Nova Série: Os 50 Solos de Guitarra Mais Influentes do Rock

Julho, mês do Rock, e o Vitrola continua comemorando… Para os próximos dias vamos tentar postar os  50 Solos de Guitarra Mais Influentes do Rock , escolhidos pela influente revista Guitar Player americana. Espero que gostem, comentem, concordem ou discordem. Vamos lá:

#1 . Elmore James : Dust my Broom (1951):

Porque é importante: Segundo a Guitar Player ” todo guitarrista que toca slide guitar deve alguma coisa ao mestre Elmore, sendo que o som slide desta música reaparece incontáveis vezes em canções de rock e blues.” “Ainda segundo a Guitar Player a gravação original é em afinação D aberto (D,A,D,F#,A,D, do grave ao agudo), provavelmente em um flat-top Kay  ou Harmony Sovereign”. Uma curiosidade, Jimi Hendrix no início da carreira usou os nomes de Jimmy James ou de Maurice James, em homenagem a Elmore James.

Flat Top Kay e Harmony Sovereign

#2. Les Paul : How High is the Moon (1951)

Porque é importante: ” O uso de linhas sincopadas, uso de eco, double-stops ritmicos, bends blueseiros, figuras em cascata e ornamentações idiossincrásicas ajudaram a estabelecer o guitarrista como o mais criativo de sua geração. A versão original foi gravada com a velha Epiphone de Les Paul , mais conhecida como “Clunker” e “Breadwinner”, equipada com captadores envenenados, enrolados sob encomenda.” (Guitar Player)

Glossário: linhas sincopadas  (fortemente marcadas); double-stops ( Um double stop é quando se toca duas notas ao mesmo tempo)

Les Paul e sua “Clunker”

#3. Scotty Moore – That’s All Right Mamma (1954)

Porque é importante: ” Scotty Moore e sua Gibson ES-252, ligada a um Fender DeLuxe 1952, junto com Elvis Presley e o baixista Bill Black, criaram um estilo simples, objetivo, com muito suingue. O solo de guitarra de Scotty inspirou muitos instrumentistas de George Harrison a Keith Richards, passando por Jimmy Page e Danny Gaton. Os double-stops e a linha nas cordas graves são inesquecíveis , tornando esta passagem uma das mais importantes do rock. ” (de novo o texto é da Guitar Player)

A Gibson ES295 e Scotty Moore

#4. Eddie  Cochram – Sittin’ In the Balcony (1957)

Porque é importante: ” Forte carisma, timbres recheados de ecos e extrememente influente no final dos anos 1950. (p.e. : Paul McCartney tocou Twenty Flight Rock no seu primeiro encontro com John Lennon). Cochram usava uma Gretsch 6120 ano 1955, equipada com um captador Gibson P-90 na posição do braço. O solo de Sttin’ in the Balcony  tem a influência de seus heróis Chet Atkins, Joe Maphis e Johnny Smit” (Guitar Player)

A Gretsch 6120 ano 1955 e Eddie Cochram

Mais 4 solos importantes no próximo post, aguarde.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: