eu me lembro bem a primeira vez que vi este album do Skank. A capa me impressionou mais do que a música. Mas a música hoje é um marco na carreira destes mineiros, que eu não poderia deixar de citar. Clássicos como Jackie Tequila, Te Ver e É Proibido Fumar tem lugar cativo no coração dos Brasileiros, conquistados pelo jeitinho mineiro destes simpáticos atleticanos e cruzeirenses.

5- Acabou Chorare – Novos Baianos: Eu sempre tinha escutado mais ou menos Novos Baianos, na piscina da fazenda durante meus carnavais na infância, no rádio do carro nas viagens e família e nas horas vagas lá em casa quando meu pai ouvia música. Quando parei pra prestar atenção é que vi o tamanho da obra prima que estava perdendo.

6- Acústico MTV – Capital Inicial: Ok vai, não é um grande album, mas eu tenho excelentes lembranças dele. Foi minha estreia escutando MTV (quando realmente comecei a prestar atenção em música e clipes), foi meu primeiro show no Palácio das Artes aqui em BH, foi o primeiro album brasileiro que eu sabia todas as músicas de cor e salteado…e confesso, tem algumas boas até hoje vai…

7- A Arca de Noé – Vinícius de Moraes: Dá pra ver que a minha infância foi muito mais ligada à MPB do que a qualquer outro estilo musical né? Desde album eu lembro até do encarte, cheio de bichos para recortar, e as letras, por mais simples que fossem, eram riquíssimas para uma criança escutar música. Meus filhos certamente escutarão isto.

8- O Canto da Cidade – Daniela Mercury: Voltando às minhas lembranças de criança não poderia faltar a rainha do Axé, a minha primeira cantora favorita, Daniela Mercury. O Canto da Cidade é um achado. É uma Salvador escancarada aos ouvidos de quem gosta de boa música, e não essas coisas que nos obrigam a ouvir nas praias hoje em dia. Isto sim era axé, e dos bons. É dos meus top 10 de discos até hoje.

9- Clube da Esquina – Milton Nascimento e Lô Borges: Acho que todo mineiro tem obrigação de gostar destes dois. Nada traduz melhor a vida mineira do que as músicas deste album. É aquele disco obrigatório de se ouvir na estrada pra Ouro Preto. É a trilha sonora perfeita.

10 – Gram – Gram: Na minha época de paixão pelos Los Hermanos fui apresentada a estes paulistas que tocavam rock progressivo. É impossivel não simpatizar pelo gatinho do clipe de “Você Pode ir na Janela”. Acabei baixando não só esta mas o disco inteiro. E adoro.

11- Ney Matogrosso e Pedro Luiz e a Parede – Vagabundo: Alguém já ouviu “A Ordem é Samba”? Ou “O Mundo”? Escutem…não preciso tecer nenhum comentário.

12- Orquestra Imperial – Carnaval Só No Ano Que Vem: Pra mim tudo que tem Amarante é no mínimo bom. E não é que sempre acerto? “O Mar e o Ar” é uma estilo Los Hermanos, menos melodramático e mais adulto. Um must listen.

13 – MTV Acústico – Paralamas do Sucesso: Bom, eu adoro um bom acústico, até hoje. Acho que é neste tipo de gravação que os músicos revelam seus verdadeiros talentos, sem aqueles ajustes de estúdio. Este acústico vale pelas participações especiais e pela seleção musical..”Meu Erro” com Zizi Possi virou clássico da MPB.

14- Gol de Quem? – Pato Fu: Eu sempre gostei deles. Até mesmo na época do Isopor, que não foi lá essas coisas, mas o Pato Fu das origens era crítico, musical e sensacional. Deste album que veio “Sobre o Tempo” e “Qualquer Bobagem”. Demais!

15- Acústico MTV – Paulinho da Viola: Lá vem mais um acústico. Paulinho da Viola é sensacional neste album. É tão sensacional que o acústico parece…música de estúdio! E eu tive o prazer de assistir ao vivo em BH. Apaixonante.

3 comentários em “Os 15 discos nacionais que marcaram a minha vida

Adicione o seu

  1. Pow! vc pegou pesado! só coisa boa!

    skank, capital inicial, pato fu, chico, milton, daniela (em sua época áurea) e novos baianos…
    só trem bão, cada um ao seu modo.

    Confesso que tô viciada ultimamente num chico, nuns novos baianos, num lenine, num miltinho (alias o show dele em Mariana foi uma delícia!!! já o do hermeto pascoal em ouro preto foi um pouco cansativo, mas bom também)…. mas curto esses todos aí na sua época.. do skank esse aí que vc citou me marcou demais, mas aquele outro que tem o vestidinho preto, a partida de futebol e etc, é inesquecivel!!!! esse cd do capital, nem preciso falar, a gente lá na bahia gravando videos e videos cantando natasha! hahahahaha daniela mercury, pra vc ter uma idéia, tenho um vinil dela aqui até hoje, gostava dela quando eu era pequena!

    um cd que curto MUITO também é o da Fernanda Takai, do Pato Fu, cantando Nara Leão – o álbum chama “onde brilhem os olhos teus” (a gente deu de presente uma vez para o seu pai)…

    já o pato fu, eu (e todo mundo aqui em casa) curtia muito!! comecei pelo “Isopor”, que a gente escutava o dia inteiro.. lembra muito o ano de 2001, 2002…

    paralamas é muito gostoso “porque vc não olha pra mim….ôô”

    mas eu colocaria um chorinho e um Cartola aí também… descreve minha fase de namoro toda… (hehehehe) o Artur me faz escutas essas maravilhas o dia todo!

    E não posso esquecer meu amado Caê! hahahahaha.. eu adoro as músicas do Caetano.. e as versões antigas dele cantando com o Chico… (não há coisa mais gostosa)

    Ahhh tem tantas coisas boas, que fica difícil demais de escolher!

    vou pensar em muitas mais aqui!

    adorei esses teus posts!!

    vc devia fazer mais aqui pro blog, tipo: 15 discos que marcaram alguma outra coisa, exemplo:

    * sua época da faculdade
    * da escola
    * infância
    * namoro..

    e por aí vai…acho que seria super legal!

    Curtir

  2. So faltou as “14 mais” disco que era lançado acho que anualmente (melhor perguntar ao Mauro) com obviamente 14 musicas. Lembro de Rony Von e Ivon Cury, e tantos outros, mas principalmente de uma musica A Praça!
    bjs

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: